(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Vereadora alerta sobre dificuldade de internação de crianças portadoras da doença

Saúde Comentários 11 de maio de 2012

Goiás conta, apenas, com uma unidade de referência para acolher os portadores de câncer infanto-juvenil, que é também referência para outras regiões brasileiras


A vereadora Mirian Garcia ocupou o Grande Expediente da Câmara Municipal, para chamar a atenção dos seus pares e das autoridades de saúde, para as dificuldades que estão sendo impostas às crianças e adolescentes em tratamento de câncer, que necessitam de internação. Recentemente, ela acompanhou o caso de uma garota de Anápolis e dos pais dela que, com muito trabalho, conseguiram fazer o encaminhamento.
Segundo narrou a parlamentar, o problema ocorre por que no Estado, só há um hospital de referência, o Araújo Jorge, em Goiânia, que acolhe a adultos e também aos portadores de câncer infanto-juvenil. E, o pior, é que essa unidade não é referência apenas para Goiás, mas também para outros estados. Daí, a dificuldade em se obter vagas. A vereadora destacou que está discutindo o assunto com a Secretária da Saúde, Irani Ribeiro, para que uma solução seja encontrada. Ela citou, inclusive, que a Maternidade “Dr. Adalberto Pereira”, cuja gestão e acha sob intervenção do Ministério Público, conta com um local que poderia ser adaptado para acolher os pacientes jovens. Mas, isso dependeria de investimentos a serem feitos pelo Município.
O vereador Assef Nabem (PMDB) lembrou que, em recente audiência pública realizada no Legislativo, o assunto foi amplamente debatido com vários profissionais da área médica, representantes do Hospital do Câncer e com a própria secretária Irani Ribeiro que, na época, fez questão de estar presente à reunião e se disse sensibilizada com a causa. A ideia em debate é fazer com que Anápolis possa ter uma unidade para acolhimento e tratamento de pacientes de câncer infanto-juvenil. Mas, para isso, entretanto, não é necessária apenas vontade política para se desenvolver a ação. É necessário que se façam pesados investimentos e haja o apoio do Governo Federal.
Além disso, há ainda outro entrave, segundo a vereadora Mirian Garcia e confirmado pelas vereadoras Gina Tronconi (PPS) e Dinamélia Rabelo (PT), ambas médicas: a dificuldade de encontrar médicos de especialidades para trabalhar nesta área. Em todo o Brasil, e em Anápolis não é diferente, já é notória a falta de profissionais para a especialidade de pediatria. “Abre-se concurso e não tem candidato”, ponderou Mirian, destacando que se trata de uma missão difícil. Porém, não impossível. Por enquanto, conforme destacou, é necessário ver o que pode ser feito para que melhore o intercâmbio dos pacientes de Anápolis para o Hospital Araújo Jorge.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

Baixe o PDF de Edições Anteriores

Arte em Propaganda Arte em Propaganda

+ de Notícias Saúde

Medicamentos são a segunda causa de intoxicação em Goiás

14/02/2019

O uso inadequado ou abusivo de medicamentos representa o segundo tipo de intoxicação atendido pelo Centro de Informação T...

Hanseníase - Semana destaca prevenção à doença

24/01/2019

A hanseníase tem cura e o tratamento está disponível gratuitamente em todas as unidades de saúde de Anápolis. Basta que ...

Sistema “inteligente” garante distribuição

24/01/2019

Entraves na distribuição de medicamentos na rede municipal, antes recorrentes em Anápolis, deixam de existir a partir do t...

Combate à “farra” dos cartões do SUS

17/01/2019

O Prefeito Roberto Naves anunciou que deverá enviar uma equipe técnica para conhecer o modelo de gestão de uma espécie de...