(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Riqueza cresce. Renda é melhor distribuida

Economia Comentários 28 de julho de 2009

Produto Interno Bruto do município e o PIB per capita tiveram crescimento acelerado nos últimos seis anos e evidenciam melhoria na qualidade de vida da população


Vários indicadores demonstram o vigor econômico de Anápolis nos últimos anos. Essa realidade é fácil de ser constata no número de centenas de novos edifícios e casas residenciais construídos em todos os setores da cidade, bem como no excesso de carros nas ruas e a movimentação de consumidores nos shoppings e no comércio tradicional. O que se vê, portanto, reflete os dados estatísticos de maneira bem realista.
Um dos mais importantes indicadores é o Produto Interno Bruto, que representa a soma de todos os bens e serviços produzidos de uma determinada região ou de um país. O PIB anapolino, para se ter uma idéia de R$ 1,3 bilhão em 2000. Passou a R$ 2,3 bilhões em 2003 e no último dado consolidado, de 2006, ficou em R$ 3,7 bilhões.
Mas há outro dado ainda mais relevante: o PIB per capita, que é a divisão do PIB entre a população, o que permite uma amostragem da distribuição de renda. Em 2000, o PIB per capita era de R$ 4,7 mil. Equivale dizer que este o rendimento médio anual do trabalhador. Ou: R$ 391 por mês. Em 2003, o PIB per capita passou para R$ 7.884. Ou: R$ 657 de rendimento médio mensal. E, em 2006, o PIB per capita atingiu a marca de R$ 11.83, o equivalente a uma média salarial de R$ 986.

Emprego
Também são significativos os indicadores sobre o emprego formal no município. Com base em dados da RAIS, em 2000 havia 40.123 trabalhadores com carteira assinada. Esse número subiu para 47.736, em 2003, e no ano de 2007 ficou em 62.761. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, desde 2003, os saldos são positivos na relação entre o número de admissões e desligamentos. Os números: 2003 - 625 novos empregos com carteira -; 2004 -, 2.420 -; 2005 -, 2.611 -; 2006 -, 2.523 -; 2007 -, 3.090; 2008 -, 3.622.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Brasil fechou o ano de 2018 com 62,6 milhões de inadimplentes

17/01/2019

O Brasil fechou o ano de 2018 com aproximadamente 62,6 milhões de brasileiros com CPF negativado. Os atrasos nas contas de ...

Goiás espera resposta do Governo Federal

17/01/2019

A Secretaria da Fazenda esclarece que o trabalho da missão do Ministério da Economia, que está em Goiânia desde segunda-f...

Goiás espera resposta do Governo Federal

17/01/2019

A Secretaria da Fazenda esclarece que o trabalho da missão do Ministério da Economia, que está em Goiânia desde segunda-f...

Anápolis arrecadou mais de R$ 4.5 bilhões em 2018

17/01/2019

A arrecadação de tributos e contribuições federais na área de abrangência da Delegacia de Anápolis da Receita Federal ...