(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Senado trabalha novas formas de proteção ao consumidor

Economia Comentários 16 de agosto de 2013

Embora tenha registrado muitos avanços na política de proteção à bolsa popular, o Código de Defesa do Consumidor ainda carece de adaptações


Está em tramitação no Senado Federal, uma série de propostas para melhorar as relações comerciais entre empresas e os cidadãos. Para tanto, foi formada uma comissão específica responsável pela modernização do Código de Defesa do Consumidor. Ela já recebeu 106 emendas aos projetos sob sua análise, segundo informou o senador Humberto Costa (PT-PE). Os textos serão publicados, na próxima semana, no Diário do Senado e retornarão à comissão para exame dos projetos e das emendas. O projeto de Lei Suplementar 281/2012, que atualiza os dispositivos do Código de Defesa do Consumidor sobre comércio eletrônico, recebeu 31 emendas, o de número 282, que disciplina as ações coletivas, recebeu 33 emendas, e o 283/2012, que trata de crédito ao consumidor e prevenção do superendividamento, obteve 42 emendas.
Estes projetos, assinados pelo então presidente do Senado, José Sarney, derivam do trabalho de uma comissão especial de juristas criada em dezembro de 2010 e presidida pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça Herman Benjamin. A comissão especial promoveu 37 audiências públicas com senadores, procuradores da República e organismos de defesa do consumidor. Os especialistas apresentaram propostas nas áreas de comércio eletrônico, ações coletivas e superendividamento do consumidor, transformadas em três projetos de lei.
Novas regas
De acordo com a Mesa Diretora do Senado, as novas regras do PLS 281/2012 tratam da divulgação dos dados do fornecedor, da proibição de spams, do direito de arrependimento da compra e das penas para práticas abusivas contra o consumidor. O PLS 282/2012 disciplina as ações coletivas, assegurando agilidade em seu andamento na Justiça e prioridade para seu julgamento, além de garantir eficácia nacional para a decisão dos casos, quando tiverem alcance em todo o território brasileiro. Já o PLS 283/2012 regulamenta o crédito ao consumidor e previne o superendividamento. Entre as medidas propostas no texto estão a proibição de publicidade de crédito com referência a “crédito gratuito”, “sem juros”, “sem acréscimo” e expressões semelhantes.

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Inadimplência das micro e pequenas cresce no Brasil

16/02/2018

Em dezembro/2017 o número de micro e pequenas empresas inadimplentes chegou a 4,937 milhões, de acordo com estudo da Serasa...

Inadimplência no comércio varejista tem acréscimo de 16,85% em janeiro

15/02/2018

A inadimplência nas vendas a crediário e com cheques pré-datados no comércio varejista aumentou 16,85%, conforme revela a...

Ministro das Cidades prestigia celebração dos 82 anos da ACIA

09/02/2018

A Associação Comercial e Industrial de Anápolis comemorou, na última quarta-feira, 07, o aniversário de 82 anos de funda...

Contribuintes municipais terão ano fiscal com mais alívio no bolso

01/02/2018

O contribuinte anapolino deve ter um pouco mais de dinheiro no bolso este ano. A secretaria municipal da Fazenda está finali...