(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Que venha a campanha

Contexto Político Comentários 01 de julho de 2010

O eleitor já tem, agora, condições de começar a avaliar as peças do jogo eleitoral de 2010 para o Governo do Estado.


Que venha a campanha
O eleitor já tem, agora, condições de começar a avaliar as peças do jogo eleitoral de 2010 para o Governo do Estado. Nomes e alianças foram discutidos e aprovados nas convenções dos partidos, que se encerraram na última quarta-feira, 30.
Em Goiás, o PSDB e o DEM caminharão juntos para tentar eleger, como sucessor de Alcides Rodrigues, o senador tucano Marconi Perillo, tendo como vice na chapa o democrata José Éliton Júnior, advogado, que pela primeira vez estará disputando uma eleição.
O PMDB terá como principal aliado o PT, com Iris Rezende na cabeça de chapa e outro peemedebista como vice, o deputado federal Marcelo Melo.
O PR confirmou a candidatura de Vanderlan Cardoso, que terá a seu lado, como vice, o deputado estadual Ernesto Roller, do PP (partido ao qual pertence o Governador Alcides Rodrigues).
O PSOL também lançou candidatura própria, Washington Fraga contará com apoio do PCB e do PSTU na corrida eleitoral, candidatura essa que ele afirma ser a única legítima representante da esquerda.

Aliados I
O PSDB do candidato ao governo Marconi Perillo, sai na frente com o número de partidos arregimentados em sua aliança para o pleito de 2010. Os tucanos terão como aliados as legendas do DEM, PMN, PHS, PRTB, PT do B, PRB, PTC, PTB e PPS.

Aliados II
O PR, do candidato Vanderlan Cardoso também conseguiu arrebanhar um bom número de partidos em sua coligação. Contará com o apoio do PP, PSD, PDT, PRP, PSDC, PSC, PV e PTN.

Aliados III
O PMDB terá como aliados o PT e o PC do B para apoiar a candidatura majoritária de Iris Rezende. Apesar de menor, a aliança PMDB-PT terá o segundo maior espaço no horário eleitoral gratuito de rádio e TV, muito próximo do espaço conquistado pela aliança liderada pelo seu principal adversário, o PSDB.

Aliados IV
O PSOL, do candidato Washington Fraga, terá como aliados o PCB e o PSTU. A aliança é tida como radical de esquerda e já mandou recado que é adversária ferrenha dos outros três postulantes: Iris, Marconi e Vanderlan.

Sem Caiado
O deputado Ronaldo Caiado, presidente regional do Democratas, liberou o partido para a aliança com o PSDB, mas não pisará os pés no palanque do senador Marconi Perillo. Ele afirmou que atendeu aos clamores dos seus companheiros de legenda, mas vai se manter equidistante do processo para eleição majoritária ao Governo do Estado, cuidando mais de sua campanha para a reeleição à Câmara Federal. “Estaria apagando a minha história política se participasse dessa campanha”, disse Caiado, em entrevista à Rádio São Francisco.

Comentário
O senador Demóstenes Torres, candidato à reeleição pelo DEM, comentou a decisão de Caiado que, segundo ele, foi coerente. “Não podia ser diferente, ele é de Anápolis e assina Caiado, então só poderia manter a palavra”.

Azul
Na convenção que homologou a sua candidatura ao Governo de Goiás, o senador Marconi Perillo vestiu-se com uma camisa azul, que foi um símbolo de sua primeira campanha, em 1998. No seu discurso, o candidato evitou fazer críticas ao Governador Alcides Rodrigues, a quem ajudou eleger no pleito passado e que, agora, está em terreno adversário. “Vamos deixar o retrovisor de lado e ir à luta”, ressaltou.

Puro sangue
O PMDB vai de chapa puro sangue buscar a eleição para o Palácio das Esmeraldas. A indicação da vice pelo Partido dos Trabalhadores acabou não vingando e a opção feita foi a indicação do deputado federal Marcelo Melo. Marina Santana e Valdi Camárcio, que eram cotados para a vaga, irão concorrer entre os postulantes às 17 vagas de Goiás para a Câmara Federal.

