(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Situação do vereador Wesley Silva se complica

Política Comentários 25 de maio de 2012

Justiça do Distrito Federal quer que a Câmara instaure processo disciplinar para punir o vereador. Questão é tratada com cautela pelo Legislativo


A situação do vereador Wesley Silva (PMDB), que está preso no complexo penitenciário da Papuda, em Brasília, sob a acusação de envolvimento em um processo de lobby para o sistema de bilhetagem eletrônica do transporte coletivo da Capital da República. A sua prisão ocorreu no dia oito de março passado, em consequência da Operação Saint-Michel deflagrada pelo Ministério Público do Distrito Federal, que contou com o apoio do Ministério Público de Goiás e Polícia Civil. Nesta mesma operação foi preso o ex-diretor da empresa Delta no Centro-Oeste, Cláudio Abreu e, ainda, Valdir Reis, que era funcionário público no DF.
O presidente da Câmara Municipal, vereador Amilton Batista (PTB) confirmou ao CONTEXTO que um grupo de vereadores deve ir a Brasília para uma visita ao parlamentar preso, que está licenciado do cargo pelo período de 30 dias, a vencer no dia seis de junho próximo. Segundo informou, estão sendo feitos contados com a direção da penitenciária para ver se será possível essa visita em grupo.
Questionado sobre qual é a situação atual do vereador do PMDB, o Presidente Amilton Batista revelou que a Justiça do Distrito Federal, acatando solicitação do Ministério Público do DF, requereu que a Câmara Municipal abra processo disciplinar contra Wesley Silva, uma situação semelhante à que está ocorrendo com o senador Demóstenes Torres, que corre o risco de ter o seu mandato cassado por quebra de decoro parlamentar, por seu envolvimento com as atividades do bicheiro Carlinhos Cachoeira. No caso de Wesley Silva, o Legislativo terá que dar provimento. “Vamos fazer tudo no estrito cumprimento da legislação estadual, da legislação federal, da Lei Orgânica do Município e de nosso Regimento Interno”, enfatizou Amilton Batista, ao comentar o caso durante sessão ordinária da Câmara Municipal, na última quarta-feira, 23.
Sobre o pedido de licença, o Presidente Amilton Batista informou que Wesley Silva, regimentalmente, poderá requerer uma renovação do pedido por mais 30 dias. Isso evitaria o registro de faltas às sessões sem justificativas, o que poderia resultar na perda do cargo. Entretanto, a decisão se a licença será, ou não, concedida, dependerá de aprovação por maioria do plenário da Casa. O primeiro pedido foi aceito sem nenhum voto em contrário.

Partido
Para complicar, ainda mais, a situação, corre a informação de que o PMDB estaria encaminhando um procedimento para a expulsão de Wesley Silva da legenda. Isso ocorrendo, praticamente inviabilizaria uma provável candidatura à reeleição no pleito de outubro próximo, uma vez conseguindo se livrar dos problemas com a Justiça. A defesa do vereador vem tentando um habeas corpus para a sua soltura, porém, ainda, sem sucesso.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Política

Situação fiscal do Estado provoca embate entre Caiado e Marconi

10/01/2019

A situação fiscal de Goiás tem elevado o tom do debate entre o atual Governador, Ronaldo Caiado (DEM) e o ex-Governador Ma...

Presidente da Câmara destaca as suas prioridades e desafios do cargo

10/01/2019

Eleito recentemente para presidir a Câmara Municipal, o Vereador Leandro Ribeiro (PTB), em entrevista exclusiva ao Jornal CO...

Torcida Premiada e Desestatização estão na pauta da sessão

27/12/2018

Nesta sexta-feira, a Câmara Municipal se reúne, em caráter extraordinário, para apreciar e votar quatro projetos enviados...

Caiado garante o pagamento da folha de janeiro dos servidores

27/12/2018

O governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) garantiu, durante coletiva de imprensa na quarta-feira, 26, que tomará todas as med...