(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

UEG: Audiência pública discute rumos da instituição

Educação Comentários 30 de setembro de 2011

Projeto de reestruturação é polêmico, pois prevê a extinção de cursos de algumas unidades da universidade e a transferência de outros


A Assembleia Legislativa realizou na última quarta-feira, 28, audiência pública para discutir as propostas de reestruturação e o decreto que altera o estatuto da Universidade Estadual de Goiás (UEG). O evento foi convocado pelo deputado Francisco Gedda (PTN) e pela Associação dos Docentes da Universidade Estadual de Goiás, a Adueg.
Segundo o presidente da Associação de Diretores da UEG, José Maria de Sousa, o objetivo dos representantes da UEG presentes no encontro, foi discutir os ganhos e as perdas possíveis com as propostas do Governo. “Queremos abrir o diálogo com o Governo, com a Assembleia Legislativa e com a comunidade”, afirmou.
Durante a audiência, Gedda ressaltou que a reunião não tinha viés político. Segundo ele, “os docentes, servidores e estudantes presentes não estão aqui para fazer bagunça. Eles realmente estão preocupados com a situação da UEG”.
Além de Francisco Gedda, compuseram a mesa os parlamentares Daniel Vilela e Lívio Luciano, ambos do PMDB; o presidente da Adueg, Emerson de Oliveira; a representante do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás, Teresinha Barbosa Bernardes; o representante do reitor Luis Antônio Arantes e diretor da UEG de Quirinópolis, Gilberto Celestino; e o vice-presidente do DCE-UEG, Frank Boniek.

Reestruturação
Na última quinta-feira, 22 de setembro, o secretário de Ciência e Tecnologia, Mauro Faiad, e a presidente da Comissão de Estudos sobre a Universidade Estadual de Goiás, Eliana França, apresentaram, ao Conselho Estadual de Educação (CEE), relatório com a proposta de reestruturação para a instituição de ensino superior.
O relatório foi elaborado durante cinco meses, por membros das Secretarias da Casa Civil, Ciência e Tecnologia, do Conselho de Educação, e da própria UEG. Segundo o Conselho, o relatório teve como objetivo o fortalecimento da autonomia da universidade.
Quanto às mudanças do Estatuto da Universidade, os manifestantes reivindicam que elas ferem o Artigo 207 da Constituição Federal, o Artigo 56 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), e o Artigo 61 da Constituição Estadual. Eles não concordam, também, com a proposta de revisão da política de extensão da Universidade. As mudanças incluem a extinção de seis cursos (Pedagogia, em Crixás, Itaberaí e Luziânia; História e Letras, em Jussara; e Tecnologia em Redes de Computadores, em Trindade) e a transferência de outros 24. A nova estrutura só passa a valer após a formação do último aluno.
O presidente da Adueg, Emerson de Oliveira, criticou a ideia do plano de transferir alguns cursos. “Quando se propõe que um curso seja transferido para outra cidade onde ele já é ministrado, está-se, na verdade, fechando o curso. Seria transferência se ele não existisse na cidade de destino”, contesta.
Atualmente, a UEG possui 42 unidades, seis pólos universitários e uma extensão universitária, estando presente em 49 municípios de Goiás. A instituição tem 20.802 alunos, 2.494 professores e 1.440 servidores. A instituição foi considerada, pelo ranking de ensino superior do Ministério da Educação, uma das cinco piores universidades do País.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Educação

Câmpus do IFG Anápolis tem nova diretora eleita

30/11/2017

A Comissão Eleitoral Central publicou no final da noite desta quarta-feira, 29, o resultado preliminar da eleição para dir...

Associação Educativa Evangélica celebra os 500 anos da Reforma Protestante

03/11/2017

Serão necessários mais 500 anos para que as futuras gerações tenham a noção da importância da celebração realizada n...

Saúde na Escola atende a quase 40 mil estudantes

20/10/2017

A Prefeitura de Anápolis, em parceria com o Governo Federal, está desenvolvendo o Programa de Saúde na Escola (PSE), um co...

Oficinas gratuitas oferecidas no programa Semana Cidadã

06/10/2017

A 1ª edição da Semana Cidadã, uma parceria entre a UniEVANGÉLICA e a Prefeitura Municipal de Anápolis, através da Secr...