(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Últimas da Web - Ed. 305

Geral Comentários 04 de maro de 2011

Notas Gerais


Constrangimento
A Câmara dos Deputados aprovou projeto proibindo as empresas privadas e os órgãos públicos de adotarem revista íntima de funcionárias e de clientes do sexo feminino. O texto permite a revista de mulheres em ambientes prisionais e sob investigação policial, desde que seja feita por uma funcionária também mulher. O texto aprovado prevê multa de R$ 20 mil ao empregador e, em caso de reincidência, o valor em dobro, independentemente de indenização por danos morais e materiais e sanção de ordem penal. O dinheiro da multa irá para órgãos de proteção da mulher, segundo estabelece o projeto. Este projeto contempla uma das mais antigas reivindicações das brasileiras.

Saúde da mulher
Uma pesquisa americana sugere que mais tempo de educação pode reduzir a pressão sanguínea. A pressão alta, ou hipertensão, está ligada a problemas como ataques cardíacos, derrames e falência renal. O estudo publicado na revista especializada BMC Public Health mostra que a ligação entre educação e redução da pressão sanguínea é mais forte entre mulheres. Os pesquisadores sugerem que a pressão sanguínea pode ser a origem desta relação. Mulheres com menos (tempo de) educação têm probabilidade maior de depressão, de serem mães solteiras, mais probabilidade de viver em áreas empobrecidas e mais probabilidade de viver abaixo da linha de pobreza, diz o estudo.

Campeão de juros
O Brasil confirmou a primeira posição entre 40 países pesquisados, do ranking mundial de juros reais (descontando a inflação), elaborado pela Cruzeiro do Sul Corretora, com o aumento de 0,5 por cento, conforme o Comitê de Política Monetária (Copom). O País lidera com 5,9%, seguido por Austrália, com 2%, e Hungria, com 1,9%. Para que deixasse a primeira posição, o Copom teria que efetuar corte de 3,75 pontos percentuais na taxa. Com isso, cairia para a terceira posição, com 1,8% de juros reais. Já na tabela com números dos juros nominais, o Brasil aparece em segundo lugar, atrás apenas da Venezuela, com taxa de juros em 17,82% ao ano. A terceira posição é da Argentina.

Alternativa
O BNDES anunciou a aprovação de financiamentos de R$ 790,3 milhões para nove parques de geração de energia eólica, localizados no Ceará e Rio Grande do Sul. No Ceará são oito usinas beneficiadas que, juntas, têm capacidade de geração de 211,5 megawatts (MW). Os investimentos serão de R$ 562,6 milhões, destinados a oito sociedades de propósito específico (SPEs) do Grupo Impsa em parceria com o Fundo de Investimento do FGTS. No Rio Grande do Sul o repasse será ao Parque Elebrás Cidreira 1, em Tramandaí. A usina está incluída no Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica e receberá do BNDES aporte na ordem de R$ 227,7 milhões.

Socorro
Municípios de São Paulo que tiveram prejuízos com as chuvas vão receber do Ministério da Integração Nacional cerca de R$ 30 milhões. Os recursos serão liberados para assistência, socorro a vítimas e restabelecimento da normalidade em 33 cidades atingidas por enxurradas, inundações e deslizamentos. Do total de recursos anunciados, R$ 18 milhões serão liberados de imediato e os restantes R$ 12 milhões serão repassados de acordo com a apresentação de documentos que comprovem a aplicação dos recursos iniciais. A verba vem dos R$ 700 milhões da MP 522, de 2011, que abriu créditos para ações de defesa civil por meio do Ministério da Integração Nacional.

Carro de mais
A frota paulistana vai atingir neste mês a impressionante marca de sete milhões de veículos, segundo dados do Detran-SP. Janeiro fechou com 6.973.958 de carros, motos, caminhões e ônibus. O mais surpreendente é que, enquanto a cidade demorou oito anos para ir de cinco milhões para seis milhões - de janeiro de 2000 a 2008 -, os sete milhões serão batidos em apenas três anos. São Paulo tem 17 mil km de vias pavimentadas. Pára-choque a pára-choque, a frota atual formaria uma fila de 26 mil quilômetros, quase duas vezes a distância de São Paulo até Cabul, no Afeganistão. Na década de 70 a capital tinha 965 mil veículos para número parecido de vias: 14 mil quilômetros.

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Adoção de selo eletrônico é adiada

22/06/2017

A Secretaria da Fazenda informa que a obrigatoriedade de uso do Selo Fiscal Eletrônico para as embalagens descartáveis de ...

Jovem anapolino abre portas para o difícil universo das fragrâncias

15/06/2017

O jovem anapolino Helder Machado Owner é um exemplo de que o empreendedorismo não tem barreiras. A primeira coisa para aven...

Subseção da OAB entrega Moção a juíza de Anápolis

09/06/2017

A juíza titular da 2ª Vara de Família e Sucessões da comarca de Anápolis, Aline Vieira Tomás, recebeu, na segunda-feira...

Controle da folha de pagamento é um desafio para a Prefeitura

02/06/2017

Dentro do que preconiza a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), o Prefeito Roberto Naves e a equipe econômica apresentaram, ...