(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Promotores de Anápolis definem prioridades de atuação

Justiça Comentários 02 de outubro de 2015

Os 15 membros da promotoria que integram a regional de Anápolis defenderam propostas de trabalho para o período 2015-2016, com o objetivo de responder aos anseios da sociedade


Um total de 15 promotores de Justiça de comarcas que integram a regional de Anápolis esteve reunido nesta quinta-feira,1º, no edifício-sede do Ministério Público em Goiânia, no 10º encontro planejado pelo MP com o objetivo de definir o foco principal de atuação de seus membros para o biênio 2016-2017. Depois de mais de duas horas e meia de intensas manifestações e debates, com a prevalência, desde o início, de dois temas centrais, o grupo definiu pela apresentação de uma única sugestão consensual para a proposta da bandeira institucional. Dos convidados para o encontro, comparecerem promotores das comarcas de Anápolis, Cocalzinho de Goiás, Corumbá de Goiás, Goianésia, Leopoldo de Bulhões e Orizona.


O objetivo das reuniões regionais é coletar sugestões para o tema de repercussão geral que será a bandeira de trabalho da instituição para os próximos dois anos, a exemplo do que ocorreu há dois anos, quando da elaboração do Plano Geral de Atuação 2014-2015. Ao apresentar a metodologia de trabalho da reunião, a promotora Tamara Andréia Botovchenco Rivera, que mediou o encontro, explicou que a intenção é que este lema único tenha legitimidade social, refletindo os anseios da sociedade; que ele tenha abrangência, atratividade e efetividade, e que seja transversal, podendo ser trabalhado nas diferentes áreas de atuação do MP.


Para subsidiar a decisão a ser tomada, os participantes do encontro receberam a compilação de algumas pesquisas realizadas sobre a atuação do MP, incluindo enquete feita pelo site da instituição, levantamento com pessoas que procuraram o atendimento das Promotorias de Justiça, uma outra enquete com membros e servidores pela intranet e um diagnóstico de imagem encomendado pelo Conselho Nacional do MP com a população brasileira. Alguns temas predominaram nessas pesquisas e acabaram orientando a discussão. Resultados do PGA ainda em curso também foram apresentados na reunião.


Na primeira parte etapa de manifestações, cada promotor teve 3 minutos para defender sua proposta para o tema de atuação. Com a convergência das discussões, dois temas sobressaíram. Após a compilação e resumo das sugestões pela equipe de apoio, o grupo voltou a se reunir na busca por um consenso. Após uma série de ponderações, os promotores optaram por uma sugestão única, que será levada ao comitê que escolherá a bandeira institucional (ela não será divulgada, para evitar condicionamento nas próximas reuniões). A redação da proposta englobou, porém, alguns enfoques específicos para o assunto.


Durante as manifestações, os promotores presentes puderam compartilhar algumas experiências vivenciadas na atuação cotidiana nas comarcas e fizeram observações sobre enfoques que podem ser dados à execução do PGA. Além das propostas para o tema único, o grupo fez sugestões sobre medidas de apoio e de projetos que poderão auxiliar no desenvolvimento da meta institucional.


A mediação do encontro contou com o auxílio dos promotores Ana Maria Rodrigues da Cunha e Bernardo Boclin Borges e das equipes do Gabinete de Planejamento e Gestão Integrada (GGI), da Coordenadoria de Apoio à Atuação Extrajudicial (Caej), e das Assessorias de Comunicação Social e de Cerimonial.


Ao final da reunião, os presentes puderam expressar seus sentimentos em relação à experiência vivenciada no encontro, de construção coletiva do projeto de atuação. Palavras como esperança, preocupação, comprometimento, efetividade, vontade, alicerce, mudança, coragem, expectativa, alegria, trabalho e unidade indicaram as sensações experimentadas pelo grupo.


 


Encaminhamento do PGA


Ao final dos 14 encontros regionais que ocorrerão até o final deste mês em todo o Estado, as propostas de cada reunião serão analisadas por um comitê gestor do qual participarão os 36 coordenadores das Promotorias de Justiça do Estado, uma comissão especial de procuradores de Justiça (5 integrantes) e 3 promotores de Justiça de Goiânia.


O comitê escolherá o tema principal que constará do PGA e será encaminhado ao Colégio de Procuradores de Justiça, para análise e aprovação. A reunião dessa equipe está marcada para 26 de outubro.


Após a escolha do tema, os membros terão a oportunidade de sugerir, por meio da intranet, ações e projetos de apoio visando à execução da prioridade de atuação. Essas propostas serão acrescidas às que foram apresentadas nos encontros e vão subsidiar a definição das diretrizes de execução do tema do PGA. (Com informações da Assessoria de Comunicação Social do MP-GO)

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Justiça

Em sentença pioneira, porte de “chucho” incide em condenação

12/10/2017

Conhecidas como chucho, as armas artesanais – produzidas pelos próprios detentos – são comuns nos ambientes carcerário...

Juiz propõe investimentos para produção e segurança

24/08/2017

O Juiz de Direito Mateus Milhomem de Sousa, titular do Primeiro Juizado Especial Criminal da Comarca de Anápolis, endereçou...

Juiz propõe investimentos para produção e segurança

24/08/2017

O Juiz de Direito Mateus Milhomem de Sousa, titular do Primeiro Juizado Especial Criminal da Comarca de Anápolis, endereçou...

Condenação de Lula repercute no meio político de Anápolis

13/07/2017

Sentença do Juiz Federal Sérgio Moro condenou a nove anos e seis meses o Ex-Presidente Lula, por crimes de corrupção pass...