(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Produzir: Mais de R$ 70 bi em incentivos fiscais

Economia Comentários 06 de novembro de 2009

Incentivos contribuem para o crescimento da economia goiana, que hoje tem como um dos seus principais destaques o Distrito Agroindustrial de Anápolis


Criado em 1999 e reconhecido hoje como um dos maiores programas de incentivo à atividade industrial no País, o Produzir completa este mês R$ 70 bilhões contratados em financiamento de incentivos fiscais, através das empresas e do Governo de Goiás, via GoiásFomento.
No fechamento do mês de outubro, o Produzir soma 574 empresas contratadas em 103 municípios de todas as regiões do Estado. Esses projetos envolvem investimentos fixos de mais de R$ 9 bilhões por parte das empresas, que projetam a geração de 171 mil novos empregos.
Os contratos somam o financiamento de incentivos fiscais na ordem de R$ 68,9 bilhões, com destaque para setores como Alimentação e Bebidas; e Energia, Combustíveise e Petróleo. Com os processos que estão ainda em tramitação na GoiásFomento, o número de contratos firmados deve chegar a 600 até o final deste ano.
Goiás é um Estado que historicamente se desenvolveu com base na criação de gado e na agricultura. A partir da década de 1970 essa realidade começou a mudar com a construção do Distrito Agroindustrial de Anápolis - Daia. Dez anos depois foi criado o Fomentar, programa de incentivo à indústria. No final dos anos 1990 veio o Produzir.
Estatística
O resultado do crescimento da indústria goiana pode ser confirmado pelos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados - Caged. Em setembro foram gerados mais de 5,2 mil empregos no Estado. O desempenho é o melhor do Centro-Oeste. De janeiro a setembro deste ano foram criados mais de 6,2 mil postos de trabalho, estatística 7,13% superior ao mesmo período do ano passado, que também foi o melhor resultado da região.
O levantamento feito este ano pelo IBGE em 14 capitais do País também ressalta a força da indústria goiana, que no mês de agosto se recuperou da crise financeira mundial e registrou alta de 3,2%, único resultado positivo entre todas as cidades pesquisadas. A média do País no período foi de queda de 7,2%.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...