(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

STJ admite alimentos em valores distintos para filhos de diferentes relacionamentos

Contexto Jurídico Comentários 19 de julho de 2018


Em recente julgamento, a Terceira Turma do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), por decisão unânime, admitiu o pagamento de pensões alimentícias em valores distintos para filhos de diferentes relacionamentos. O colegiado levou em consideração a capacidade financeira das mães das crianças.
No caso, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) reduziu o valor de pensão pago pelo pai de 20% para 15% de seus rendimentos líquidos. Inconformada com a decisão, a genitora interpôs Recurso Especial (REsp) alegando que a decisão foi discriminatória entre os filhos, posto que o genitor paga o percentual de 20% de seus rendimentos líquidos a título de pensão alimentícia para seu outro filho fruto de outro relacionamento.
A Ministra Nancy Andrighi, relatora do caso, afirmou que, via de regra, os valores de pensão alimentícia devem ser fixados no mesmo montante, contudo, destacou que a igualdade dos valores não é um princípio de natureza inflexível, mormente no caso concreto, em que se verificou que a mãe que recorreu da decisão possui maior capacidade contributiva do que a genitora da criança que recebe o percentual maior.
A Ministra afirmou que: “é dever de ambos os cônjuges contribuir para a manutenção dos filhos na proporção de seus recursos. Assim, poderá ser justificável a fixação de alimentos diferenciados entre a prole se, por exemplo, sendo os filhos oriundos de distintos relacionamentos, houver melhor capacidade de contribuição de um genitor ou genitora em relação ao outro”.
Ademais, o artigo 1.703 do Código Civil preceitua que, para a manutenção dos filhos, os genitores devem contribuir na proporção de seus recursos, ou seja, quem possui uma condição melhor, deverá contribuir com um quinhão maior.


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

Baixe o PDF de Edições Anteriores

Arte em Propaganda Arte em Propaganda

+ de Notícias Contexto Jurídico

Contrato de Locação e suas exigências legais

21/02/2019

O contrato de locação, em regra, não precisa de forma especial, porém, há exceções previstas na Lei, sendo as locaçõ...

Banco não responde por dano a terceiro que recebe cheque sem fundos

14/02/2019

Os Ministros da 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça - STJ, por maioria, reafirmaram entendimento de que a instituiçã...

Inconstitucionalidade na cobrança do DIFAL na aquisição de mercadorias por empresas optante pelo Simples Nacional

08/02/2019

Com o advento do Decreto Estadual nº. 9.104/2017, as empresas goianas optantes do Simples Nacional que adquirem mercadorias ...

Ato de desídia. Faltar sem justificativa é motivo para justa causa

17/01/2019

Segundo entendimento da 1ª turma julgadora do Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região, faltar ao trabalho por mais de ...