(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Setor de serviços é o carro-chefe da economia anapolina

Economia Comentários 29 de julho de 2016

Apesar da crise, Anápolis se mantém como o segundo maior gerador de riquezas


Num cenário econômico adverso, Anápolis tem conseguido manter uma boa dinâmica nos seus indicadores econômicos. Um deles - e, talvez o mais importante - o Produto Interno Bruto (PIB), conforme os levantamentos feitos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aponta que, no ano de 2013 (último resultado consolidado), a soma de riquezas produzidas no Município chegou a mais de US$ 12,041 bilhões.
Comparativamente ao ano de 2012, houve um incremento nominal de R$ 470,5 milhões à sua economia. O crescimento percentual, no período, foi de 4,1%. O que pode ser considerado um bom resultado. Em valores nominais, o PIB per capita - que representa a soma de riquezas produzidas perlo município por habitante - caiu de R$ R$ 33.798,83 em 2012, para R$ 33.691,62 em 2013. Uma perda nominal de R$ 107,21. O que não quer dizer que seja uma queda na distribuição de renda.
Há, também, outros dados importantes relativos ao PIB Municipal. No setor agropecuário, que não é o de maior relevância no contexto econômico da região, houve um crescimento bem significativo. Em 2010, o Valor Adicionado a Bruto deste segmento, foi apurado em R$ 27,2 milhões, indo para R$ 26,6 milhões no ano seguinte; para R$ 41,6 milhões em 2012 e, em 2013, fechou em R$ 55,2 milhões. Nota-se, portanto, que o VAB Agropecuário mais do que dobrou entre 2010 a 2013.
O setor da indústria, no mesmo período, ou seja, de 2010 a 2013, teve um comportamento mais equilibrado. Em 2010 o VAB industrial era de R$ 3,952 bilhões. No ano seguinte, baixou para R$ 3,422 bilhões. Voltou a subir em 2012, passando a R$ 3.625 bilhões e, no ano de 2013, ficou em R$ 3,927, um pouco menor do apurado em 2010.
O setor de serviço é o carro chefe do PIB anapolino. Em 2010, o VAB do segmento era de R$ 4,097 bilhões. No ano seguinte, saltou para R$ 4,661 bilhões. Em 2012, foi a R$ 5,384 bilhões e, no ano de 2013, chegou ao patamar de R$ 5,725 bilhões.

Os 10 maiores do PIB em Goiás (Dados de 2013)

Goiânia - R$ 40,461 bilhões
Anápolis - R$ 12,041 bilhões
Aparecida de Goiânia - R$ 9,899 bilhões
Rio Verde - R$ 7,199 bilhões
Catalão - R$ 6,190 bilhões
Itumbiara - R$ 3,686 bilhões
Jataí - R$ 3,270 bilhões
Luziânia - R$ 3,138 bilhões
Senador Canedo - R$ 2,324 bilhões
Cristalina - R$ 1,763 bilhões

Os 10 maiores do PIB per capita em Goiás

Chapadão do Céu - R$ 114.455,13
Alto Horizonte - R$ 106.786,77
Perolândia - R$ 97.053,92
Cachoeira Dourada - R$ 81.477,56
São Simão - R$ 77.570,88
Porteirão - R$ 65.719,56
Catalão - R$ 65.235,86
Ouvidor - R$ 65.235,86
Barro Alto - R$ 57.216,06
Montividiu - R$ 54.839,07

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...