(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Pagar as contas ou comprar presentes?

Economia Comentários 27 de novembro de 2009

Levantamento realizado pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Anápolis, buscou saber como o anapolino pretende gastar a primeira e a segunda parcela do seu 13º salário


Novamente o pagamento de dívidas será um importante motivo para destinação
das duas parcelas do 13º salário dos trabalhadores anapolinos em 2009.
Como no ano passado, duas pesquisas encomendadas pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Anápolis chegaram à constatação de que a grande preocupação
dos entrevistados será quitar débitos. Foram realizados dois levantamentos: o primeiro no período de 29 de outubro a 05 de novembro, e o segundo nos dias 13 e 14 de novembro. Cada estudo procurou verificar os
destinos de cada parte da gratificação. O responsável pelas duas pesquisas foi o economista Márcio Dourado Rocha.
Para a primeira parcela do 13º salário, as dívidas representaram 42% das respostas, seguidas por aplicação em poupança ou investimento (18%),
aquisição de bens (11%), presentes (9%), viagens (7%), reforma ou construção (6%), investimentos em educação (5%), outros (2%). Para a segunda parcela, as dívidas também foram citadas por boa parte dos
entrevistados (30%), mas este item foi levemente ultrapassado pelos presentes, que teve preferência de 32% da população ouvida, dado que é explicado pela proximidade com o Natal. Com a última parte da renda extra, 15% pouparão os recursos, na maioria das vezes prevendo despesas de início de ano, 11% utilizarão a gratificação para presentear a si próprio, adquirindo bens pessoais, 7% utilizarão o recurso para viajar, 3% para investir em construção ou reforma, e 1% investirá em educação, mesmo percentual das outras destinações, onde se englobam tratamento de saúde e
doações.
Em cada um dos dois estudos, houve a participação de 400 pessoas em idade produtiva segundo critérios do IBGE, as quais foram entrevistadas em pontos do Centro da cidade onde ocorrem as maiores concentrações de vendas e fluxo heterogêneo de pessoas. A metodologia adotada para escolha total
da amostra apresenta um índice de confiança de 95% e um erro amostral de 4,33%. As duas pesquisas inicialmente traçaram um perfil do consumidor
anapolino (sexo, idade, bairro de origem, escolaridade, renda pessoal, estado civil, situação trabalhista, setor econômico de trabalho).
Posteriormente foi feita a verificação de situação trabalhista e, finalmente, fez-se um cruzamento de dados, apontando a intenção de utilização do 13º salário para cada perfil de consumidor.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...