(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Quatro assassinatos nesta semana mobilizam a Polícia Civil

Violência Comentários 23 de janeiro de 2015

Três mortes foram registradas na região urbana e uma no distrito de Joanápolis. Em 2015, oito assassinatos foram registrados, a metade dos registros no mesmo período de 2014. Delegado do Grupo de Investigação de Homicídios aponta que Central de Flagrantes Itinerante, aumento do efetivo, parcerias entre as polícias Civil e Militar e atuação nas chamadas “manchas criminais” têm contribuído para diminuir o número de mortes violentas.


Pedro Henrique Santana de Oliveira, 21, que era conhecido como “Feijão”, foi assassinado na terça-feira, 20, no bairro JK Nova Capital. O caso, que ocorreu por volta das 17 horas, e está sob a investigação da Polícia Civil. O delegado adjunto do Grupo de Investigação de Homicídios de Anápolis (GIH), Vander Coelho, informou que o crime é “atípico” para aquela localidade. Sobre o fato, destacou que uma “pessoa que teve um desacordo com ele” cometeu o assassinato com arma de fogo. E acrescentou que a vítima tinha diversas passagens pela Polícia.
Vagner Bernardes, 33, morreu assassinado com arma de fogo no mesmo dia, no Jardim Alvorada. O caso ocorreu na madrugada de segunda (19) para terça-feira (20). O delegado Vander Coelho detalhou que aquele setor, juntamente com outros bairros, como o Alvorada e “bairros que rodeiam, costumam ter número elevado de crimes de morte”. E, na quarta-feira, 21, pela manhã, no distrito de Joanápolis, foi encontrada uma vítima de homicídio morta a facadas. Até o fechamento desta edição o corpo se encontrava no IML. O bacharel acredita, pelas condições do cadáver, que o crime tenha ocorrido esta semana. “Em todos eles (casos citados), uma equipe da Delegacia esteve no local”, destacou, informando que inquéritos policiais já foram abertos para os casos.
Quadro-geral
Oito casos de homicídios foram registrados em 2015 na Polícia Civil neste ano e se encontram sob os cuidados do Grupo de Investigação de Homicídios, a metade dos registros de 2014. Dois deles já foram averiguados e a Polícia está em busca dos suspeitos, fator que coloca os fatos em situação de sigilo. O delegado Vander Coelho indica que é um “número alarmante”, mas destaca a diminuição ocorrida. Ele enfatizou que “desde o ano passado a equipe aumentou”, o que explica a redução do número de assassinatos. Ele indicou ainda que, “de 2013 a 2014, houve uma redução de homicídios” em 20%. Este dado foi divulgado pelo Jornal Contexto na sua edição de 05 a 11 de dezembro de 2014.
Além do aumento do efetivo, a aquisição de novos equipamentos para a Polícia Civil e a existência de uma Central de Flagrantes funcionando no mesmo prédio que a GIH, no 1º DP, tem fortalecido o trabalho de redução dos assassinados. Uma estratégia utilizada pela Polícia Civil é deslocar a equipe da Central para os setores onde o crime ocorre, promovendo a chamada Central de flagrantes Itinerante. “A ideia é aumentar, ainda mais, esta central”, explicou o delegado Vander. Uma parceria com a Polícia Militar tem permitido maior atuação nas chamadas “manchas criminais”, locais identificados como sendo de maior risco. Um dos objetivos, conforme mencionou, é “diminuir o número (de casos de homicídios) ainda mais em 2015”.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Violência

Anápolis aparece em relação das cidades mais violentas do Brasil

09/06/2017

Em 2015, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes de Anápolis, ficou em 40,9. Somada às Mortes Violentas com Causa Inde...

Governo diz que Goiás é um dos estados com menor índice criminal

09/06/2017

Os índices de criminalidade em Goiás apresentam queda sequenciada a partir de 2016. Na comparação entre janeiro e maio de...

Judiciário quer ações práticas para reduzir criminalidade em Anápolis

02/06/2017

A busca de soluções para o crescente aumento do índice de criminalidade em Anápolis foi debatida no final da tarde da úl...

Emanuelle Muniz e Emanuelle Ferreira: passageiras da agonia

04/05/2017

Emanuelle Muniz Gomes tinha 21 anos. Era transexual. Bela; extrovertida; meiga, alegre e filha carinhosa. Apesar da pouca ida...