(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Para evitar as famosas gordurinhas indesejadas

Saúde Comentários 04 de dezembro de 2014

Endocrinologista dá dicas para atingir o corpo que toda mulher quer de forma saudável, sem prejuízos para a saúde delas


Se existe algo que toda mulher abomina, é a gordura localizada. Mas engana-se quem pensa que o acúmulo de gordura abdominal é mais comum dentre as mulheres. “O acúmulo de gorduras no abdômen é mais frequente em homens, mas também acontece nas mulheres, e isso devido ao padrão genético de depósito de gordura”, salienta a endocrinologista Myrna Campagnoli, do Laboratório Atalaia.
A especialista explica que o nosso corpo tem células gordurosas em toda a sua superfície. “A gordura localizada se deve a um acúmulo maior de células gordurosas, e também sua hipertrofia, em locais determinados por predisposição genética. O acúmulo se deve ao desequilíbrio entre a ingestão de calorias e o seu consumo pelo organismo”, ressalta.
A “barriguinha” é um dos locais mais frequentes do acúmulo de gorduras, mas não é o único. A especialista ressalta que o local depende da genética. “Por isso algumas pessoas acumulam gordura na barriga, outras nos culotes, outras nas pernas ou, ainda, em outros locais”.

Vida saudável
A médica faz o alerta de que o excesso de gordura corporal acontece quando há um exagerado consumo de calorias diárias, o que pode acarretar em obesidade, caso o quadro não seja revertido. “Tanto o excesso de calorias como o sedentarismo trazem riscos à saúde, como a obesidade, o diabetes, alterações de colesterol, aumento do risco cardiovascular (infartos e derrames), hipertensão, dentre outros”.
Para evitar problemas, o acompanhamento médico regular é indispensável. “Não é indicado que procuremos o médico apenas quando o problema já esta estabelecido. O médico poderá, em um acompanhamento regular, identificar fatores de risco e inadequações de dieta e atividade física, auxiliando na prevenção e manutenção da saúde”.
Não adianta somente ter uma alimentação saudável. Para acabar com as “gordurinhas”, segundo a profissional, nada melhor que atividade física, que atua no equilíbrio entre consumo de calorias e seu gasto. “Pessoas sedentárias, mesmo que com uma alimentação saudável, podem ganhar peso, pois o consumo de calorias geralmente supera o metabolismo basal (gasto individual de energia para as funções vitais)”, salienta.

As principais formas de acabar com a gordura localizada:
- Melhore a dieta, com alimentação saudável nas escolhas, frequência adequada e quantidades equilibradas para cada sexo e idade;
- Atividade física regular, de pelo menos 150 minutos por semana;
- Evolução para práticas físicas mais intensas progressivamente, permitindo um bom equilíbrio metabólico;
- Na maioria dos casos a intervenção cirúrgica não é necessária, bastando a melhora dos hábitos de vida;
- Para tratamentos estéticos invasivos e para a cirurgia, cada caso deve ser avaliado individualmente. Muitos destes métodos invasivos não possuem validação científica e podem representar um risco para a saúde e também para a estética;
- É imprescindível consultar um médico antes de qualquer tratamento, cirurgia ou dieta;
- É importante reforçar que nenhuma cirurgia impede um novo acúmulo de gorduras. Portanto, a mudança de hábitos alimentares e o estímulo à atividade física sempre tem que estar presente.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Saúde realiza vacinação contra a gripe até dia 26 de maio

19/04/2017

A 19ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe começou na última segunda-feira, 17, e as vacinas estão disponívei...

Vereadora consegue recursos para castração de animais

19/04/2017

A vereadora Thaís Souza (PSL) conseguiu junto ao deputado estadual Lincoln Tejota (PSD), uma emenda de R$ 180 mil será dest...

Medo da febre amarela? tire suas dúvidas

07/04/2017

Desde 1980 o Brasil não registrava um surto tão grande de febre amarela. De dezembro para cá, houve 2 104 casos notificado...

Dengue recua, mas a população ainda precisa ficar atenta e manter o combate

07/04/2017

A população anapolina pode comemorar. Os registros oficiais da Secretaria Estadual de Saúde, referentes à semana 13- de 0...