(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Quase 100 mil anapolinos revelam ter alguma deficiência

Geral Comentários 23 de setembro de 2012

Pesquisa é uma referência importante para que os municípios possam elaborar as suas políticas públicas para essa classe de pessoas


Em tempos de campanha eleitoral, as promessas de apoio aos portadores de deficiência física costumam ser recorrentes. Mas, será que todos os candidatos conhecem, de fato, a realidade do País e do Município? A resposta pode estar num recorde do Censo do IBGE de 2010, que traz uma amostragem do quadro e serviria, sem dúvida, de referência para as políticas públicas que podem e devem ser desenvolvidas em benefício a esta classe de pessoas.
Em Anápolis, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 92.660 pessoas residentes declararam ter uma das deficiências investigadas pelo Instituto (Visual; Auditiva, Motora e MentalIntelectual). Para cada deficiência, foi questionado o grau da deficiência, sendo: não consegue de modo algum; tem grande dificuldade, ou, tem alguma dificuldade. Portanto, o total de pessoas com algum tipo de deficiência, de grave a branda, corresponde a 27,69% da população censitária de 2010 (334.613 habitantes). No total, são 52.268 portadores de alguma deficiência visual; 15.695 deficientes auditivos, 20.859 portadores de deficiência motora e 3.838 portadores de deficiência mentalintelectual.
Conforme a pesquisa, as pessoas completamente cegas somam 670; as que têm grande dificuldade em enxergar, 8.413 e as que possuem apenas alguma dificuldade, 43.185 pessoas. As pessoas com deficiência auditiva grave somam 550; as que revelaram ter problema moderado, 2.944 e as que têm pequena dificuldade em ouvir, 12.201 indivíduos. Ainda, segundo o IBGE, 1.078 têm deficiência motora grave; 5.745 têm grande dificuldade e 14.036, alguma dificuldade. As pessoas com deficiência mentalintelectual somam 3.838, o maior registro entre os grupos investigados.

Variáveis
O IBGE levantou, também, na amostragem dados por localização, faixa etária e rendimento. Os principais resultados apontam a predominância dos portadores de deficiência física está na zona urbana: 91.095, sendo 53.076 mulheres e 38.019. Os portadores de algum tipo de deficiência na zona rural somam apenas 1.565, sendo 802 mulheres e 763 homens. Quanto à faixa etária, a maior predominância, entre as pessoas ocupadas, está dos 45 aos 49 anos no sexo masculino, com 2.736 pessoas e nesta mesma faixa no sexo feminino, com 2.331 pessoas. No grupo das pessoas não ocupadas, a maior predominância é na faixa etária de 10 a 14 anos: 1.233 pessoas, no sexo masculino e, no sexo feminino, na faixa etária de 60 a 64 anos, com 2.486 pessoas.
Quanto à variável de rendimento, na pesquisa, a maior predominância é para os grupos que recebem de meio a um salário e meio em praticamente todos os tipos da amostragem, havendo apenas um registro maior, de pessoas que ganham de 5 a 10 salários mínimos, entre os deficientes visuais totalmente incapazes de enxergar.

Tipos de deficiências registrados pelo IBGE

Deficiência visual
Foi pesquisado se a pessoa tinha dificuldade permanente de enxergar (avaliada com o uso de óculos ou lentes de contato, no caso de a pessoa utilizá-los), de acordo com a seguinte classificação:
- Não consegue de modo algum - para a pessoa que declarou ser permanentemente incapaz de enxergar;
- Grande dificuldade - para a pessoa que declarou ter grande dificuldade permanente de enxergar mesmo que use óculos ou lentes de contato;
- Alguma dificuldade - para a pessoa que declarou ter alguma dificuldade permanente de enxergar, ainda que use óculos ou lentes de contato; ou - Nenhuma dificuldade – para a pessoa que declarou não ter qualquer dificuldade permanente de enxergar, ainda que precise usar óculos ou lentes de contato.

