(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

“Vamos garantir prosperidade, crescimento social e econômico”, afirma Dilma

Política Comentários 23 de outubro de 2014

“Este Brasil construído pelo braço, mão e garra do povo brasileiro não vai voltar para trás. Nós juntos temos um só rumo: seguir em frente, garantir prosperidade e crescimento social e econômico”, afirma a presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição, pelo Partido dos Trabalhadores


“Este Brasil construído pelo braço, mão e garra do povo brasileiro não vai voltar para trás. Nós juntos temos um só rumo: seguir em frente, garantir prosperidade e crescimento social e econômico”, afirma a presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição, pelo Partido dos Trabalhadores.
Em ato de campanha na região Sul do País, Dilma destacou que seu compromisso é com a geração de emprego e salário e mais e melhores oportunidades. “Construir para cada brasileiro e cada família brasileira um mundo de prosperidade, de fato”, destacou.
A presidenta também lembrou que durante toda a gestão do PSDB, quando esteve frente ao Governo Federal, o País vivia “aos pés” do Fundo Monetário Internacional (FMI), além de ter passado pela maior onda de desemprego da história recente do Brasil. “Eles quebraram o País três vezes e reduziram os salários. Agora, falam que o salário mínimo está muito alto. Está muito alto para eles que ganham milhões”, afirmou.
Para a Dilma, não é possível acreditar que o PSDB investirá em políticas sociais, uma vez que durante todo o tempo em que esteve à frente do País, esta não foi uma prioridade. “Quando puderam não fizeram. Hoje dizem que vão fazer o Bolsa Família. Não vão, porque nunca fizeram. Quando puderam, não criaram universidades públicas, pelo contrário, sucatearam. E proibiram que se fizesse escolas públicas federais”, apontou Dilma.
O PSDB também deixou de investir nos pequenos agricultores e nas indústrias. “Agora querem acabar com a política industrial deste País, que voltou a criar várias oportunidades, como na indústria naval. Enquanto, o mundo desemprega 100 milhões, que foi o que as economias mais ricas do mundo desempregaram, o Brasil criou no mesmo período mais de 12 milhões de empregos com carteira assinada”, ressaltou a presidenta.
A presidenta falou ainda sobre os riscos de se reduzir a importância dos bancos públicos brasileiros. “Durante a crise, se não fosse o BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social), a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil, a agricultura e a infraestrutura não teriam dinheiro. O Minha Casa Minha Vida não teria os recursos necessários para construir 3,7 milhões de casas”.

Empoderamento da mulher brasileira

“Vocês serão a minha voz e a minha palavra! Vamos juntas ganhar esta eleição, e mostrar que este País não quer voltar para trás, que não aceitamos perder as conquistas feitas arduamente”, afirmou a presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição, nesta quarta-feira (22), durante caminhada com mulheres no Estado do Rio de Janeiro.
Dilma Rousseff declarou que continuará criando oportunidades para que as mulheres brasileiras tenham maior autonomia e qualidade de vida. “A minha eleição afirmou o poder das mulheres brasileiras de fazer e de ser. No meu governo, as políticas sociais foram direcionadas para as mulheres”, destacou Dilma antes de participar de caminhada.
Hoje, 93% dos titulares do cartão do Bolsa Família são mulheres. Quase 70% dos imóveis da faixa 1 do Minha Casa Minha Vida – famílias com renda de até R$ 1,6 mil – estão no nome de mulheres. “As políticas que fizemos para micro e pequeno empreendedor também beneficiaram as mulheres. Mais da metade dos microempresários e microempreendedores individuais são mulheres”, apontou Dilma Rousseff.
Segundo a presidenta, o combate à violência contra a mulher é uma das prioridades do seu governo. Nos últimos 12 anos, o Brasil fez um combate sistemático à violência contra doméstica que, em sua maioria, vitima as mulheres. Foi sancionada a Lei Maria da Penha e ampliado os serviços de acolhimento das vítimas de violência, além de políticas públicas fortalecerem sua renda, formação e entrada no mercado de trabalho.
No próximo mandato, a Casa da Mulher Brasileira será uma das principais ações do governo Dilma para a mulher vítima de violência. “O combate à violência contra a mulher tem que ser cercado de acolhimento e do reforço da autonomia da mulher”, afirmou a presidenta, destacando ainda que o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), o Programa Universidade Para Todos (Prouni) e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) reforçam a autonomia da mulher ao oferecer acesso à Educação.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Política

Câmara homenageia professores com a outorga de comendas

20/10/2017

A Câmara Municipa, realizou, na última terça-feira,17, no Teatro São Francisco, sessão solene para a outorga da Comenda ...

Justiça faz trocar armas com defeito

20/10/2017

O juiz de direito da 2ª Vara da Fazenda Pública Estadual, Ricardo Prata, acatou ação impetrada pelo Governo de Goiás e d...

Governo faz homenagem a jovens com a comenda

20/10/2017

A ação transformadora da juventude e a reafirmação das liberdades democráticas foram destacadas pelo governador Marconi ...

Baldy relata projeto de fiscalização em insntituições financeiras

19/10/2017

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira (18), o projeto de lei que aumenta o poder de Banco Central do B...