(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Reciclagem: Uma forma de salvar o meio ambiente

Cidade Comentários 30 de julho de 2010

Ambientalistas enxergam na prática da coleta seletiva, uma forma inteligente e salutar de se salvar a natureza, ou o que ainda resta dela. A adesão ao sistema é animadora


Problema enfrentado pela maioria das comunidades brasileiras, em Anápolis, também, sofre-se com os efeitos nocivos da poluição ambiental, causada, principalmente, pela prática de se jogar, nas ruas, nos lotes baldios e nas áreas livres, todo tipo de sujeira, sucata e material tido como inservível. O que muita gente desconhece é que existe, no meio desse lixo urbano, mais conhecido por resíduo sólido, uma riqueza imensurável. Parte da população, entretanto, já aprendeu a viver do processo denominado reciclagem, que consiste no aproveitamento de muito do que se joga fora. Dezenas de bairros da cidade já são contemplados pelo sistema de coleta seletiva, que deve se expandir para as demais regiões.
Os “catadores” desses materiais, além de ganharem dinheiro, ainda ajudam na preservação ambiental, evitando que milhares de garrafas; toneladas de papel; papelão, madeira, metais e outros objetos sejam atirados na rede de captação de água pluvial, nos córregos e nos terrenos baldios. Sem contar que, esta atividade oferece emprego para muitas pessoas, principalmente nas cooperativas que já estão formadas e/ou em formação.
Como funciona
As equipes percorrem a cidade, batendo de porta em porta, distribuindo folhetos explicativos e solicitando o apoio dos moradores para que estes façam a pré-seleção do lixo orgânico e dos recicláveis, passando, depois, para recolher o que for aproveitável. Em Anápolis, segundo cálculos, são recolhidas em média, todo mês, cerca de 250 toneladas, somente de garrafas plásticas, material que, se não fosse reciclado, seria, certamente, lançado no meio ambiente.
O que é
Reciclagem é um termo que está sendo utilizado há mais de 30 anos, quando do início da preocupação com o Meio Ambiente. Porém, por definição, ele agrega o significado de “reciclar”, ou seja, pode ser entendido como sendo o ato pelo qual, através de vários processos, um determinado material retorne ao seu ciclo de produção, após já ter sido utilizado e descartado, para que novamente possa se transformar em um bem de consumo, assim economizando energia e preservando os recursos naturais e o meio ambiente.
Por que reciclar
Os benefícios da reciclagem são inúmeros:
• diminuição da quantidade de lixo a ser aterrado, levando-se em consideração que 30% em peso do lixo gerado corresponde a materiais que poderiam ser reciclados;
• preservação dos recursos naturais: uma tonelada de alumínio reciclado corresponde a cinco toneladas de bauxita; 54 árvores de pinus com altura média de 12 m. e diâmetro médio em torno de 12 cm com densidade básica de 300 kg/seco/m3 corresponde a uma tonelada de pasta celulósica; ou ainda, 34 árvores de eucalipto com altura média de 12 m e diâmetro médio em torno de 12 cm com uma densidade básica de 500 kg.seco/m3. No caso de vidro, cerca de uma tonelada de vidro novo corresponderia a 1,2 tonelada de matéria prima e, no caso do plástico, cada tonelada corresponde a cerca de sete barris de petróleo.
• Economia de energia: processo de fabricação do alumínio cerca de 20 vezes; aço quatro vezes; papel duas vezes, 1 kg de plástico corresponde a 1 litro de petróleo em energia, e no caso do vidro para cada 10% utilizado na mistura tem-se uma economia de 2,4% da energia que seria necessária para a fusão.
• Diminuição da poluição do meio ambiente.

O QUE SE GANHA
Diminuição do lixo no aterro; diminuição da extração de recursos naturais; melhoria da limpeza e higiene da cidade; economia de energia, redução da poluição e geração de empregos.

