(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Polícia garante que suspeito preso é o maníaco da Zona Norte

Violência Comentários 15 de setembro de 2012

Exames de DNA em, pelo menos, quatro das 12 vítimas que denunciaram agressões sexuais nos últimos três anos, apontam para a culpabilidade do acusado, embora ele negue


Preso há mais de um mês, em Anápolis, foi apresentado à imprensa, em Goiânia, na manhã de quarta-feira, 12, Ernandes Andrade, 30 anos, acusado, formalmente, pela Delegacia de Defesa da Mulher, como autor de vários casos de agressões sexuais, preferencialmente, praticados na região Norte da Cidade. Mesmo com as fortes evidências (reconhecimento de vestes; posse de objetos pessoais, como bolsas e bijuterias das mulheres atacadas, além de um aparelho de telefone celular, pertencente a uma das vítimas e, principalmente, o resultado positivo em quatro exames de DNA) ele alega inocência. A princípio, se negou a falar com a imprensa e com as autoridades. Ernandes Andrade estava preso na Cadeia Pública de Anápolis enquanto se processavam, no Instituto de Medicina Legal, os exames para a prova técnica de sua culpabilidade.
Em um período de, aproximadamente, três anos, ele teria sido responsável pelo estupro de mais de uma dezena de mulheres, a maioria jovens, estudantes e/ou funcionárias de empresas da Cidade. Ele agia nas proximidades dos pontos de ônibus e nas imediações das faculdades, escolhendo locais ermos, terrenos baldios e o fator surpresa para agir. As vítimas, conforme se apurou, eram aleatórias. Segundo a delegada Aline Vilela e os agentes que trabalharam na sua localização e na sua prisão, o acusado, em alguns casos, empregava a força física e, quase sempre, andava com uma faca, com a qual feria as vítimas cortando suas roupas íntimas. Em muitos casos, Ernandes utilizava, ainda, uma máscara cirúrgica, o que dificultava sua identificação. A descoberta do suspeito foi possível através de um retrato falado, com base em informações das vítimas. De acordo com a Diretoria da Polícia Civil em Goiás, não há registro, pelo menos recente, de um caso com tão elevado número de vítimas.
Conforme o que se apurou, inicialmente, Ernandes agia sozinho e não permita que as vítimas olhassem para seu rosto. Há entre as mulheres atacadas por ele, pelo menos uma adolescente de 17 anos, moradora em um bairro da região Norte de Anápolis, além de uma pós-parturiente que ainda estava no período de resguardo quando foi molestada. Os agentes policiais esperam que com a confirmação da autoria dos crimes, possam surgir outras vítimas. Há, também, a expectativa de que seja levantada, com mais detalhes, sua vida pregressa. Hoje ele é tido como casado; trabalhador rural, 30 anos, aparentemente sem passagens pela polícia. Mas, segundo policiais experientes ouvidos, ainda é precoce qualquer avaliação mais conclusiva, tendo em vista que, no decorrer do inquérito e, até, do processo, sejam revelados novos episódios envolvendo o suspeito.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Violência

Anápolis aparece em relação das cidades mais violentas do Brasil

09/06/2017

Em 2015, a taxa de homicídios por 100 mil habitantes de Anápolis, ficou em 40,9. Somada às Mortes Violentas com Causa Inde...

Governo diz que Goiás é um dos estados com menor índice criminal

09/06/2017

Os índices de criminalidade em Goiás apresentam queda sequenciada a partir de 2016. Na comparação entre janeiro e maio de...

Judiciário quer ações práticas para reduzir criminalidade em Anápolis

02/06/2017

A busca de soluções para o crescente aumento do índice de criminalidade em Anápolis foi debatida no final da tarde da úl...

Emanuelle Muniz e Emanuelle Ferreira: passageiras da agonia

04/05/2017

Emanuelle Muniz Gomes tinha 21 anos. Era transexual. Bela; extrovertida; meiga, alegre e filha carinhosa. Apesar da pouca ida...