(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Serviço de Quimioterapia começa a funcionar no Hospital Evangélico

Saúde Comentários 01 de maro de 2018

Atendimento será prestado aos pacientes. Unidade terá Unidade de Terapia Intensiva e de uma central para exames


Foi inaugurado nesta quarta-feira (28), o serviço de Quimioterapia do Hospital Evangélico Goiano. O serviço será gerido pela Unicca – Unidade de Combate ao Câncer em Anápolis. O evento contou com as presenças do diretor-executivo do Evangélico, Dr. Ernei de Oliveira Pina, do diretor de Planejamento, Dr. Edmo de Oliveira Pina, demais diretores e médicos do Corpo Clínico e diversos colaboradores da instituição.
Também estiveram presentes o diretor da Unicca, Eli Rosa, o presidente da Câmara Municipal, vereador Amilton Filho e demais vereadores, a secretária municipal de Saúde, Luzia Cordeiro e diversas autoridades municipais.

O serviço
Com o objetivo de ampliar o atendimento a pacientes com câncer no município de Anápolis, O Hospital Evangélico Goiano inaugurou sua unidade de Quimioterapia. O serviço passa a compor o atendimento oncológico do hospital, que já realiza cirurgias, oferece tratamentos e disponibiliza profissionais com experiência e capacitação para o tratar os mais diversos tipos de câncer.
Essa estrutura humana e física possibilitou que o Hospital Evangélico Goiano se habilitasse junto ao Ministério da Saúde para a oferta de Quimioterapia.
A presença de uma Unidade de Terapia Intensiva e de uma central para exames laboratoriais, a reforma recente do pronto-socorro 24 horas e ainda a ampliação do centro de internação do Hospital são a garantia de que esta unidade hospitalar poderá atender a pacientes de Quimioterapia com segurança e de acordo com protocolos internacionais de referência.

Atendimento
A unidade de Quimioterapia do HEG terá capacidade para oferecer tratamento de todos os tipos de câncer. Em um primeiro momento, apenas adultos poderão ser tratados na unidade pelo SUS, até que o Ministério da Saúde libere tratamentos para crianças. Já o tratamento por meio de convênios e em caráter particular será voltado a todos os públicos.
A unidade será voltada para atendimento de pacientes oncológicos do Hospital Evangélico Goiano e oriundos de outras instituições. Em torno de 500 pessoas serão atendidas por mês.
Ao oferecer mais este serviço, o hospital atende a uma determinação do Ministério da Saúde (MS) de atendimento a pacientes com câncer do SUS. De acordo com o MS, Unidades de Assistência de Alta Complexidade (UNACON) que oferecem tratamentos oncológicos devem adequar sua estrutura para o tratamento completo de pacientes com câncer.

UNACON
Unidades hospitalares que possuem condições técnicas, instalações físicas, equipamentos e recursos humanos adequados à prestação de assistência especializada de alta complexidade para o diagnóstico definitivo e tratamento dos cânceres mais prevalentes. Estas unidades hospitalares podem ter em sua estrutura física a assistência radioterápica ou então, referenciar formalmente os pacientes que necessitarem desta modalidade terapêutica.

Autor(a): Felipe Homsi

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Dengue registra mais baixas em notificações e sem casos de óbitos

19/07/2018

Uma boa notícia para a saúde pública: nos seis primeiros meses deste ano, nenhum óbito de dengue e suas complicações fo...

Anápolis precisa ampliar a sua estrutura hospitalar

18/07/2018

Além do Hospital de Urgências “Dr. Henrique Santillo”, Anápolis conta com outras seis unidades hospitalares, entre pú...

Maior conscientização sobre o SAMU pode salvar vidas

18/07/2018

Prestar atendimento pré-hospitalar de urgência e com excelência à população o mais rápido possível. Essa é a missão...

Pessoas especiais têm serviços odontológicos ampliados

18/07/2018

A cadeira de dentista já foi um problema na vida de Maria Beatriz Santos, oito anos. A menina, que tem Síndrome de Down, re...