(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

SPC registra aumento da inadimplência em março

Economia Comentários 03 de abril de 2014

Um dos fatores seria o peso no orçamento doméstico com a despesas de compras de material escolar


O número de consultas do consumidor anapolino para compras a prazo e pagamentos com cheque, de acordo com dados estatísticos fornecidos pelo SPC Anápolis, apresentou em março uma queda de 10,58% em relação ao mês anterior. No confronto com o mesmo mês do ano passado, o número de consultas também caiu, registrando uma queda de 8,25%. A gerente do SPC Anápolis, Dea Lúcia Barbosa, explicou que essa queda nas consultas decorre do fato que, no período próximo ao feriado de carnaval, as promoções praticamente desaparecem e, com isso, é comum neste período a queda das vendas no comércio, além de que, a maioria dos consumidores se prepara neste período com vistas na próxima data sazonal – dia das mães, quando o comércio apresenta um aumento substancial nas vendas.
A estatística registrou, também, o nível de inadimplência do consumidor anapolino. Segundo dados fornecidos, houve um aumento de 20,59 % nos registros em março com relação ao mês anterior, e na comparação com o mesmo mês de 2013, o indicador também cresceu, registrando um aumento de 22,56%. Segundo o presidente da CDL Anápolis, Reinaldo Del Fiaco, esse aumento do número de registros é comum nessa época do ano, depois das compras de materiais escolares nos primeiros meses, e da comercialização de consumo para as viagens no feriado de carnaval, só refletindo no levantamento do mês de março.
Já o número de registros de cheques, detectados pela estatística no mês de março com relação ao mês de fevereiro, caiu em 1,02% e, o detectado nesse mês em relação a março do ano passado, também caiu, registrando uma queda de 27,04%.
Avaliado ainda, o cancelamento de registros de inadimplência de consumidores junto ao SPC Anápolis, os dados apontam um crescimento de 3,89% no mês de março, comparado ao mês de fevereiro, e um aumento de 3,80% no mês de março, em relação ao mesmo mês do ano passado. E o registro de cancelamento de cheques sofreu uma queda substancial, de 64% nesse mês, no comparativo ao mês de fevereiro e uma queda ainda maior, de 78,67%, em relação ao mesmo mês do ano passado. De acordo com o presidente, esta queda significativa no número de cancelamento de cheques, está diretamente relacionada ao desaparecimento do cheque no comércio local. “Hoje as pessoas utilizam mais, o cartão e o crediário para realizar suas compras”; conclui.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...