(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Pólo Automotivo: Investimentos de R$ 300 milhões

Economia Comentários 29 de maio de 2010

A tendência de ser um centro montador de veículos está cada vez mais definida para o Município. Além da coreana Hyundai, outros projetos satélites estão em andamento


Anápolis poderá receber investimentos de, aproximadamente, R$ 300 milhões, de dez empresas que têm interesse em se instalar no Município para dar suporte ao pólo automotivo com as plantas da Hyundai e da Mitsubishi, esta, em Catalão. A informação foi dada ao CONTEXTO pelo vice-prefeito João Gomes, que participou, em Goiânia, na última quarta-feira, 26, de uma reunião com o Governador Alcides Rodrigues, presidentes e diretores das empresas e os secretários estaduais de Indústria e Comércio, Luiz Medeiros, e de Planejamento, Oton Nascimento.
Os entendimentos são para que essas empresas se instalem em áreas existentes dentro da Plataforma Logística Multimodal. “O perfil destes empreendimentos atendem ao estatuto e normas da Plataforma, portanto, é perfeitamente possível viabilizar a vinda dessas empresas”, declarou o vice-prefeito, acrescentando que o primeiro passo já foi dado, devendo, agora, serem percorridas outras etapas. Mas, segundo ele, é grande a chance de que o trabalho feito dê resultado.
“Será um grande impulso para Anápolis”, comemorou, observando que há também negociações para a vinda de novas montadoras para Goiás. E, conforme o vice-prefeito, Anápolis oferece condições ideais por estar bem localizada no mapa geográfico do País. “Já temos um ramal da ferrovia Centro-Atlântica, que dá condições de acesso aos portos no sul do Brasil; seremos, em breve, o marco zero na Ferrovia Norte Sul; temos um eixo rodoviário importante formado pelas BRs 153, 060 e 414 além de uma série de outros atrativos”, assinalou João Gomes.
A vinda do grupo a Goiás foi coordenada pelo superintendente da Caoa/Hyundai, Akira Yoshikawa, que tem estimulado a instalação de empresas fornecedoras de equipamentos para os veículos mais perto de sua indústria. Mas, a ideia do Governo do Estado é fazer com que este pólo atenda, também, à Mitsubishi e, ainda, a chegada da Suzuki, que segundo informou a assessoria do Palácio das Esmeraldas, já assinou um protocolo de intenções com Goiás. Além de indústrias chinesas de caminhões e tratores que também estão em fase de negociação com o Estado, como resultado das missões à China desde o ano passado.


Goiás pronto para receber investimentos
O Governador Alcides Rodrigues disse que Goiás está pronto para receber os novos investimentos, acrescentando que os grandes diferenciais do Estado são a boa infra-estrutura logística e os incentivos fiscais que se oferecem. “Anápolis tem as condições necessárias para receber investimentos de todos os portes, o que tem ocorrido constantemente, pela excelente infra-estrutura logística e pela posição geográfica estratégica que favorece a produção, a comercialização e a distribuição das mercadorias e produtos em todo o País”, argumentou.
Alcides Rodrigues disse, ainda, que a chegada da Ferrovia Norte-Sul e sua integração com a Ferrovia Centro-Atlântica, com as rodovias BR-153 e 060, mais a construção do aeroporto de cargas, vão transformar Anápolis em referencial logístico no País, ampliando sensivelmente a competitividade dos produtos goianos. “O País está com os olhos voltados para o Centro-Oeste e principalmente para Goiás, pelo grande crescimento econômico do Estado e pela seriedade na gestão pública focada no desenvolvimento econômico e social”, arrematou.

O representante da empresa gaúcha Euroar, Paulo Renato Perez dos Santos, falando em nome do grupo, disse estar impressionado com o desenvolvimento de Goiás e revelou que cada empresa pretende investir de R$ 30 a R$ 50 milhões no Estado, gerando de 100 a 200 empregos diretos, cada uma. No entanto, há grupos que projetam investimentos mais pesados, podendo chegar a até R$ 100 milhões e geração de até 500 empregos. Ficou acertado para os dias 7, 8 e 9 de junho a visita dos representantes das empresas ao Daia e à Plataforma Logística. A ideia é utilizar áreas em regime de permissão de uso oneroso, mas com possibilidade de alienação para as empresas no futuro.
Os empresários estiveram reunidos com os secretários de estado, além de outros técnicos e assessores do Governo, para conhecerem os programas de incentivo oferecidos pelo Estado, bem como a infra-estrutura logística que está sendo implantada em Goiás.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...