(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Política ambiental do Município tem voluntários da cidadania ecológica

Meio Ambiente Comentários 08 de janeiro de 2016

Grupo de Defesa Ambiental faz ações em prol da natureza, visando a qualidade de vida das gerações atual e futuras


O Grupo de Defesa Ambiental é uma instituição sem fins lucrativos, formado por voluntários, homens e mulheres de várias idades e de profissões diferentes, mas com um único ideal: zelar para que os patrimônios da natureza - a fauna e a flora - sejam conservados como uma eterna fonte para uma melhor qualidade de vida. O GDA é uma ONG nova - foi criado em julho do ano passado. Mas, tem um trabalho consistente e maduro, já que boa parte dos seus membros são oriundos de outro grupo, de atuação semelhante.
Dorcelina Otoni Lima (gestora ambiental e vice-presidente) e Katielle Rodrigues da Silva (bióloga e diretora de divulgação), portavozes do presidente Ivo Chaves da Silva e dos demais membros do GDA, ressaltam que a heterogeneidade do grupo é um de seus diferenciais. Há pessoas que atuam na área de saúde, na advocacia, além de educadores, biólogos, veterinários, dentre outros. Há, também, pessoas com menor grau de instrução, mas com grande bagagem de conhecimento, quando o assunto é meio ambiente.
O objetivo principal do GDA, segundo Dorcelina e Katielle, é promover a conscientização das pessoas e apoiar iniciativas de defesa ambiental. Desta forma, o trabalho dos voluntários acaba se dividindo em várias vertentes: a parte educacional, o atendimento a denúncias de degradação ambiental ou de maus tratos a animais e as ações de preservação de matas e mananciais. Também, há o lado social, de apoio para famílias de baixa renda. “Não nos preocupamos, apenas, com a natureza. Nós estamos preocupados com as pessoas, com a vida”, destaca Dorcelina Otoni.
As representantes da ONG afirmam que o grupo participou, no ano passado, de várias ações, dentre elas, o trabalho de conscientização contra a pesca no período da piracema, na região de Abadiânia. Também, participou de reuniões coordenadas pelo Ministério Público com os produtores da região do Piancó, em torno da preservação das nascentes e margens do curso d’água responsável pelo abastecimento de 80% do Município de Anápolis. Além disso, o GDA também iniciou um trabalho - que terá continuidade ao longo deste ano - de proteção de nascentes. O Grupo de Defesa Ambiental tem sido, também, chamado a participar de palestras em escolas e em outros segmentos organizados. De acordo com Katielle, a educação ambiental para as crianças é fundamental para a formação de uma melhor cultura ecológica. Ela afirma que para 2016, um dos objetivos do grupo é justamente ampliar este tipo de ação. “Estamos abertos a todos os que se interessarem, para que possamos levar nossas experiências e conhecimentos”, disse a bióloga, que tem também formação em pedagogia.
Novos membros
O GDA também está aberto para receber novos membros voluntários. Hoje, já são mais de 30. Este número até que poderia ser maior. Mas, conforme observa Dorcelina Otoni, a entrada no grupo é seletiva. As pessoas têm de demonstrar real interesse em integrar e interagir com os demais membros e com a sociedade. “É preciso que tenhamos uma sintonia de ideais”, pontua, acrescentando que embora seja um trabalho voluntário, ou seja, não há remuneração, é preciso criar um ambiente de disciplina, necessária para o tipo de trabalho desenvolvido. Além do que, a instituição fornece uniformes caracterizados (parecidos com aqueles camuflados das forças armadas, tendo como símbolo uma arara), carteira funcional e têm um nome para zelar.
O Grupo de Defesa Ambiental tem sua sede no Bairro Residencial das Flores (na Avenida João Florentino, próximo ao Material de Construção Aliança), onde, inclusive, muitas pessoas levam animais que encontram abandonados ou que são recolhidos fora de seu habitat natural. Também, há algumas viaturas, mas os veículos são dos próprios voluntários, apenas caracterizados com o símbolo, nome e contato com a ONG. Em sua sede, o GDA, também, recebe donativos para doação a pessoas carentes. Se a pessoa preferir pode, também, mandar buscar em casa ou na empresa.
As despesas são custeadas pelo bolso de cada um. Mas, o grupo mantém uma conta bancária para receber doações de quem queira contribuir com o trabalho (veja as informações no box). Quem quiser conhecer um pouco mais sobre o trabalho, também poderá acessar a página do Face book (GDA Defesa Ambiental), que foi criada recentemente, mas já conta com mais de 100 seguidores.
A paixão pela natureza e pela vida, enfatizam Dorcelina e Katielle, é o combustível que move todo o trabalho do grupo. E, a intenção é de que ele cresça, floresça e dê bons frutos. Como tudo de bom que a própria natureza pode dar às pessoas.

SERVIÇO
GDA- Grupo de Defesa Ambiental
Av. João Florentino, Bairro Residencial das Flores
Contatos/denúncias:
Lima- (62) 9110-6643
Dorcelina (62) 9220-7498
Conta para doações:
Caixa Econômica Federal
Agência- 3257
Operação- 003
Conta Corrente- 1726-5

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Meio Ambiente

Poluição de nascentes é denunciada na Câmara

09/11/2017

O vereador Pastor Elias Ferreira (PSDB) denunciou a poluição de nascentes localizadas nas proximidades da Avenida Brasil No...

Erosões comprometem o solo e a água potável do Município

28/09/2017

O acelerado processo de erosões em Anápolis compromete, não apenas, o solo, mas, também, todas as bacias hidrográficas e...

Limpeza preventiva de córregos

14/09/2017

Os córregos se contorcem diante do assoreamento que desidrata os cursos d’água nesse momento de estiagem. Mas para evitar...

Queimadas em vegetações e plantações estão têm registro de incidência na região de Anápolis

10/08/2017

Embora já se esteja em um período que favorece a sua ocorrência, a estação da seca ainda não provocou este ano grandes ...