(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Trem pequi: Obra de quase R$ Um bilhão começa a sair do papel

Geral Comentários 15 de fevereiro de 2013

Ferrovia para formar o eixo Brasília-Anápolis-Goiânia tem estudos avançados e é perfeitamente viável, segundo a SUDECO


Seis consórcios de variadas procedências estão disputando a licitação com vistas à apresentação de propostas para um estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental, que vão definir a construção de uma linha férrea ligando Brasília a Goiânia. As informações são da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e as empresas têm até o próximo dia 04 de março para enviarem as propostas. O grupo escolhido será o que oferecer o menor valor. Segundo a Agência o contrato com o consórcio vencedor deve ser assinado no final de abril de 2013. O custo estimado é de, até, R$ 5,5 milhões. A previsão é de que o estudo seja concluído em 15 meses, de acordo com a ANTT. Em outubro do ano passado, 41 grupos empresariais manifestaram interesse em participar do processo.
Segundo o superintendente da SUDECO (Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste), Marcelo Dourado, o estudo irá mostrar os trechos ideais e as características por onde a linha férrea será implantada. “O estudo é que vai dizer se a linha vai passar paralela à BR-060, se o trilho será singelo ou duplo, além de outras particularidades.”, declarou ele.
Ferrovia
De acordo com estudos preliminares, a linha férrea para trens de média velocidade ligando Brasília a Anápolis e Goiânia terá 200 km de extensão. A previsão é de que a construção tenha um custo de R$ 800 a R$ 900 milhões. De acordo com a SUDECO, o veículo pode atingir, até, 180 km por hora. Com a implantação da linha, será possível fazer o percurso Brasília-Anápolis-Goiânia em uma hora. A ANTT informou que a capacidade do trem será de 60% para passageiros e 40% para cargas em geral.
“Além de ligar Brasília a Goiânia, um eixo onde, hoje, vivem seis milhões de pessoas, a linha férrea será importante para o agronegócio brasileiro, pois será a primeira linha férrea a ligar Brasília e Goiânia a Anápolis, onde está a conexão principal da Ferrovia Norte-Sul em Goiás”, afirma Dourado.
A construção de uma linha férrea faz parte do convênio assinado pela ANTT e o Banco Mundial em junho do ano passado. Participam do empreendimento os governos de Goiás e do Distrito Federal, os Ministérios do Transporte e da Integração Nacional, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), a Valec Engenharia e Ferrovias, SUDEECO e ANTT.

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Capitão Waldyr pode ser nome da Plataforma

13/07/2017

Decano da indústria, com uma folha de mais de 60 anos prestados aos classismo e, em especial, à Federação das Indústrias...

Prevista redução de construtores com novas exigências do MC

13/07/2017

A exigência do Ministério das Cidades para que todos os pequenos e médios construtores tenham o Cadastro Nacional da Pesso...

Anápolis presente no Conselho Nacional de Juventude

06/07/2017

A assessora de juventude da Secretaria Municipal de Cultura, Larissa Pereira, foi eleita para ocupar uma das três cadeiras d...

Ubiratan Lopes é empossado na presidência da FACIEG

29/06/2017

O empresário anapolino Ubiratan da Silva Lopes foi empossado na presidência da Federação das Associações Comerciais, In...