(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Qual é o estilo de dança preferido dos anapolinos?

Geral Comentários 08 de maro de 2013

Ritmos como arrocha, axé e o forró convivem nas escolas lado a lado com os tradicionais como tango, bolero e salsa. Procura do público masculino por academias de dança tem aumentado


Os ritmos dançantes estão passando por um momento especial em Anápolis. Quem procura as escolas de dança está mais adepto de ritmos como forró, arrocha e axé. “Como em todo o mundo, o que está na mídia é sucesso e modismo, a onda do momento é o ‘arrocha’. Então, a maioria quer aprender o ritmo”, afirmou o professor de dança Hezio Franco. Mas, os estilos tradicionais não estão perdendo seu espaço. “Eles sempre vão estar na procura, nunca vão cair no esquecimento, devido a suas músicas poéticas, elaboradas, bem feitas, com letras belas e sem duplo sentido”, destacou o professor.
Os estilos de aulas, segundo o professor de dança, são divididos por modalidade e horários diferentes, com faixa etária a partir de 12 anos. “Todas as classes sociais são bem vindas e se unem nas aulas. Não temos um estilo para cada classe. Elas, sempre, querem de tudo um pouco. O ritmo do momento é sempre mais procurado”. Na escola em que atua, são ensinados os estilos a dois, como dança de salão; salsa; zouk, forró, tango e os solos, como axé, funk e arrocha.
Para ele “somos, ainda, um público engatinhando no quesito dança, mas estamos num processo de evolução. Até tempos atrás mal se ouvia ou via falar sobre dança. Agora, temos um público bom que procura a dança”. Quanto à projeção da Cidade nesta área, “conseguimos colocar Anápolis já no alvo dos professores renomados do Brasil. Como uma cidade que dança, já trouxemos vários nomes da área para ministrarem curso aqui tais como: Jaime Arôxa; Lídio Freitas; Adílio Porto; Bianca Gonzáles, Cristovão Christianis, Fabiano Vivas e outros”.
Homens e mulheres
Os homens parecem estar cada vez mais adeptos das escolas de dança. Segundo o professor Hezio Franco, “a procura masculina aumentou muito. E, mais: hoje em Anápolis a classe masculina está dançando melhor do que a feminina”. Para ele, “infelizmente ainda em pleno ano de 2013 temos alguns homens com machismo e preconceito em relação à dança. Acho que isso se deve ao fato de ser uma cidade do interior, onde a evolução, cultura e informação demoram, um pouco mais, a chegar”.
Benefícios
A dança pode ser uma aliada da saúde e da autoestima. “Temos dados científicos comprovados com melhoras de quase 100% a respeito da influência da dança na autoestima das pessoas. Não só a autoestima, mas também a depressão, solidão, sedentarismo”. Diabéticos e cardíacos também podem ser beneficiados por, segundo ele, a dança “ser uma atividade física de corpo e mente”. Hezio também afirmou que dançar “salva vários casamentos, pois a dança faz com que os casais se respeitem mais, aprendam a entender seu parceiro, faz com que eles saibam o momento de compreender e ouvir. Em casa aumentam o amor para com seus familiares”.
Quanto ao futuro da dança em Anápolis, Hezio Franco é otimista: “Acho que com essa nova tecnologia da internet, as pessoas terão uma maior visibilidade da dança e vão perceber que a dança é a atividade do futuro para suas vidas. Assim, poderemos levar aos anapolinos a dança como carro-chefe para sua felicidade e sua saúde”, encerrou.

Autor(a): Felipe Homsi

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Construtores vão arrecadar doações

24/11/2017

No início da noite da última terça-feira,21, foi realizada a solenidade de lançamento de mais uma edição do projeto ACA...

Genérico contra o câncer de próstata

24/11/2017

Os pacientes que enfrentam o câncer de próstata poderão contar com mais uma alternativa de tratamento: na próxima segunda...

Médica anapolina no comando de UTI

24/11/2017

A médica Ludhmila Hajjar vai assumir a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Sírio Libanês, em Brasília. Bastant...

Lei institui o programa MP de Olho na Bomba

24/11/2017

Foi publicada no Diário Oficial de Goiás da última terça-feira, 21, a Lei nº 19.888, que aprova o projeto MP de Olho na ...