Deficiência auditiva
Foi pesquisado se a pessoa tinha dificuldade permanente de ouvir (avaliada com o uso de aparelho auditivo, no caso de a pessoa utilizá-lo), de acordo com a seguinte classificação:
- Não consegue de modo algum - para a pessoa que declarou ser permanentemente incapaz de ouvir;
- Grande dificuldade - para a pessoa que declarou ter grande dificuldade permanente de ouvir, mesmo que use aparelho auditivo;
- Alguma dificuldade - para a pessoa que declarou ter alguma dificuldade permanente de ouvir, ainda que use aparelho auditivo; ou
- Nenhuma dificuldade - para a pessoa que declarou não ter qualquer dificuldade permanente de ouvir, mesmo que necessite usar aparelho auditivo.


Deficiência motora
Foi pesquisado se a pessoa tinha dificuldade permanente de caminhar ou subir escadas (avaliada com o uso de prótese, bengala ou aparelho auxiliar, no caso de a pessoa utilizá-lo), de acordo com a seguinte classificação:
- Não consegue de modo algum - para quem declarou ser permanentemente incapaz, por deficiência motora, de caminhar e/ou subir escadas sem a ajuda de outra pessoa;
- Grande dificuldade - para a pessoa que declarou ter grande dificuldade permanente de caminhar e/ou subir escadas sem a ajuda de outra pessoa, mesmo usando prótese, bengala ou aparelho auxiliar;
- Alguma dificuldade - para a pessoa que declarou ter alguma dificuldade permanente de caminhar e/ou subir escadas sem a ajuda de outra pessoa, ainda que use prótese, bengala ou aparelho auxiliar; ou
- Nenhuma dificuldade - para a pessoa que declarou não ter qualquer dificuldade permanente de caminhar e/ou subir escadas sem a ajuda de outra pessoa, ainda que necessite usar prótese, bengala ou aparelho auxiliar.


Deficiência mental ou intelectual
Foi pesquisado se a pessoa tinha alguma deficiência mental ou intelectual permanente que limitasse as suas atividades habituais, como trabalhar, ir à escola, brincar etc. A deficiência mental é o retardo no desenvolvimento intelectual e é caracterizada pela dificuldade que a pessoa tem em se comunicar com outros, de cuidar de si mesma, de fazer atividades domésticas, de aprender, trabalhar, brincar etc. Em geral, a deficiência mental ocorre na infância ou, até, os 18 anos. Não se considerou como deficiência mental as perturbações ou doenças mentais como autismo, neurose e esquizofrenia.
(Fonte: Notas Técnicas, Resultados Preliminares da Amostra, IBGE, 2011)

Resultados apurados no Brasil
População total: 190.755.799 (100,0%)

Pelo menos uma das deficiências investigadas*: 45.623.910 (23,9%)
Nenhuma dessas deficiências: 145.084.578 (76,1%)
*As pessoas incluídas em mais de um tipo de deficiência foram contadas apenas uma vez.
Deficiência Visual - 35.791.488
Não consegue ver de modo algum - 528.624
Grande dificuldade - 6.056.684
Alguma dificuldade - 29.206.180
Deficiência Auditiva - 9.722.163
Não consegue de modo algum - 347.481
Grande dificuldade - 1.799.885
Alguma dificuldade - 7.574.797
Deficiência Motora - 13.273.969
Não consegue se locomover de modo algum - 740.456
Grande dificuldade - 3.701.790
Alguma dificuldade - 8.831.723
Deficiência Mental/Intelectual - 2.617.025
(Fonte: IBGE - Censo Demográfico 2010 - Resultados Preliminares da Amostra)

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Adoção de selo eletrônico é adiada

22/06/2017

A Secretaria da Fazenda informa que a obrigatoriedade de uso do Selo Fiscal Eletrônico para as embalagens descartáveis de ...

Jovem anapolino abre portas para o difícil universo das fragrâncias

15/06/2017

O jovem anapolino Helder Machado Owner é um exemplo de que o empreendedorismo não tem barreiras. A primeira coisa para aven...

Subseção da OAB entrega Moção a juíza de Anápolis

09/06/2017

A juíza titular da 2ª Vara de Família e Sucessões da comarca de Anápolis, Aline Vieira Tomás, recebeu, na segunda-feira...

Controle da folha de pagamento é um desafio para a Prefeitura

02/06/2017

Dentro do que preconiza a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), o Prefeito Roberto Naves e a equipe econômica apresentaram, ...