(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Pacientes que vencem o câncer podem ter problemas do coração

Saúde Comentários 15 de abril de 2016

Um novo estudo mostrou que adolescentes e jovens adultos que sobreviveram ao câncer correm um risco pelo menos 2,37 vezes maior de desenvolver doença cardiovascular no futuro


Adolescentes e jovens adultos que sobreviveram ao câncer correm um risco 2,37 vezes maior de desenvolver doença cardiovascular no futuro. Entre os que sofreram de leucemia e câncer de mama, esse risco subiu para 4,2 vezes e 3,6 vezes, respectivamente. É o que diz um estudo publicado recentemente no periódico científico Journal of Clinical Oncology.
Pesquisadores da Kaiser Permanente Southern California e da Universidade do Alabama, em Birmingham, ambos nos Estados Unidos, analisaram 5.673 pacientes sobreviventes de câncer, com idade entre 15 a 39 anos. Após o diagnóst6ico e tratamento, os pacientes foram acompanhados e avaliados para problemas como insuficiência cardíaca, acidente vascular cerebral e doença arterial coronariana. Em seguida, os dados destes pacientes foram comparados com os de 57.617 pessoas saudáveis.
Após ajustes para fatores de risco para doenças cardiovasculares como diabetes, tabagismo, hipertensão arterial e peso, os pesquisadores concluíram que os participantes que sobreviveram a um câncer corriam um risco 2,37 vezes maior de ter alguma doença cardiovascular, em comparação com as pessoas saudáveis. No caso de pacientes que foram diagnosticados com tiveram leucemia e câncer de mama, esse risco foi ainda maior: 4,2 vezes e 3,6 vezes, respectivamente.
Fernando Maluf, chefe do departamento de oncologia clínica do Centro Oncológico Antônio Ermírio de Moraes, da Beneficência Portuguesa, em São Paulo, explica que o aumento do risco é causado não pelo câncer em si, mas pelo tratamento do tumor.
“A quimioterapia e a radioterapia são tratamentos agressivos para o organismo e, além dos efeitos colaterais momentâneos, podem gerar complicações de longo prazo no organismo, como o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Os medicamentos contra leucemia e câncer de mama são potencialmente mais tóxicos para a saúde cardiovascular, daí o aumento ainda maior do risco”, explica Maluf.
Para o médico, o resultado deste estudo é particularmente importante, pois reforça a importância do paciente jovem com diagnóstico de câncer ser acompanhado por profissionais de saúde multidisciplinares. “Estas conclusões também reforçam a necessidade de desenvolvimento de novos medicamentos contra o câncer. Precisamos de tratamentos que mantenham a efetividade contra a doença, mas que sejam menos tóxicos para o organismo”, afirma.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Cirurgias pediátricas tem fila de espera reduzida

18/08/2017

Já medicado, o garoto J.B.N., 4, demonstrava tranquilidade, ao entrar no centro cirúrgico do Hospital Evangélico, para rea...

Goiás ocupa a terceira posição no ranking nacional em transplante de córneas

18/08/2017

Em Goiás, são realizados transplantes de córneas, rins, coração e medula óssea, sendo que o de córneas é o mais comum...

Franquia Oral Sin se instala em Anápolis

10/08/2017

Acaba de chegar em Anápolis a primeira franquia Oral Sin Implantes. O empresário e odontólogo Leonardo Lara recebe convida...

Município deve receber mais recursos para medicamentos

03/08/2017

Definido no último dia 31 de março, o fechamento das unidades próprias do programa Farmácia Popular deve otimizar a utili...