(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Prefeito faz balanço positivo, apesar do arrocho nas finanças

Política Comentários 07 de abril de 2016

João Gomes destacou que a Administração honra seus compromissos e mantém investimentos importantes para a Cidade


O Prefeito João Gomes (PT) avaliou como positivos os dois anos de mandato à frente da Administração Municipal. Conforme ressaltou, desde 2008, quando o seu partido conquistou o Executivo Anapolino, então, com o seu antecessor, Antônio Gomide, não havia uma crise tão severa no País e, nem uma queda “vertiginosa” da arrecadação, como está ocorrendo agora.
Apesar das dificuldades, João Gomes enfatizou que o balanço de sua gestão é “extremamente positivo”, uma vez que - conforme observou - várias obras já foram ou estão sendo realizadas; a Prefeitura paga, com regularidade, os fornecedores e mantém em dia a folha do funcionalismo e, além de fazer e projetar novos investimentos.
Para João Gomes, mesmo num cenário adverso, Anápolis permanece no grupo das 80 cidades mais importantes do País e mantém-se como o segundo maior Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de Goiás (mais de R$ 12 bilhões, no último levantamento consolidado pelo IBGE, relativo a 2013). E, ainda, citou o fato de, recentemente, Anápolis ter despontado no Brasil, no ranking de transparência pública.
O Prefeito assegura que o sucesso na gestão está “na força do trabalho”, seu e de sua equipe. Ele próprio - disse - cumpre uma rotina de compromissos que nunca tomam menos de 12 horas por dia de dedicação exclusiva. Da mesma forma, o Prefeito enalteceu o funcionalismo, no intuito de assegurar uma prestação de serviço de qualidade para a população.
Por outro lado, João Gomes afirmou esperar que a crise política e econômica vire logo a página da história pela qual o País atravessa e que, em sua opinião, tem abatido de forma severa o setor produtivo. “Estou solidário com os empresários, de onde eu venho”, sublinhou, acrescentando ser necessário que o Brasil retome logo o caminho da normalidade para que a população não seja mais penalizada ainda. “A população não tem que pagar a conta da crise política”, enfatizou, sem entrar no mérito da discussão sobre o andamento do processo de impeachment da Presidente Dilma Rousseff, do seu partido. “Temos que pensar no Brasil, não na briga de poder, cada um olhando para o seu lado”, ponderou. Para o Prefeito, se logo no início do ano, o Congresso Nacional já estivesse trabalhando pelas reformas de que o País necessita, a situação hoje seria bem diferente. “O que estamos vivendo não é uma disputa de regime, é uma disputa de poder”, analisou.
Reforma
Sobre a reforma administrativa, decorrente do afastamento de alguns integrantes da equipe que vão disputar cargos eletivos este ano, João Gomes ressaltou que não haverá nenhuma mudança substancial. Inclusive, muitos cargos serão preenchidos por técnicos. Sem dar maiores detalhes, ele disse que tudo está sendo discutido com “tranquilidade” e que na próxima semana, “já vai estar tudo encaminhado”.

Autor(a): Claudius Brito

Clique aqui para ler a página em formato PDF


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Política

19 prefeitos assinam filiação ao PSDB

18/08/2017

Os deputados estaduais Manoel de Oliveira (PSDB), Santana Gomes (PSL), Francisco Oliveira (PSDB), Charles Bento (PRTB), Gusta...

Fundo bilionário para patrocinar as campanhas

10/08/2017

Os deputados integrantes da comissão especial que analisa mudanças nas regras eleitorais (PEC 77/03) acabam de rejeitar um ...

Antônio Gomide admite participar de chapa majoritária em 2018

10/08/2017

A pouco mais de um ano para as eleições gerais (Presidente da República; governadores; dois senadores por estado, deputado...

Antônio Gomide admite participar de chapa majoritária em 2018

10/08/2017

A pouco mais de um ano para as eleições gerais (Presidente da República; governadores; dois senadores por estado, deputado...