(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Senador vai propor Fundo para recuperar dependentes

Geral Comentários 15 de outubro de 2010

Autor do projeto, Demóstenes Torres explica que o dinheiro deve ser utilizado para construção de unidades hospitalares para o tratamento de usuários de drogas


O senador reeleito Demóstenes Torres já esquematizou os projetos de lei que deve apresentar no Congresso no próximo ano. Um dos primeiros da lista do senador goiano engloba a elaboração do Fundo Nacional de Apoio à Recuperação de Dependentes. “A proposta estipula uma espécie de poupança para construirmos clínicas e hospitais especializados no tratamento dos dependentes químicos”, afirmou o senador Demóstenes Torres. No mês de agosto, Demóstenes apresentou no plenário do Senado projeto de lei que obriga o tratamento médico de usuários de drogas flagrados armazenando ou transportando substâncias ilícitas. A proposta ainda determina pena de prisão de seis meses a um ano para aqueles que descumprirem a recomendação judicial. A atual Lei 11.343/2006, que trata sobre o tema, estipula apenas penas de serviços à comunidade e frequência em cursos sobre os malefícios às drogas. A ideia do senador Demóstenes, porém, não é a de levar o usuário para a cadeia, mas viabilizar o tratamento de dependentes químicos. Um dos dispositivos da legislação prevê exatamente a conversão da pena de prisão para a internação em unidade especializada de saúde. "Familiares, educadores e o próprio Poder Judiciário ficaram de pés e mãos atados após a vigência da Lei 11.343/2006 para internar o usuário, que, na maioria das vezes, já não tem mais discernimento sobre o vício. Hoje, se ele recusar o tratamento, nada se pode fazer além de assistir a sua autodestruição", diz Demóstenes ao Contexto.

Forças Armadas
O projeto de Demóstenes também acrescenta o inciso V ao artigo 5º da Lei 11.343/2006 para incluir as Forças Armadas no combate ao tráfico ilícito de entorpecentes nas fronteiras do País. De acordo com Demóstenes, as medidas contidas em sua proposta visam, sobretudo, a combater o avanço do crack no país. “O crack é uma droga que não tem similar com nenhuma outra em termos dos danos que causam aos seus consumidores. Sendo assim, é preciso uma força especial para evitar que ela destrua nossa geração de jovens”, afirmou o senador Demóstenes. De acordo com especialistas e dados da Polícia Federal, a fronteira com a Bolívia é a principal porta de entrada da cocaína no Brasil. “É preciso intensificar, endurecer o jogo. Só o exercito tem capacidade para coibir o tráfico de drogas nas fronteiras do País”, afirmou o senador.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Secretaria de Cultura tem inscrição para ciclo de oficinas

10/01/2019

O aperfeiçoamento técnico e artístico na sétima arte é um dos focos do Anápolis Festival de Cinema (AFC). As inscriçõ...

Havan registra R$ 7 bilhões de faturamento em 2018

10/01/2019

O grupo Havan comemora os excelentes resultados obtidos em 2018. As 120 lojas (uma delas em Anápolis), juntas, somaram um fa...

Especialista dá dicas para comprar bem e economizar

10/01/2019

Para quem tem filhos, um dos maiores gastos do início do ano, sem dúvida, é o material escolar. A situação pode ficar ai...

Aprovada lei que exige identificação biométrica nos estádios em Goiás

10/01/2019

O Governador Ronaldo Caiado (DEM) sancionou sua primeira lei e a primeira do ano de 2019, no último dia 03, quinta-feira. Ap...