O quanto se poupa
1000 kg de papel reciclado = 20 árvores poupadas
1000 kg de vidro reciclado = 1300 kg de areia extraída poupada
1000 kg de plástico reciclado = milhares de litros de petróleo poupados
1000 kg de alumínio reciclado = 5000 kg de minérios extraídos poupados

TEMPO DE DECOMPOSIÇÃO:
Papel: 2 a 4 semanas
Tecido de algodão: 1 a 5 meses
Corda: 3 a 4 meses
Meia de lã: 1 ano
Vara de bambu: 1 a 3 anos
Goma de mascar: 5 anos
Estaca de madeira pintada: 13 anos
Lata de conserva: 100 anos
Lata de alumínio: 500 anos
Plástico: 450 anos
Vidro e pneus: Tempo indeterminado

Material orgânico:
Tudo o que é resto de comida, de animais, de plantas e frutas é considerado lixo, propriamente dito. Ou seja, deve ser acondicionado num único recipiente. Esses materiais são recolhidos e levados para aterros sanitários onde vão sofrer a decomposição natural.
Observação: o lixo orgânico deve estar separado daquilo que é reciclável.
Material reciclável:
É praticamente tudo o que é fabricado pelo homem: material plástico; latas de alumínio e ferro; garrafas de refrigerante de vidro e PET; caixas de papel e papelão; jornais; revistas; livros; aparas de papel, etc. Se você mora em casa, reúna-se com sua família e com seus funcionários para estabelecer um método de separação desse material. Dependendo do seu volume diário de lixo, escolha quatro recipientes coloridos para acondicioná-los. Azul para papel; vermelho para plástico, verde para vidro e amarelo para metal. Ou nomeie cada um deles, conforme sua classificação. Se você mora em condomínio, faça esse mesmo trabalho reunindo os moradores, estabelecendo regras e instruindo os empregados.


REDUZIR, REUTILIZAR E RECICLAR
São conceitos fundamentais para um bom gerenciamento dos resíduos sólidos, ou seja, do lixo. São conceitos que devem ser absorvidos, praticados e divulgados.
Podemos REDUZIR a geração do lixo consumindo menos e melhor, isto é, racionalizando o uso de materiais no nosso cotidiano.
Como reduzir? Preferir produtos com embalagens retornáveis; preferir produtos com embalagens recicláveis; combater o desperdício de produtos e alimentos planejando bem as compras; pegar carona sempre que possível; não deixar as torneiras pingando, assinar jornais e revistas em conjunto com outras pessoas e escrever em papel reciclado.
Podemos REUTILIZAR diversos produtos antes de descartar, usando-os para a mesma função original ou criando novas formas de utilização.
Como reutilizar? Separar sacolas; sacos de papel; vidros, caixas de ovos e papel de embrulho que podem ser reutilizados. Usar o verso das folhas de papel já utilizadas para rascunho; pensar em conservar e consertar objetos antes de jogar fora; doar ou vender tudo o que possa ser reaproveitado por outros; não jogar no lixo aparelhos: podem ser vendidos ao “ferro velho” ou desmontados para o reaproveitamento de peças.
E podemos RECICLAR o lixo quando o retornamos ao ciclo da produção, seja ele industrial, agrícola ou artesanal.
Como reciclar? Fazer compostagem doméstica com seus restos de jardim e de cozinha; Separar materiais recicláveis (plásticos, vidros, metais e papéis), para os programas de coleta seletiva.

CUIDADOS COM A COLETA SELETIVA DOMICILIAR
Papel e Papelão Jornais e revistas
cadernos e folhas soltas
Caixas e Embalagens Devem estar limpos e secos. Caixas devem estar desmontadas. Papel higiênico, papel plastificado, papel de fax ou carbono não deve ser colocado junto a esse material.
Metais (ferrosos e não ferrosos) Latas, alumínio e cobre
Pequenas sucatas Devem estar limpos
Vidros Copos, garrafas, potes ou frascos Devem estar limpos
Podem ser inteiros ou quebrados
Não coloque vidros planos, cerâmicas ou lâmpadas
Plásticos
(todos os tipos) Garrafas, sacos e embalagens, brinquedos utensílios domésticos Devem estar limpos e sem tampa

