(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

UEG lança projeto de ciência e preservação ambiental

Meio Ambiente Comentários 13 de fevereiro de 2015

Área de preservação ambiental foi revitalizada para receber Projeto Cientista Mirim


A Universidade Estadual de Goiás (UEG) estreita laços com os colégios estaduais de Anápolis para popularizar o conhecimento científico e incentivar a preservação da biodiversidade do Cerrado. Esse diálogo será intensificado entre professores e alunos da Universidade e estudantes do Ensino Fundamental da Rede Pública de Ensino do município por meio de atividades do Grupo de Pesquisa em Biodiversidade do Cerrado e Popularização da Ciência.
O lançamento do projeto Biodiversidade do Cerrado foi nesta quarta-feira, dia 11, no auditório do campus Henrique Santillo. Estiveram presentes o diretor do campus, professor Olacir Alves Araújo, o secretário municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação de Anápolis, Fabrízio de Almeida Ribeiro, e a professora Juliana Simão Ferreira, do curso de Ciências Biológicas da UEG.
O grupo de pesquisa é formado por docentes da UEG do Mestrado em Recursos Naturais do Cerrado (Renac) e do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências (Ppec). Esses pesquisadores representam a UEG na parceria com a Prefeitura de Anápolis no Projeto Circuito da Ciência, que visa criar um ambiente de contato entre universo acadêmico e escolas públicas.
Segundo o secretário Fabrízio Ribeiro, a UEG tem oportunizado ferramentas para a efetiva popularização da cultura técnico-científica junto aos estudantes das escolas anapolinas. “A ideia central é plantar a semente do espírito científico em nossos jovens estudantes. A rede municipal de Anápolis atende cerca de 35 mil alunos e a prefeitura irá disponibilizar os ônibus que vão fazer o translado entre escola e UEG, para que nossos estudantes participem das atividades do projeto”, observou o secretário.
A professora Juliana Simão Ferreira apresentou a estrutura do projeto ao secretário e aos graduandos de Ciências Biológicas. “Tratar do assunto Cerrado é um desafio. Topamos sair da Universidade e, em contato com os alunos das escolas, podemos contribuir para o desenvolvimento humano e científico da sociedade”, endossa a docente, acrescentando que a disseminação do conhecimento sobre a biodiversidade do Cerrado, promovida pela UEG, também inclui estudantes com deficiências motoras, visuais e auditivas.

Trilha ecológica
O projeto trabalha em várias frentes. O carro-chefe é a Trilha do Tatu, uma área de preservação ambiental de 1.500 metros de extensão, que foi revitalizada para o início das visitas dos alunos de escola pública. Na área serão desenvolvidos uma trilha interpretativa – de estudos do terreno – e o Projeto Cientista Mirim.
Para o andamento do Cientista Mirim, a UEG irá receber os alunos do Ensino Fundamental para um estudo de campo na Trilha do Tatu. Esses estudantes serão acompanhados monitores, graduandos de Ciências Biológicas e mestrandos do Renac e do Ppec. Os jovens alunos irão coletar dados para pesquisa e serão orientados na análise taxonômica das amostras – para identificar os organismos presentes no solo e na água, por exemplo.
Jeferson Rocha Silva, aluno do primeiro período do curso de Ciências Biológicas, participou da capacitação para monitor do projeto e afirma que o que mais chamou a atenção na iniciativa é preservação da área da Trilha do Tatu. “Com a expansão da área industrial em torno da UEG é fundamental existir um projeto que cuide dessa biodiversidade da Trilha”, comenta.
Outra vertente do projeto é o Portal do Cerrado. O site é um museu online com ferramentas interativas como jogos e um passeio virtual em 3D pela Trilha do Tatu. O portal é fruto do trabalho de docentes e discentes dos cursos de Ciências Biológicas e de Sistemas de Informação, iniciado em 2010. O projeto Biodiversidade do Cerrado ainda propõe curso de capacitação de professores de Ciências e um museu de biodiversidade e Ciências Naturais no câmpus Henrique Santillo, com instalações físicas sobre o Cerrado e uma sala de Bioma Interativo – na qual portadores de deficiências motoras, visuais e auditivas poderão experimentar as sensações do Cerrado.
A UEG começará a receber os estudantes de escolas públicas já no início de março. Um convite foi enviado a todas as escolas municipais de Anápolis e o agendamento das visitas está aberto.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Meio Ambiente

Poluição de nascentes é denunciada na Câmara

09/11/2017

O vereador Pastor Elias Ferreira (PSDB) denunciou a poluição de nascentes localizadas nas proximidades da Avenida Brasil No...

Erosões comprometem o solo e a água potável do Município

28/09/2017

O acelerado processo de erosões em Anápolis compromete, não apenas, o solo, mas, também, todas as bacias hidrográficas e...

Limpeza preventiva de córregos

14/09/2017

Os córregos se contorcem diante do assoreamento que desidrata os cursos d’água nesse momento de estiagem. Mas para evitar...

Queimadas em vegetações e plantações estão têm registro de incidência na região de Anápolis

10/08/2017

Embora já se esteja em um período que favorece a sua ocorrência, a estação da seca ainda não provocou este ano grandes ...