(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Solução para a APA do Ribeirão João Leite

Geral Comentários 22 de janeiro de 2010


No próximo dia 26, às 14 horas, na sede do Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), em Goiânia, o Sindicato das Indústrias Cerâmicas do Estado de Goiás (Sindicergo), vai se reunir com a promotora Sandra Mara Garbeline, coordenadora do CAOMA- Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente. Em pauta: o regulamento para a Área de Proteção Ambiental (APA) do Ribeirão João Leite, que define novos procedimentos para a extração de argila. Trata-se de uma medida que pode inviabilizar as empresas do setor localizadas na região, necessitando, pois, de um debate mais amplo entre todas as partes interessadas.
No dia cinco último, a questão foi debatida no encontro entre empresários do segmento, sob a liderança do Sindicergo, e o secretário estadual do Meio Ambiente, Roberto Gonçalves Freire. De acordo com o vice-presidente da entidade, Laerte Simão, naquela oportunidade foi instituído um Grupo Gestor, com a missão de apresentar estudos sobre os impactos sociais gerados pelas ações restritivas e, também, de viabilidade da exploração sustentável para a região.
No último dia 14, a Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), através do Conselho Temático do Meio Ambiente promoveu na sede da entidade, uma reunião com a equipe técnica da Semarh, para debater vários assuntos de interesse dos industriais relacionados ao meio ambiente, dentre eles a preocupação do segmento ceramista. Devido a complexidade que envolve a questão, a Câmara de Mineração da Fieg/CNI vai promover um amplo estudo sobre a APA do João Leite, para também ajudar na busca de soluções.
Laerte Simão observou que a expansão do limite de exploração de argila para 10 quilômetros dos mananciais hídricos da APA, quase 40 empresas (que representam em torno de 20% do setor) estarão com seus negócios inviabilizados, devido a dificuldades operacionais e também pela falta de competitividade. Durante a reunião no MPGO, a idéia é sensibilizar o Ministério Público sobre as adversidades enfrentadas pelas empresas e fortalecer parcerias para encontrar soluções práticas e viáveis.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Capitão Waldyr pode ser nome da Plataforma

13/07/2017

Decano da indústria, com uma folha de mais de 60 anos prestados aos classismo e, em especial, à Federação das Indústrias...

Prevista redução de construtores com novas exigências do MC

13/07/2017

A exigência do Ministério das Cidades para que todos os pequenos e médios construtores tenham o Cadastro Nacional da Pesso...

Anápolis presente no Conselho Nacional de Juventude

06/07/2017

A assessora de juventude da Secretaria Municipal de Cultura, Larissa Pereira, foi eleita para ocupar uma das três cadeiras d...

Ubiratan Lopes é empossado na presidência da FACIEG

29/06/2017

O empresário anapolino Ubiratan da Silva Lopes foi empossado na presidência da Federação das Associações Comerciais, In...