Dicas para praticar os 3Rs: reduzir, reaproveitar e reciclar
Não precisa embrulhar! Recuse o excesso de embalagens no comércio.
Os sacos de papel são feitos de árvores e os de plásticos são feitos de petróleo.
Ambos geram poluição na fabricação.
Se levar sacos de supermercado para casa, reutilize-os como sacos de lixo, mas use com bastante moderação, pois a decomposição leva 100 anos.
Opte por produtos com pouca embalagem ou embalagem reutilizável como potes e vidros.
Evite embalagens não recicláveis. Rejeite o isopor.
Evite usar descartáveis com frequência, como: pratos, garfos, copos e talheres (muito comuns em fast-food).
Compre somente a quantidade que vai consumir.
Escolha produtos duráveis. Adquira brinquedos somente com certificado.
Não compre produtos piratas como: roupas; tênis; CDs; DVDs; produtos de informática; óculos de sol, pilhas, etc. Quanto menos impostos arrecadados, menos investimentos sociais.
No escritório, use somente um copo de plástico por dia ou traga sua caneca de casa.
Em casa prefira usar guardanapos, toalhas e filtros de pano aos de papel.
Recuse folhetos.
Utilize os dois lados da folha de papel para escrever, imprimir ou fazer rascunho. Revise textos na tela do computador antes de imprimir. Poupe árvores.
Reutilize papel de embrulho de presente.
Muitas pessoas já estão divulgando esta idéia por e-mail: Antes de imprimir, pense em sua responsabilidade e compromisso com o Meio Ambiente.
Se você acessa seu banco pela internet, bloqueie o envio de extratos mensais pelo correio (reative quando quiser).
Sempre que possível procure aproveitar integralmente os alimentos como: talos, folhas, sementes e cascas. Ver receitas no site www.mesabrasil.sesc.com.br .
Doe roupas, brinquedos, livros e outros objetos que não têm mais utilidade para você, mas podem ser úteis para outra pessoa. Passe adiante. Algumas instituições recolhem móveis e objetos usados para vender em bazares. Roupas rasgadas servem de trapos para limpeza.
Procure móveis e objetos de segunda mão.
Prefira consertar a substituir objetos.
Não jogue o pinheiro de Natal no lixo. Cuide bem dele até o Natal e depois plante no jardim. Ou utilize árvore sintética.
Leve remédios que não usa, ou vencidos, a um posto de saúde próximo.
Prefira produtos reciclados.
Incentive a comunidade a exigir a coleta seletiva e o fim dos lixões a céu aberto. Cobre iniciativas do prefeito.
Não jogue, no lixo, baterias de celular, lâmpadas, restos de tinta ou produtos químicos. Em caso de dúvidas de descarte, ligue para o serviço de atendimento do fabricante.
Cobrar das prefeituras mais empenho em viabilizar e criar cooperativas e associações de catadores de material reciclável.
Não leve pneus velhos para casa, nem os abandone em qualquer lugar. Eles atraem mosquitos transmissores de doenças como a dengue.

Autor(a): Nilton Pereira

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Cidade

Câmara Municipal de Anápolis vai ter seu hino oficial em breve

15/06/2017

O vereador Teles Júnior (PMN) informou, durante o uso da tribuna, na sessão ordinária da última segunda-feira,12, que pro...

Presidente da UVG defende 13º e férias para os vereadores

09/06/2017

Em visita à Câmara Municipal de Anápolis, na manhã da última quarta-feira,07, o Presidente da União dos Vereadores de G...

Anápolis ainda tem muito caminho para melhorar em informação

02/06/2017

Criada em 2011, a Lei de Acesso à Informação ainda não é aplicável de forma plena por boa parte dos municípios brasile...

MP pode aliviar dívida municipal com o INSS

18/05/2017

Durante a marcha dos prefeitos à Brasília, na terça-feira,16, o Presidente Michel Temer assinou uma Medida Provisória amp...