(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Trajetórias de vidas depois de passados 80 anos

Geral Comentários 07 de dezembro de 2018

Empresário anapolino reúne entrevistas de dez octagenários


“Acima dos 80, rumo à velocidade da luz”. Este é o título do livro produzido pelo empresário anapolino Célio de Oliveira. O lançamento aconteceu na última terça-feira, 04, no auditório do Senai. Na oportunidade, ele relatou que ideia da publicação nasceu da convivência que sempre teve com pessoas idosas. Daí, resolveu escolher dez pessoas, acima dos oitenta anos, para que as mesmas pudessem relatar suas experiências, expectativas e opiniões acerca de vários aspectos da vida. De acordo com o autor, o livro não é uma autobiografia dos entrevistados.
Durante o lançamento, houve a presença de três das dez pessoas que fazem parte da coletânea de narrativas, cujas entrevistas tiveram a participação do jornalista Eduardo Rocha, são elas: a sua mãe, Jovina Oliveira; Timóteo Ribeiro de Oliveira, publicitário e Paulo Roberto Massi Pereira, engenheiro. Os demais, são: Aloísio Catão Torquato, padre; Maria da Glória Silva Araújo, assistente social; Walter Massi, médico psiquiatra; Nestore Scodro, empresário; Isabel Barbosa Rizzo, supermãe; Antônio Laureano, ex-empresário e ex-presidiário; Ana Braga Machado Gontijo, escritora, educadora e ex-deputada estadual.
O engenheiro Paulo Roberto, ao fazer uso da palavra, relatou sua participação em um momento importante da história de Anápolis. Ele trabalhava na Codeplan, em Brasília, e na época, surgiu a ideia de buscar uma área para abrigar indústrias. Em Goiás, trabalhando na Codego, ele falou sobre essa ideia com o então Governador Leonino Caiado e este, por sua vez, foi até o então presidente Médici, que poderou sobre o assunto, em razão da capital federal já ter fontes de recursos próprias e que a industrialização seria interessante para Goiás. Foi, então, dado um prazo de 30 dias para a apresentação de um projeto e o engenheiro Paulo Roberto foi incumbido de localizar uma área em Anápolis.
Segundo ele, foram três sugestões: uma perto do Ribeirão João Leite, manancial que abastece Goiânia e, por isso, foi descartada; uma próxima da Base Aérea, também descartada pela divisa com a área de segurança nacional; e a outra, na confrontação entre as BRs-153 e 060, onde hoje está localizado o Distrito Agro Industrial de Anápolis (DAIA).
A história sobre a escolha da área do DAIA, conforme o engenheiro, era praticamente desconhecida. Não está na entrevista do livro, mas ele fez questão de revelá-la na sua passagem por Anápolis, no lançamento da publicação.
O autor, Célio de Oliveira, ressaltou, na ocasião, que três características entre os seus entrevistados foram marcantes: o trabalho, a espiritualidade e a família. O livro, conforme disse, aborda muito bem estas dimensões e trazem muitos ensinamentos.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

Baixe o PDF de Edições Anteriores

Arte em Propaganda Arte em Propaganda

+ de Notícias Geral

Bazar beneficente em prol de instituições sociais

14/02/2019

Neste sábado, 16, das 8h às 13h, o grupo Mulheres Em Pauta, composto por 30 mulheres de Anápolis, realizará um Bazar Bene...

Banco de leite reforça equipe com nutricionista

14/02/2019

Desde o dia 5 de dezembro do ano passado, o Banco de Leite Humano de Anápolis deixou de ser uma simples sala para se tornar ...

Feirantes e permissionários devem se recadastrar

14/02/2019

Para proporcionar mais legalidade, organização dos espaços e oferecer suporte aos feirantes e permissionários, a Prefeitu...

Adultos também precisam seguir um calendário de vacinação, alerta saúde

14/02/2019

Muita gente não sabe, mas os adultos também precisam ser vacinados. Quem está com as vacinas desatualizadas coloca em risc...