(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Projeto estabelece multa para imóveis fechados e sem cuidado

Geral Comentários 22 de dezembro de 2017

Prefeitura já vem cobrando serviços de roçagem e limpeza em locais de acesso. Onde não há como entrar, proprietário pode ser multado


Desde o início do ano, a Prefeitura de Anápolis, com amparo da Lei Complemtar 279/2012 (Código de Posturas), vem fazendo a limpeza de lotes baldios. A conta a ser paga pela execução do serviço, vai para o dono do imóvel. A taxa cobrada atualmente pelo serviço é de R$ 0,92 por metro quadrado. De novembro para cá, a Prefeitura publicou no Diário Ooficial do Município, mais de 4,2 mil notificações para cerca de 1,2 mil contribuintes, que vão encontrar, no próximo talão do imposto, essa cobrança.
O proprietário do lote é notificado via Diário Oficial do Município e tem prazo de 30 dias para questionar a cobrança ou para efetivar o pagamento em uma das unidades do Rápido – Serviços Integrados. Caso desconsidere a notificação e o débito não seja pago, haverá ainda o incremento de uma multa sobre o valor do ITU. De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente, Daniel Fortes, em Anápolis há cerca de 47 mil imóveis sem edificação (lotes). Um número grande e um a preocupação, tanto na questão da segurança da vizinhança, quanto na saúde, já que os lotes baldios acabam se tornando locais de abrigo para insetos, roedores e, principalmente, para criadouros do mosquito Ades aegypti, vetor da dengue, febre amarela, febre chikungunya e zika.
Nesta sexta-feira,22, a Cãmara Municipal vota mais um projeto de iniciativa da Prefeitura, desta vez, com o objetivo de alcançar os priorietários de lotes murados e fechados, de forma a não permitir a entrada de equipes do Município para a realização dos serviços de roçagem, limpeza e retirada de entulhos. A matéria estará na pauta da sessão extraordinária convocada para apreciar três matérias encaminhadas à Casa pelo Prefeito Roberto Naves.
O projeto prevê que, no caso citado, ou seja, onde as equipes não tiverem acesso e houver a necessidade do serviço, será aplicada uma multa correspondente a 10% do valor do ITU. Para isso, o Município terá de instaurar um procedimento administrativo prórpio. Vale ressaltar que essa multa era de 40%, porém, foi considerada uma “penalidade extremamente severa” e, ainda, não trazendo o resultado esperado.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

UniEVANGÉLICA - Seminários destacam direitos da pessoa com deficiência

20/09/2018

Foi promovido nesta semana na UniEVANGÉLICA o Seminário dos Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência, uma iniciativa d...

Regulamenta lei que proíbe fabricação e uso do cerol

20/09/2018

O governo de Goiás editou o Decreto n° 9.316, de 18 de setembro de 2018, que regulamenta a Lei n° 17.700/2012, que dispõe...

Comarca de Anápolis fica de fora do plano para a expansão de novas varas

20/09/2018

A Comarca de Anápolis ficou de fora da primeira fase do plano de reestrutura judiciária, definido pela Lei 20.254/18, que d...

Vereador destaca do Dia do Vicentino

20/09/2018

Em discurso no pequeno expediente, durante a sessão ordinária da última quarta-feira,19, o vereador Lisieux José Borges (...