(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Procon orienta pais a pesquisarem nas lojas

Geral Comentários 08 de janeiro de 2011

O órgão de defesa do consumidor recomenda que além de pesquisar os preços dos materiais, os pais devem estar atentos aos pedidos feitos pelas escolas e ao aumento de mensalidades


O Procon de Anápolis fez um levantamento de preços em 10 papelarias da cidade, com o objetivo de oferecer aos consumidores uma ferramenta que possa auxiliá-los na compra do material escolar para o início do ano letivo.
O resultado da pesquisa aponta, ainda, que no varejo de produtos escolares, há enormes diferenças de preços entre um estabelecimento e outro, diferenças essas que podem chegar a mais de mil por cento. Portanto, o recado que o órgão do consumir tem a dar não chega a ser uma novidade: é preciso pesquisar muito.
O item que apresentou a maior variação de preços, segundo demonstrou a pesquisa feita pelo Procon, foi o caderno brochurão de 48 folhas Jandaia, cujo preço variou de R$ 1,99 a R$ 24,90 (1.151,26% a diferença). O compasso escolar também aparece como vilões na lista. O preço do item oscila entre R$ 0,90 a R$ 6, 25, o que representa uma diferença de 594,44%. Uma lapiseira Bic 5 mm foi encontrada ao menor preço por R$ 1,55 e no preço maior por R$ 9,60, representando uma variação de R$ 519,35%. “É necessário pesquisar porque um mesmo artigo pode apresentar grande diferença no preço”, afirma o coordenador do órgão, Valeriano Abreu. A pesquisa está disponível aos interessados na sede do Procon e pode também ser solicitada pelo e-mail: procon@anapolis.go.gov.br

Escolas
Outra recomendação, segundo o Procon, é em relação a alguns pedidos feitos pelas escolas. “Materiais de uso coletivo como produtos de higiene e limpeza não podem ser colocados na lista. Também não pode ser exigido nenhum vale compras em papelarias para demais gastos no decorrer do ano”, orienta o coordenador.
Valeriano Abreu acrescenta que parte das escolas também sofreu reajuste nas mensalidades para o ano de 2011. Ele pede que os pais estejam atentos a estes aumentos, que devem ser proporcionais aos gastos de custeios administrativos e pessoais, apresentados por meio de planilha com 45 dias de antecedência do início das aulas. “O reajuste das matrículas é lícito, mas é necessário que os pais tenham acesso aos gastos feitos pela escola e a estes aumentos”, garante.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Programa ID Jovem completa primeiro ano de vigência

08/12/2017

A Secretaria Nacional de Juventude comemora os bons resultados do Programa Identidade Jovem. Em 1 ano de vigência da iniciat...

Aumenta para oito anos prisão de bêbado que dirige e mata

08/12/2017

Após cinco anos de espera, o projeto 5568/2013 foi aprovado pela Câmara dos Deputados. A análise ocorreu na sessão desta ...

Pesquisa aponta intenção de compras dos anapolinos

08/12/2017

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Anápolis acaba de divulgar a pesquisa de intenções de compras do consumidor anap...

Residencial Copacabana recebe plantio de mudas de árvores

08/12/2017

Preservar o meio ambiente e cuidar do planeta. Foi com esta disposição que estudantes do 1º e 2º ano do Ensino Médio do ...