Senado
Os partidos também homologaram nas convenções os candidatos majoritários ao Senado da República. Adib Elias e Pedro Wilson serão os candidatos da aliança PMDB-PT. A coligação PR-PP fechou com a candidatura do pepista Paulo Roberto Cunha e deixou a outra vaga em aberto, para ser preenchida no fechamento da ata da convenção. O PSDB e o DEM não apresentaram novidades, os indicados são os candidatos à reeleição Lúcia Vânia e Demóstenes Torres. A coligação PSOL-PSTU terá as candidaturas de Elias Vaz e Rubens Donizete.

Federais
A Câmara Municipal terá dois candidatos disputado uma cadeira de deputado federal por Goiás. A vereadora Mirian Garcia disputará a vaga pelo PSDB. Uma surpresa, já que a mesma não havia manifestado essa intenção. Era dúvida, se seria ou não candidata a deputada estadual. Outra candidatura é a do vereador Domingos de Paula, que entra no páreo na chapa do PTB.

Estaduais
Para a Assembleia Legislativa, a Câmara Municipal terá cinco postulantes a uma das 41 vagas do parlamento goiano. Vão concorrer ao cargo os vereadores Fernando Cunha (PSDB), Dinamélia Rabelo (PT), Sírio Miguel (PSB), Carlos Antônio (PSC) e Assef Nabem (PMDB).

Presidência
As candidaturas à Presidência da República também já estão prontas para colocar o bloco na rua. A coligação PT-PMDB encabeçada por Dilma Rousseff e Michel Temer. O PSDB de José Serra definiu como vice o deputado federal Índio da Costa (DEM-RJ). O Partido Verde vai de Marina Silva com o empresário Guilherme Leal, dono da marca de cosméticos Natura na vice. O PSOL homologou a candidatura de Plínio Arruda Sampaio, mas deixou em aberto a vice, ainda não divulgado até o fechamento da coluna.

Lá e cá
Até o último momento, o PSB ficou dividido entre apoiar a candidatura de Marconi Perillo (PSDB) e a candidatura de Vanderlan Cardoso (PR). O presidente regional da legenda Barbosa Neto. Na convenção, ele justificou a decisão do partido em caminhar com os republicanos e pepistas: “A consciência do momento que Goiás vive foi o que levou o PSB a essa decisão. Mas desde 2006 alimentamos a possibilidade de criar uma alternativa para o Estado”.

Reeleição
O deputado federal Rubens Otoni, que chegou a ser cotado para a vaga de vice na aliança PMDB-PT, segue o caminho que seria o mais natural: a candidatura à reeleição. Permanecendo na Câmara Federal, o parlamentar tem mais condições de ajudar o irmão Antônio Gomide na Prefeitura de Anápolis e, de quebra, ganha uma condição melhor de trabalhar a candidatura de Dilma Rousseff em Goiás.

Emocionado
Ao discursar na convenção em que seu nome foi homologado para disputar o Governo de Goiás pelo PMDB, Iris Rezende, 76 anos de idade, 56 de carreira, disse que vive um momento ímpar de sua vida. “Agradeço a Deus por essa oportunidade de estar, novamente, colocando meu nome à disposição para ajudar Goiás a crescer cada vez mais, e posso afirmar que estou com o mesmo vigor de quando tinha 50 anos e me candidatei pela primeira vez para o cargo de governador”, disse.

Calendário I
De acordo com o calendário eleitoral, na segunda feira, 05, é o último prazo até às 19 horas, para que os partidos políticos e coligações apresentem ao TSE e aos tribunais regionais eleitorais o requerimento de registro dos candidatos a presidente e vice-presidente da República e os registros dos candidatos a governador e vice-governador, senador e respectivos suplentes, deputado federal, deputado estadual ou distrital.

Calendário II
A partir da próxima terça-feira, 06, o calendário eleitoral abre a permissão para a propaganda eleitoral através de comícios, carros de som, instalação de comitês e também a propaganda na internet. O horário gratuito eleitoral no rádio e na televisão, entretanto, só começa no mês de agosto próximo.

