(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Valec realizará transportes de minério e trilhos pela Norte-Sul

Geral Comentários 09 de novembro de 2017

Serão até 100 mil toneladas do minério de manganês e 12 mil toneladas de trilhos, na ativação da polêmica ferrovia


No intuito de otimizar as operações da Ferrovia Norte-Sul no trecho sob a concessão da Valec, situado entre Porto Nacional/TO e Anápolis, entraram em vigor dois novos contratos de transporte de carga pela ferrovia. Um de minério de manganês, e outro, de barras soldadas de trilhos.
Eles foram assinados em setembro entre a Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S.A e a Ferrovia Norte-Sul S/A (subconcessionária do tramo Norte entre Açailândia/MA e Porto Nacional/TO), atualmente administrada pela empresa de logística VLI.
O contrato do minério prevê o transporte de até 100 mil toneladas de manganês, sendo 40 mil toneladas transportadas no primeiro ano. A carga tem origem no Polo de Gurupi (TO) e destino final no Porto de Itaqui (MA), totalizando 1.453 km nas malhas da Valec, Ferrovia Norte Sul S/A e Estrada de Ferro Carajás.
O transporte foi iniciado no fim do mês de outubro. O primeiro deles partiu de Gurupi, formado por duas locomotivas e 65 vagões, com um total de 4,24 mil toneladas de carga.
A segunda composição partiu na última quarta-feira (1º/11) com duas locomotivas e 60 vagões, transportando 3,96 mil toneladas.
O contrato dos trilhos também deve começar a ser executado nos próximos dias. O acordo prevê o transporte de 12 mil toneladas de barras longas de trilho TR 68. Essas barras têm comprimento de 240 metros e serão transportados em vagões especiais disponibilizados pela subconcessionária.
O fluxo dos trens tem origem em Anápolis, após transbordo da bitola de 1,00 metro da Ferrovia Centro-Atlântica S.A (FCA), e destino no Tramo Norte da Ferrovia Norte-Sul. As movimentações das cargas são controladas pela Valec a partir do Centro de Controle Operacional (CCO), situado em Porto Nacional. O material rodante é da empresa de logística, visto que a VALEC não possui locomotivas nem vagões.
Por esse motivo, todo o transporte a ser realizado neste trecho sob a concessão da Valec depende da iniciativa privada e do interesse comercial dos operadores logísticos ferroviários em transportar neste segmento.
Da parte da Valec, as iniciativas para implantar as condições operacionais adequadas para o incremento do transporte na Ferrovia Norte-Sul estão acontecendo, como a disponibilização à iniciativa privada, por meio de processo de licitação, de áreas para a implantação de polos de carga, a exemplo de Anápolis e Gurupi (TO).
O trecho da Ferrovia Norte-Sul compreendido entre Porto Nacional (TO) e Anápolis está em plenas condições operacionais e com licenças de operação concedidas pela ANTT e IBAMA.
Em 2015, a Valec promoveu o transporte de 18 locomotivas (fev/2015), 26 mil toneladas de farelo de soja (dez/2015) e um volume de 13 mil toneladas de madeira triturada (dezembro de 2016 a março de 2017).

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Cartões do Renda Cidadã estão no radar do MPF

20/04/2018

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF/GO), por meio de sua Procuradoria Regional Eleitoral (PRE), instaurou, na últi...

Memorial resgata parte da história do classismo e da economia local

20/04/2018

Um acontecimento casual levou à descoberta de um acervo importante para o resgate da história da Associação Comercial e I...

Mãe se diz punida, apenas, pelo seu inconformismo

20/04/2018

Desde a morte do filho, Paulo Gabriel Lopes Tonetto, ocorrida em novembro de 2014, quando o mesmo contava, então, com 24 ano...

PRF se engaja em campanha “Eu sou do bem, Eu sou de Deus”

20/04/2018

Na manhã da última quarta-feira, 18, mais um passo importante foi dado para tornar nacionalmente difundida a campanha “Eu...