(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Proerd: Programa já ministrou cursos para mais de 50 mil alunos

Cidade Comentários 09 de dezembro de 2016

Formatura da última turma, com 2,6 mil participantes, ocorreu no último dia 6, na Assembleia de Deus do Bairro Alexandrina


Instalado em Anápolis há 15 anos, o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) encerrou suas atividades deste ano no último dia 6, com a formatura e entrega de certificados a mais de 2.600 alunos da rede municipal de ensino. São estudantes do quinto ano do ensino fundamental que participaram de um curso que transmite mensagens de valorização da vida, sobre a importância de manter-se longe das drogas e da violência, através de um trabalho desenvolvido por policiais militares treinados e preparados com uma metodologia especialmente voltada para crianças, adolescentes e adultos.
Nestes 15 anos de funcionamento, mais de 50 mil alunos já participaram dos cursos ministrados pelo Proerd, segundo revelou o coordenador do projeto em Anápolis, sargento PM Odair Francisco Borba, destacando que o crescimento do consumo de drogas entre crianças e adolescentes em idade escolar reforça a necessidade de um trabalho efetivo e contínuo de prevenção entre os jovens que ainda não tiveram contato com estas substâncias nocivas.
Sargento Borba explicou que o objetivo do programa é a prevenção ao uso de drogas entre crianças em idade escolar, com o fornecimento de informações detalhadas aos estudantes sobre álcool, tabaco e drogas de uma maneira geral. “Ensinamos também, as formas de dizer não às drogas”, acrescentou sargento Borba explicando que os policiais militares treinados e preparados para este trabalho ensinam os estudantes a tomarem decisões e a assumirem as consequências de seus comportamentos, além de trabalharem a sua auto-estima, ensinando-as a resistirem às pressões de pessoas que tentam levá-las para o mundo das drogas.
Ele informou que os instrutores do Proerd trabalham com material didático específico, o Livro dos Alunos, o Livro dos Pais e o manual do Instrutor que os auxiliam no desenvolvimento das lições. Além de trabalhar na prevenção ao uso de drogas e a violência entre estudantes, bem como ajudá-los a reconhecer as pressões e as influências diárias que contribuem ao uso de drogas o projeto desenvolve nos alunos habilidades para resisti-las.
“Trabalhamos também com a prevenção ao abuso sexual e contra o bullyng”, acrescentou sargento Borba revelando que este ano os instrutores do Proerd detectaram seis casos de possíveis abusos sexuais, dos quais um foi comprovado. O projeto é desenvolvido com currículos específicos para alunos da educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental, do Proerd 5º ano do ensino fundamental, Proerd 7º ano do ensino fundamental e do Proerd para pais ou responsáveis.
Sargento Borba informou que o Proerd pais ou responsáveis deverá formar sua primeira turma no primeiro semestre de 2017. Ele esclareceu que o Proerd 5º ano é a fase principal do projeto, desenvolvido entre crianças dos 9 aos 12 anos, através de dez encontros que se encerra com um concurso de redação. Os melhores trabalhos são contemplados com diplomas e premiações. Para estimular os participantes, disse que falta apoio para a aquisição dos prêmios que são entregues aos vencedores do concurso de redação. “Precisamos do apoio da comunidade anapolina”, frisou o coordenador do projeto revelando que ao final do curso, os alunos assinam um documento se comprometendo estudar e a fugir do mundo das drogas.
A participação de pais ou responsáveis no projeto é considerada fundamental, segundo afirmou o sargento Borba, esclarecendo que eles são envolvidos nos debates sobre temas variados, orientados a ficar atentos às companhias e às amizades de seus filhos. “Eles precisam saber o que seus filhos estão fazendo e com quem eles andam”, frisou o coordenador afirmando que só assim os pais têm o controle sobre a vida de seus filhos menores.
Ele afirmou que o resultado desse trabalho é de longo prazo, mas garante que ao longo dos 15 anos que o projeto é desenvolvido em Anápolis é possível perceber que muitos jovens não entraram para o mundo das drogas por causa das ações do Proerd. “Hoje temos três policiais militares que foram alunos do Proerd”, comemora sargento Borba, revelando que o projeto trabalha temas diferenciados em cada um dos dez encontros com ensinamentos sobre noções de trânsito, cidadania, direitos e deveres, riscos das redes sociais e internet, além de orientar as crianças a não se afastarem dos pais. “Normalmente, é na fase entre 9 e 13 anos que os jovens têm seu primeiro contato com as drogas”, alerta o coordenador do projeto revelando que hoje, na área de sua coordenação de Anápolis, são atendidos 33 municípios circunvizinhos. Segundo ele, o Proerd é mais um fator de proteção desenvolvido pela Polícia Militar para a valorização da vida e para a formação de uma sociedade mais saudável e feliz.

Autor(a): Ferreira Cunha

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Cidade

Anápolis gerou 139 novos empregos formais em julho

18/08/2017

Pelo sétimo mês consecutivo, Anápolis manteve em julho um saldo positivo na geração de empregos com carteira assinada, a...

Anápolis mantém redução alta em casos de dengue

18/08/2017

A dengue tem dado uma trégua em Anápolis, desde o começo do ano. No último boletim epidemiológico divulgado pela Secreta...

Desvio de rede de esgoto interdita trecho da Avenida Brasil

18/08/2017

O diretor geral da Companhia Municipal de Trânsito e Transporte, Carlos Cezar Toledo, comentou, em sua rede social, sobre as...

Gerados 139 novos empregos em julho

18/08/2017

Pelo sétimo mês consecutivo Anápolis manteve em julho um saldo positivo na geração de empregos com carteira assinada, al...