Documentos
A Justiça Eleitoral está divulgando um comunicado aos eleitores que, para votar nas eleições de três de outubro próximo, será obrigatório a apresentação do título de eleitor e de um documento original que contenha foto. Serão aceitos, juntamente com o título, a Carteira de Identidade, Carteira de Trabalho, Carteira de Habilitação, Identidade Funcional ou Certificado de Reservista.

Mesários
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-GO) está fazendo um chamamento aos interessados em trabalhar como mesário voluntário no pleito de outubro. As inscrições podem ser feitas através do Cartório Eleitoral de Anápolis ou, ainda, através do site: www.tre-go.gov.br
Agenda
O presidente da Câmara Municipal, vereador Sírio Miguel, não vê problema em quase a metade dos parlamentes saírem candidatos nas eleições próximas. Segundo ele, que também é candidato, concorrendo a uma vaga na Assembleia Legislativa, será possível conciliar a campanha com as atividades da Casa.

Aumentos...
A Assembleia Legislativa aprovou esta semana, em primeira votação, vários projetos da governadoria concedendo aumento para categorias de servidores públicos estaduais. Entre os projetos aprovados também está o que promove reajuste nos vencimentos básicos dos cargos de provimento efetivo de docente do Ensino Superior da Universidade Estadual de Goiás - UEG. O impacto financeiro é de R$ 532.387,00 para 2010; R$ 4.913.341,00 para 2011 e R$ 9.828.682,00 no ano seguinte.

...E cargos
Outro projeto aprovado é o que altera a Lei nº. 16.921 para a criação de 50 cargos de gestor da Tecnologia da Informação, de provimento efetivo, integrantes do grupo ocupacional de gestor governamental, na Secretaria da Fazenda. O impacto financeiro das despesas no orçamento estadual é de, no máximo, R$ 1.396.717,00, em 2010, e de R$ 2.793.433,00, em 2011 e 2012.

Meia-entrada
A Secretaria da Educação vai emitir gratuitamente a todos os professores da rede estadual a carteira de identificação profissional, com a qual os mesmos terão os benefícios da Lei Estadual n.º 14.975 que prevê o direito de meia-entrada em estabelecimentos de lazer e entretenimento, como cinemas, teatros, espetáculos musicais, circenses entre outros. A legislação abrange também os professores aposentados O formulário de requerimento da carteira funcional e o ofício circular da Secretaria sobre o benefício podem ser acessados na página www.see.go.gov.br, na seção Documentos Importantes.

Ficha limpa I
O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Ricardo Lewandowski, recebeu do presidente do Tribunal de Contas (TCU), ministro Ubiratan Aguiar, a relação de gestores públicos, ocupantes de cargos ou funções, que tiveram suas contas julgadas irregulares . De acordo com a Lei das Inelegibilidades (64/90), os que tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável que configure ato doloso de improbidade administrativa, e por decisão irrecorrível do órgão competente, não podem se candidatar a cargo eletivo nas as eleições que se realizarem nos 8 (oito) anos seguintes, contados a partir da data da decisão.

Ficha limpa II
O interessado pode concorrer apenas se esta decisão tiver sido suspensa ou anulada pelo Poder Judiciário. De acordo com a lista, em todo o país 7.854 contas foram julgadas irregulares de 4.922 gestores. Deste total, a maioria provém do Maranhão (728), seguido da Bahia (700), Distrito Federal (614) e Minas Gerais (575). O Estado de Goiás tem 191 nomes incluídos na lista, que não traz nenhum político de Anápolis na relação. O TCU não declara a inelegibilidade de responsáveis por contas julgadas irregulares. Essa competência é da Justiça Eleitoral.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Contexto Político

Clique na imagem para ver a coluna - Ed.623

26/05/2017

Contexto Político...

Clique na imagem para ver a coluna - Ed.622

18/05/2017

Contexto Político...

Clique na imagem para ver a coluna - Ed.621

11/05/2017

Contexto Político...

Clique na imagem para ver a coluna - Ed.620

05/05/2017

Contexto Político...