(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Sistema “inteligente” garante distribuição

Saúde Comentários 24 de janeiro de 2019

Central de Assistência Farmacêutica de Anápolis , informatizou serviço


Entraves na distribuição de medicamentos na rede municipal, antes recorrentes em Anápolis, deixam de existir a partir do trabalho de informatização da Central de Assistência Farmacêutica de Anápolis (Cafa), realizado pela atual gestão. Hoje há um controle inteligente do estoque, garantindo assistência aos pacientes e economia aos cofres públicos.
“Saímos do controle feito com apenas a caneta e a prancheta, quando muito uma planilha de Excel, para programas de computador específicos”, revela o gerente de Atenção Farmacêutica da Secretaria Municipal de Saúde, Alair Martins Pereira Júnior. Assim, medicamentos e insumos médicos e hospitalares são comprados em quantidade que leva em conta o uso mensal e a validade de cada produto, eliminando assim qualquer problema de desperdício. É possível programar licitações e fazer pedidos antecipados para fornecedores.
Além de atender toda a rede, a Cafa também é responsável por alguns programas da Secretaria Municipal de Saúde, como a distribuição de insulinas e fitas reagentes para os diabéticos. Os pacientes seguem um calendário definido pela coordenação do programa para buscar esses produtos na Central.
A Cafa também passou a fazer a entrega de fraldas para pacientes acamados. A necessidade do produto foi constatada pelas equipes das unidades básicas de saúde, que fornecem a documentação aos parentes dessas pessoas, que passam a buscar as fraldas mensalmente na Cafa. Eles recebem ainda os medicamentos necessários ao dia a dia e, quando preciso, também os insumos para nutrição.
A informatização da Cafa foi importante ainda para o atendimento das unidades de média e alta complexidade. O Hospital Municipal e a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), por exemplo, possuem terminais conectados à Central, que permitem o controle dos medicamentos e insumos utilizados diariamente.
Alair Martins conta que a gestão atual começou o trabalho na Cafa praticamente do zero, enfrentando problemas antigos. “Havia a cultura de se abarrotar o estoque, o que não é inteligente quando não se leva em conta a demanda e, sobretudo, o fato de que os produtos são altamente perecíveis”, ressalta o profissional.
A informatização da Cafa garante dados corretos dos tipos de medicamentos mais usados na rede pública anapolina, contribuindo assim para a definição de políticas públicas na área da saúde. Há ainda uma preocupação com pedidos determinados pelo Poder Judiciário, que sem um acompanhamento correto acabavam pegando os gestores de surpresa. “A partir desse trabalho pioneiro, enxergamos os gargalos e projetamos as necessidades. Dessa forma, conseguimos servir bem a população anapolina”, conclui o gerente de Atenção Farmacêutica.


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Nova unidade atenderá a cerca de 7 mil pessoas na Região Oeste de Anápolis

15/03/2019

Um espaço próprio que acabou de ser construído vai dar lugar a dois postos que funcionavam em locais alugados e precários...

Mitos e verdades sobre a enxaqueca

15/03/2019

Dor de cabeça forte, enjoo e sensibilidade à luz e ao barulho. Esses são os principais sintomas da enxaqueca, doença neur...

Aulas de Hiit são oferecidas gratuitamente em Anápolis

07/03/2019

São 30 minutos a 40 minutos de uma aula intensa: corrida, bicicleta, peso, abdominal. O céu é o limite para as variações...

Saúde intensifica ações de combate à dengue no Município

07/03/2019

De um lado, um batalhão formado por cerca de 400 agentes –250 comunitários de saúde e 150 de endemias. De outro, o Aedes...