(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Vereador denuncia “grande número” de imóveis desocupados

Política Comentários 17 de agosto de 2013

Caixa Econômica informou que no residencial Leblon, as 12 unidades desocupadas foram retomadas judicialmente e serão reformadas e reentregues


O Vereador Wederson Lopes (PSC), em pronunciamento na tribuna da Câmara Municipal, na última terça-feira,12, denunciou problemas que estão ocorrendo, segundo ele, em vários conjuntos habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), do Governo Federal, em Anápolis. Conforme relatou, há um número grande de imóveis desocupados, enquanto mais de 13 mil pessoas estão cadastradas e esperando na fila para serem inseridas na iniciativa. “É inadmissível que nada seja feito para sanar o problema”, cobrou o parlamentar, que foi aparteado por vários colegas durante a sua fala, da mesma forma, relatando fatos como o aluguel e venda dos imóveis, práticas estas que são vedadas na lei.
Wederson Lopes afirmou que irá, de forma voluntária, fazer um levantamento sobre os imóveis que estão desabitados, relacionando o nome do conjunto, das ruas e das casas onde estão localizados e entregar à Caixa Econômica Federal e aos demais órgãos competentes “para que sejam tomadas as devidas providências”. Em alguns casos, disse ele, há imóveis que estão desocupado há quase três anos. O vereador assinalou ter conhecimento de que há pessoas realizando os chamados “contratos de gaveta” para aluguel e, mesmo, a ocorrência de venda de casas. Porém, afirmou não se tratar de uma denúncia, por não ter elemento comprobatório em mãos. Para Wederson Lopes, se a pessoa está vendendo ou alugando a casa, é porque não tem necessidade e, da mesma forma, aquela que está locando ou comprando. Neste caso, ponderou, tem de haver uma fiscalização e os procedimentos necessários para que o programa atenda de fato às pessoas necessitadas e que estejam dentro do perfil.
A Vereadora Mirian Garcia (PSDB) contou também que já recebeu várias denúncias em seu gabinete, de que pessoas contempladas com os imóveis do MCMV, estariam alugando ou vendendo os mesmos. Mas, também não obteve nenhuma denúncia formal com apresentação de nomes dos responsáveis, o que dificulta uma ação para coibir a irregularidade. Para o Vereador Vespasiano dos Reis Gomes (PSC), é necessário que seja reavaliado o critério e a forma de cadastramento das famílias. “A situação, pelo que vimos, tem piorado e nós, vereadores e o Prefeito, estamos sofrendo com as reclamações e denúncias que recebemos da população”, enfatizou. O Vereador Mauro Severiano (PDT) lembrou que as casas não são doadas e que as famílias pagam pela aquisição do imóvel, embora com valor subsidiado e, por isso, a Caixa Econômica, que é responsável pela burocracia, tem de zelar pelos contratos. A Vereadora do PT, Geli Sanches, apontou que no Residencial Leblon, muitas casas desocupadas estão sendo depredadas e disse, ainda, ter conhecimento de que a Caixa tem em andamento muitos processos para retomadas de imóveis, nos casos em que há irregularidades.
O cadastramento das famílias a serem contempladas pelo MCMV é de responsabilidade da Prefeitura. Segundo dados informados pela Secretaria de Comunicação, nos últimos anos, anos foram celebrados em parceria entre a Prefeitura e a Caixa, cerca de 7,5 mil contratos de casas populares, já entregues nos bairros: Setor Sul Jamil Miguel, Adriana Parque, Vila Feliz. E os residenciais Copacabana, Santo Expedito, Santo Antônio, Summerville, Jardim Itália II, Victor Braga/Servidor, Leblon e Nova Aliança.
Pelo MCMV, foram contratadas em todo o país, desde 2011 até maio deste ano, mais de 1,63 milhão de unidades habitacionais. A expectativa é de que o Programa contrate 2,4 milhões de moradias até 2014, segundo informações da Caixa.

O outro lado
A Caixa Econômica Federal informou ao CONTEXTO que realiza vistorias constantes nos empreendimentos e verifica toda denúncia apresentada nos diversos canais disponibilizados. A Caixa esclarece que as 12 unidades habitacionais desocupadas do Residencial Leblon foram aquelas invadidas, depredadas e posteriormente retomadas judicialmente pela CAIXA. A Caixa ressalta que as unidades estão sendo reformadas para serem entregues aos beneficiários selecionados pelo programa.

Linha de crédito nova para móveis e eletrodomésticos
O Governo Federal lançou, recentemente, a linha de crédito Minha Casa Melhor. O objetivo da ação é conceder financiamento para aquisição de móveis e eletrodomésticos aos beneficiários do Minha Casa Minha Vida (MCMV). A Caixa Econômica Federal atua como agente financeiro da operação.
A partir da data de assinatura do contrato habitacional, o beneficiário pode contratar o financiamento de móveis e eletrodomésticos. Estão habilitadas a participar todas as famílias adimplentes enquadradas no MCMV. O limite de financiamento é de R$ 5 mil e as prestações são pagas em até 48 meses, à escolha do mutuário. O crédito fica disponível por até 12 meses. A taxa de juros única é de 0,4% ao mês (5% ao ano), e as prestações podem ser pagas por boleto bancário ou por débito em conta.
As famílias das unidades já entregues pelo MCMV podem fazer a contratação por meio do telefone 0800-726-8068 ou nas agências da CAIXA. Após dez dias, o cliente recebe um cartão de compras em sua residência para ser utilizado nas lojas credenciadas pela CAIXA em todo o país. Os beneficiários do Minha Casa Melhor também têm o direito a 5% de desconto nas compras, a ser concedido pelos lojistas. As informações sobre os produtos e sobre a relação das lojas credenciadas estão disponíveis no hotsite, no endereço www.caixa.gov.br/minhacasamelhor.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Política

Fundo bilionário para patrocinar as campanhas

10/08/2017

Os deputados integrantes da comissão especial que analisa mudanças nas regras eleitorais (PEC 77/03) acabam de rejeitar um ...

Antônio Gomide admite participar de chapa majoritária em 2018

10/08/2017

A pouco mais de um ano para as eleições gerais (Presidente da República; governadores; dois senadores por estado, deputado...

Antônio Gomide admite participar de chapa majoritária em 2018

10/08/2017

A pouco mais de um ano para as eleições gerais (Presidente da República; governadores; dois senadores por estado, deputado...

Dívidas do Estado com a União alongadas em até 240 meses

20/07/2017

Aprovadas na Assembleia Legislativa nas sessões realizadas no período de convocação extraordinária, nos dias 14 e 17 des...