(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Secretaria diz que paralisação não se justifica

Educação Comentários 03 de fevereiro de 2012

Temor é que mais de 600 mil estudantes sejam prejudicados com o movimento


A Secretaria de Estado da Educação informou, através de nota oficial, que o Estado de Goiás já paga o Piso Salarial dos Professores, conforme compromisso firmado com a categoria, no valor de R$ 1.395,00 neste mês de janeiro e de R$ 1.460,00 a partir de fevereiro. Somente a partir deste início de ano foram investidos, por parte do governo do Estado, mais de R$ 330 milhões – incluindo os valores do bônus Reconhecer – na valorização do profissional da Educação.
“Além disso, a Educação pública é um serviço essencial para a população e os estudantes da rede pública estadual não podem ter este direito negado. Diante destes fatos, a Secretaria de Estado da Educação afirma que esta paralisação não se justifica e que tomará, portanto, todas as medidas legais cabíveis para restabelecer a rotina nas escolas da rede pública estadual”, destaca a nota.
A secretaria reforça ainda que a valorização do professor e o fortalecimento da carreira do magistério são a base da reforma educacional que visa elevar a qualidade do ensino público no estado de Goiás. A despeito de todas as dificuldades financeiras vivenciadas em 2011 pelo governo do Estado, foi instituído o Piso Salarial para os professores acima do piso nacional e ampliadas significativamente as chances de ascensão profissional a todos os educadores da rede estadual.
A Secretaria da Educação lembra que a eficiência no ensino aos cerca de 600 mil estudantes das escolas estaduais é a principal meta desta gestão. E que, para alcançar esse objetivo, o Governo do Estado criou mecanismos de estímulos aos educadores da rede, com programas como o Reconhecer, de bonificação ao empenho e reconhecimento de méritos, que serão ampliados aos demais trabalhadores da educação.
De acordo ainda com a Secretaria da Educação, as mudanças salariais aliadas à política de desempenho dão novas perspectivas aos professores em Goiás e mantém todas as conquistas dos trabalhadores da educação no estado.
Centralizada - A Secretaria de Estado da Educação reconhece o direito à manifestação, mas lamenta profundamente a tentativa de invasão da Centralizada, no Setor Oeste, em Goiânia. A secretaria também repudia a estratégia utilizada pelo sindicato de tirar estudantes - menores de idade – de salas de aula sem autorização dos pais e incitá-los a pular os muros e invadir a secretaria. Os alunos têm direito a assistir aulas nas escolas da rede pública estadual.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Educação

UniEVANGÉLICA se torna sede de Associação Internacional ligada à engenharia de aquecimento

17/05/2018

A partir de maio, a UniEVANGÉLICA será a sede da representação estudantil da ASHRAE (Associação Americana de Engenheiro...

Jovem aprovado para mestrado com “diagóstico” de empresa familiar

17/05/2018

O aluno Renato de Souza Gonçalves já conquistou muito em sua vida profissional. Como principal administrador de uma empresa...

Jovem aprovado para mestrado com “diagóstico” de empresa familiar

17/05/2018

O aluno Renato de Souza Gonçalves já conquistou muito em sua vida profissional. Como principal administrador de uma empresa...

Faculdade Raízes vence o 1º Júri Simulado promovido pela OAB

10/05/2018

A equipe de estudantes da Faculdade Raízes de Anápolis venceu no dia 5 de maio, o 1º Concurso de Júri Simulado realizado ...