(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Procon estadual orienta sobre greve dos bancários

Geral Comentários 09 de setembro de 2016

Paralisação não pode causar prejuízo para os consumidores, alerta o órgão


A greve nacional dos bancários, que está acontecendo em Goiás e em outros estados da federação, não pode acarretar prejuízos aos consumidores. Neste sentido, o Procon do Estado está divulgando algumas orientações que as pessoas podem seguir a fim de evitarem maior transtornos durante o período em que transcorrer a paralisação da categoria.
Para evitar o pagamento de multas por atraso e a incidência de juros, de acordo com o Procon Goiás, o consumidor deve buscar canais alternativos para quitação de suas contas, como por exemplo, casas lotéricas, correios, rede de supermercados, internet banking, aplicativo do banco no celular (móbile banking), caixas eletrônicos e os correspondentes bancários, ressaltando que alguns serviços têm limites diários de valores para saques e pagamentos.
- Os boletos de mensalidades escolares, operadoras de planos de saúde, lojas de departamentos e outros boletos diversos podem ser pagos diretamente no emitente ou pode ainda ser autorizado o débito em conta. Se o consumidor não possuir o boleto, o banco ou outro credor deve fornecer alternativa diversa como o fornecimento do código de barras, a emissão do boleto com prorrogação do prazo de vencimento ou o pagamento na própria sede da empresa. De modo que as empresas são obrigadas a oferecer outras formas de pagamento. Segundo a Febraban os bancos devem informar pelo SAC qual o correspondente bancário mais próximo do cliente.
Ainda conforme o Procon, se o consumidor estiver realizando financiamentos, ou seja, estiver no meio do processo de concessão de crédito para compra de imóvel ou veículo, o banco não pode cobrar eventuais encargos e deve arcar com os custos se houver um reajuste no valor do bem durante a greve.
Apesar da greve não ser uma situação gerada pelo consumidor, ele deve entrar em contato com a empresa que porventura esteja com o boleto de alguma compra a vencer, solicitando uma alternativa para pagamento, ocasião em que deverá anotar o dia e hora do contato e o número do protocolo de atendimento. Esgotadas todas as tentativas de pagamento, a dívida não poderá ser cobrada com juros ou multa e o consumidor não poderá ter seu nome incluído nos cadastros de proteção ao crédito.
É importante, alerta o órgão, manter alguma prova da tentativa de pagamento, anotar os dados do contato, o número de protocolo, tirar uma foto ou fazer filmagem mostrando que a agência está fechada e imprimir cópia das notícias publicadas pela imprensa, bem como recortes de jornais, para caso seja necessário registrar uma reclamação no Procon-Goiás ou ajuizar uma ação no Poder Judiciário.
Como não haverá funcionário na agência bancária para prestar auxílio aos usuários, o consumidor não deverá solicitar ajuda a estranhos, para evitar golpes, comuns nos períodos de greves dos bancos.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Cartões do Renda Cidadã estão no radar do MPF

20/04/2018

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF/GO), por meio de sua Procuradoria Regional Eleitoral (PRE), instaurou, na últi...

Memorial resgata parte da história do classismo e da economia local

20/04/2018

Um acontecimento casual levou à descoberta de um acervo importante para o resgate da história da Associação Comercial e I...

Mãe se diz punida, apenas, pelo seu inconformismo

20/04/2018

Desde a morte do filho, Paulo Gabriel Lopes Tonetto, ocorrida em novembro de 2014, quando o mesmo contava, então, com 24 ano...

PRF se engaja em campanha “Eu sou do bem, Eu sou de Deus”

20/04/2018

Na manhã da última quarta-feira, 18, mais um passo importante foi dado para tornar nacionalmente difundida a campanha “Eu...