(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Pesquisa mostra variações de preço acima de 540%

Geral Comentários 15 de janeiro de 2016

Procon fez o levantamento de mais de 200 itens em seis papelarias de Anápolis


A Secretaria Municipal de Defesa do Consumidor (Procon), divulgou nesta quinta-feira, no site da Prefeitura (www.anapolis.go.gov.br), a pesquisa de preço de materiais escolares. O objetivo é orientar os consumidores, para que os mesmos possam economizar no gasto que, em geral, pesa bastante no orçamento doméstico neste início de ano. A pesquisa de preços foi realizada entre os dias 5 e 8 de janeiro.
Os dados levantados pelo Procon, de fato, mostram que a pesquisa é uma arma de quem quer economizar, afinal, foram constadas diferenças de preço acima de 540% em um mesmo produto pesquisado. É o caso, por exemplo, da caneta esferográfica BIC de duas cores, encontrada ao menor preço por R$ 0,90 e ao maior preço por R$ 5,80. Neste caso, o aumento foi de 544,44%, o maior registrado. O apontador de lápis CIS de um furo com depósito, foi relacionado ao menor preço por R$ 0,30 e o maior preço por 1,80, diferença de 500% calculada pelo Procon. O estojo de giz de cera BIG 12 cores da Acrilex, foi encontrado ao menor preço de R$ 2,20 e maior preço de R$ 12,20, diferença de 454,55%. Outro caso é o da borracha Eco FC Max Grande, da Faber Castell, encontrada ao menor preço por R$ 0,80 e ao maior preço por R$ 4,35, uma variação de 443,75%.
A lista do Procon, com mais de 200 itens, não totaliza os valores dos materiais pesquisados nas seis papelarias, mesmo porque, não foram encontrados os mesmos produtos. O que geraria uma diferença. E, é bem provável que dentre os estabelecimentos pesquisados, será vantagem adquirir parte da lista em um e outra parte em outros. É o consumidor que deve avaliar, não só a questão de preços, mas também outras vantagens como prazos e formas de pagamento. A lista é uma referência importante e demonstra que, com tantas diferenças, vale mesmo à pena pesquisar, pechinchar e, principalmente, não levar muitos supérfluos.
“Queremos possibilitar à população uma economia consciente, para que os pais nesta época do ano possam fazer boas compras”, afirma o diretor do Procon, Valeriano Abreu.

Escolas
O secretário de Defesa do Consumidor acrescenta que boa parte das escolas também reajustou as mensalidades para o ano de 2016. Ele pede que os pais estejam atentos a estes aumentos, que devem ser proporcionais aos gastos de custeios administrativos e pessoais, apresentados por meio de planilha com 45 dias de antecedência do início das aulas. “O reajuste das matrículas é lícito, mas é necessário que os pais tenham acesso aos gastos feitos pela escola e a estes aumentos”, destaca. (Com informações da Secom/Prefeitura de Anápolis)

Autor(a): Claudius Brito

Clique aqui para ler a página em formato PDF


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Geral

Capitão Waldyr pode ser nome da Plataforma

13/07/2017

Decano da indústria, com uma folha de mais de 60 anos prestados aos classismo e, em especial, à Federação das Indústrias...

Prevista redução de construtores com novas exigências do MC

13/07/2017

A exigência do Ministério das Cidades para que todos os pequenos e médios construtores tenham o Cadastro Nacional da Pesso...

Anápolis presente no Conselho Nacional de Juventude

06/07/2017

A assessora de juventude da Secretaria Municipal de Cultura, Larissa Pereira, foi eleita para ocupar uma das três cadeiras d...

Ubiratan Lopes é empossado na presidência da FACIEG

29/06/2017

O empresário anapolino Ubiratan da Silva Lopes foi empossado na presidência da Federação das Associações Comerciais, In...