(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Preço do combustível cai em Goiás e derruba pauta do ICMS

Economia Comentários 12 de julho de 2018

Pesquisa aponta que o valor médio da gasolina caiu quase cinco centavos, e o do etanol hidratado, seis centavos


Informações da Secretaria Estadual da Fazenda dão conta de que houve queda no valor médio dos combustíveis praticado nos postos em Goiás e que, isto, reflete diretamente na base de cálculo para cobrança do ICMS, conhecido como Preço Médio Ponderado Final. Esta pauta é baseada em pesquisa de mercado realizada por volta do dia cinco deste mês. A publicação foi feita no Diário Oficial da União de quarta-feira (11/07) e do Conselho Nacional de Política Fazendária, e começa a valer para cobrança do ICMS em 16 de julho, segunda-feira.
De acordo com a pesquisa feita a partir da Nota fiscal ao Consumidor Eletrônica, o valor médio da gasolina nos postos de Goiás caiu quase cinco centavos, passando de R$ 4,66 para R$ 4,62 e o do etanol hidratado de R$ 2,86 para R$ 2,80, redução de seis centavos. Isso significa que houve uma desaceleração dos preços quando se olha globalmente o Estado. Embora algumas cidades mantenhas os preços elevados.
A pauta do combustível, tecnicamente chamado de PMPF (preço médio ponderado final), é o valor utilizado como base de cálculo na cobrança do ICMS, medida a partir do preço cobrado do consumidor, metodologia válida por lei para todo o País. A pesquisa é realizada a cada 15 dias nos postos de todo o Estado. Se o valor do combustível na bomba cai, o PMPF para cobrança do imposto também cai. Se o preço aumenta, a referência também sobe. A pesquisa calcula preços médios ponderados ao consumidor final da gasolina comum; gasolina premium; diesel S10; óleo diesel; gás em botijão (GLP), GLP à granel e etanol hidratado.
Em relação à polêmica sobre a última atualização da pauta dos combustíveis em Goiás, o Secretário da Fazenda, Manoel Xavier Filho, rebate as informações de uma suposta compensação da redução do diesel com aumento da gasolina. Para ele, “não houve qualquer compensação. Não temos esta liberdade. A pauta reflete o padrão de preço médio apresentado pelo mercado, via nota fiscal”, asseverou.
O secretário acrescenta que “a pauta do combustível ficou congelada desde a segunda quinzena de maio em decorrência da paralisação dos caminhoneiros, e só voltou a ser atualizada a partir de 1º de julho, quando os preços no mercado estavam mais altos. É normal que reflita as variações ocorridas no mercado no período”, disse. Outras reduções no preço médio: As maiores reduções foram no álcool hidratado (R$ 0,06 centavos) e na gasolina comum (pouco mais de R$ 0,04 centavos). Depois a gasolina premium (R$ 0,04 centavos), o diesel (menos de R$ 0,01 centavo). O gás em botijão foi o único a ter aumento, registrando R$ 0,05 centavos.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Balança comercial goiana atinge US$ 2,3 bilhões em sete meses

09/08/2018

As exportações goianas deverão bater recorde este ano, superando a casa dos US$ 7,5 bilhões, valor superior ao registrado...

Corredor de ônibus será implantado na Avenida Brasil Norte em breve

09/08/2018

Em breve, será feito um corredor de ônibus na Avenida Brasil Norte e para isso será necessário fazer ajustes no trânsito...

Setor Industrial é contra um novo aumento na revisão tarifária

03/08/2018

A Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), divulgou uma nota pública se posicionando contra novo aumento na c...

Município gerou mais de R$1 bilhão em arrecadação de ICMS em 2017

27/07/2018

A arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, o ICMS, fechou o ano de 2017 com arrecadação reco...