(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

SANAEGO vai à Câmara Municipal prestar contas sobre o trabalho

Cidade Comentários 23 de novembro de 2018

Na audiência pública, a empresa cobrou a assinatura do novo contrato, que vai viabilizar um investimento de R$ 115 milhões no sistema


Anápolis terá uma cobertura de 92% de esgoto até 2022, afirmou a gerente da Saneago na cidade, Tânia Valeriano, em sessão especial realizada nestaa quinta-feira,22, na Câmara Municipal. “É um índice notável e representará muito para nossa saúde pública”, destacou a profissional, relacionando a importância do saneamento básico para a melhoria da qualidade de vida da população.
A sessão especial de prestação de contas da Saneago é determinada pela lei nº 3967, de 13 de junho de 2018, fruto de uma propositura do vereador Teles Júnior (PMN), que presidiu a reunião no plenário Teotônio Vilela.
“Essa Casa de leis representa a população e ao entender que existe um contrato de prestação de serviço com o Município, e é dever legislativo fazer essa prestação, buscamos o maior nível de transparência possível”, destacou Teles. O vereador do PMN deixou claro que o estabelecimento de uma obrigatoriedade de prestação de contas não representa oposição à empresa de saneamento básico, mas sim a busca de um diálogo para debater falhas e conquistas. Teles Júnior informou ainda que a ata da sessão especial será enviada ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).
No relatório apresentado pela gerente Tânia, foi informado que em Anápolis, 250.050 habitantes contam com esgoto tratado. Os números na área de água tratada são mais significativos: atende 371.482 habitantes.
As perdas de água tratada com vazamentos chegam a 37,97% em Anápolis, de um volume produzido mensalmente de 2,5 milhões de metros cúbicos. Tânia informou que a média nacional é de 38,05%.
A cidade é servida por três sistemas operacionais. O Piancó responde por 80% do abastecimento. O Sistema Daia, que pertence ao distrito agroindustrial, cobre 16% da cidade. Há ainda os poços artesianos, que levam água para 4% de Anápolis.
A gerente citou algumas realizações significativas entre 2017 e 2018. “Foi feita a execução de captação complementar no Ribeiro Capivari e recuperação de áreas de risco, que tinham processos erosivos, um trabalho em parceria com a prefeitura”, disse Tânia. Ela também falou sobre o combate a perdas na cidade. Foram instaladas 105 válvulas redutoras de pressão e eliminados 1117 vazamentos ocultos somente neste ano.
Tânia Valeriano elogiou o comportamento dos produtores rurais da Região do Piancó, que assinaram um termo com a Saneago, estabelecendo a rotatividade da irrigação das plantações no período de estiagem.
Dessa forma, frisou a gerente da empresa, a vazão do córrego não baixou nos momentos mais críticos, evitando comprometimento da captação. “A irrigação foi feita em dias alternados, em horários definidos”, completou Tânia.

Investimentos
Tânia Valeriano demonstrou preocupação em relação a uma possível perda de recursos na ordem de R$ 115 milhões conseguidos pelo Ministério das Cidades, via financiamento na Caixa Econômica Federal.
A gerente disse que é preciso assinar o contrato de programa, que consta em lei do Poder Executivo, já aprovada pela Câmara Municipal. Segundo ela, é preciso, inclusive, fazer um aditivo de prazo na Caixa para que não se perca o contrato. Tânia pediu apoio dos vereadores para que façam gestões e o contrato de programa seja assinado. Sobretudo, disse ela, porque são obras de grande porte que vão demorar entre quatro e cinco anos para ficarem prontas.

Situação da empresa
O vice-presidente da Saneago, Daniel Morais Souza, presente na sessão especial, informou que a empresa vive hoje uma situação financeira tranquila, com superávit nos dois últimos anos, mas precisa de recursos extras para obras de ampliação.
“O saneamento é o primo pobre da infraestrutura e com a crise econômica, o setor teve perdas”, explicou. Mas ele ressaltou que expansões foram feitas em Goiás nos últimos anos, como a interligação do Sistema João Leite ao Rio Meia Ponte, gerando 800 mil litros de água por segundo. É uma obra para Goiânia.
Daniel Morais falou da interligação do Capivari no Piancó, que garantirá água no período de estiagem para Anápolis. “Em 2017 sofremos bastante com a seca, e desde aquele período estamos trabalhando para que agora não passemos pelas mesmas dificuldades”.
O vice-presidente da Saneago informou que alguns equipamentos importantes serão enviados para o distrito de Anápolis, como um caminhão Jetway, para desobstruir tubulações, e dois caminhões retroescavadeira.


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

Baixe o PDF de Edições Anteriores

Arte em Propaganda Arte em Propaganda

+ de Notícias Cidade

Anápolis ganha escola com padrões de alta modernidade e tecnologia

07/12/2018

Parece até uma escola particular. E de primeiro mundo. Cada uma das salas da Escola Municipal Luiz Carlos Bizinotto, localiz...

Desestatização de órgãos municipais tranferirá serviços à iniciativa privada

07/12/2018

Através de um Plano Municipal de Desestatização (PMD), a Prefeitura de Anápolis vai transferir para a iniciativa privada ...

Anápolis aumenta sua participação no bolo do ICMS

07/12/2018

O Conselho Deliberativo dos Índices dos Municípios (Coíncide) aprovou na quarta-feira, 05, o Índice de Participação dos...

FIEG entrega sede própria para a Regional e Sindicatos em Anápolis

07/12/2018

A Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) entregou, na noite da última quarta-feira,05, a sede que abrigará ...