(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Organização criminosa fraudava Seguro Desemprego na região

Polícia Comentários 19 de abril de 2017

Investigação de fraude, envolvendo valores milionários, começou a partir de Anápolis e há ramificações em três outros estados


A manhã de quarta-feira, 19, foi de intensa movimentação na sede da Delegacia da Polícia Federal em Anápolis. Por volta das 06 horas, teve início a Operação StellioNatus, para desarticular uma organização criminosa que agia em Goiás e em, pelos menos, outros três estados: Minas Gerais, Mato Grosso e Pará. Oito prisões foram efetuadas, além do cumprimento de vários mandados de busca e apreensão autorizados pela Justiça Federal.
O Delegado da PF, Luciano Dorneles, concedeu entrevista depois de chegar de Caldas Novas, já no final da manhã, onde acompanhou parte da operação. Conforme narrou, o fio da meada que levou à organização criminosa originou-se em Anápolis. Uma jovem, cooptada por um traficante de nome Yuri - já condenado pela Justiça, teve o seu endereço utilizado para receber correspondências. E, logo, elas começaram a chegar a um volume considerável - 10, 15 e um último lote com 27. O pai da jovem, desconfiado, teve acesso ao material e acabou descobrindo se tratar de várias unidades do Cartão Cidadão da Caixa Econômica Federal, utilizados para acessar benefícios de programas sociais do Governo, como, por exemplo, o Bolsa Família e, para sacar saldos do Seguro Desemprego, cujos recursos são abastecidos pelo FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador). A partir da descoberta, foi gerada uma denúncia e a Polícia Federal passou a fazer diligências e escutas telefônicas autorizadas pelo Judiciário, fatos que corroboraram para que se chegasse à organização criminosa.
De acordo com o Delegado Luciano Dorneles, ainda não foi possível estimar os valores que a quadrilha teria movimentado fradulentamente. Mas, ele acredita que devem ser alguns milhões de reais. Extraoficialmente, cogitou-se uma soma inicial de R$ 3 milhões. Porém, o próprio Delegado não quis confirmar se este dado procede, mesmo porque, segundo ele, as investigações ainda têm muito a revelar, inclusive, se os cartões estariam sendo utilizados, também, para o saque de valores de outros programas, além do Seguro Desemprego.
Diligências
As diligências foram executadas nas cidades de Anápolis; Goiânia; Caldas Novas; Nova Lima (MG), São Félix do Araguaia (MT) e Redenção (PA). Foram presas 08 pessoas, sendo 01 em Minas Gerais; 02 no Mato Grosso; 05 em Goiás (02 em Caldas Novas; 01 em Goiânia, 01 em Anápolis). Uma das pessoas presas é uma policial civil do Mato Grosso. O Delegado Luciano Dorneles, inclusive, adiantou que a PF comunicou à Corregedoria da Polícia Civil daquele Estado, a fim de que seja aberto o inquérito administrativo e adotados outros procedimentos que possam afastá-la da função.
Os dois presos em Caldas Novas estavam em um apartamento alugado. Também, foi recolhido ao pátio da PF, um carro de luxo, de um dos membros da organização. O traficante que cooptou a jovem em Anápolis, fato que deu origem às investigações, foi preso em São Félix do Araguaia.
O Delegado da PF não confirmou o envolvimento de servidores do Ministério do Trabalho, mas observou haver fortes indícios de uma suposta participação, já que a organização detinha informações privilegiadas que ajudavam na execução dos golpes. Ele não falou sobre o envolvimento de possíveis funcionários da Caixa ou de uma empresa terceirizada, contratada pelo banco, para operacionalizar os cartões. Disse, também, que essas questões serão também aprofundadas. E não descartou a possibilidade da descoberta de mais pessoas envolvidas.
C
omo acontecia o golpe
O Delegado Luciano Dorneles narrou, de forma detalhada, o modus operandi da organização criminosa. Conforme disse, os membros do grupo obtinham acesso ao banco de dados e alteravam o endereço dos cartões dos reais destinatários, ou seja, as pessoas que deveriam receber os benefícios, no caso, valores do seguro-desemprego. A partir de então, era solicitada uma segunda via do cartão e, assim, o sistema cancelava o anterior e o novo cartão era informado para os membros da organização. A PF descobriu que o grupo, também, usava amantes para o fornecimento de endereços, com o objetivo de dificultar o rastreamento.
De posse do cartão, a organização tinha, então, outro passo a ser dado, que era obter a senha, através de informações privilegiadas. Feito isso, os saques ocorriam, sempre, nas primeiras horas de abertura do banco, não dando tempo para que o real beneficiário, numa eventualidade, fosse tentar receber.
Cada membro na organização tinha uma função definida: um cooptava pessoas para fornecerem os endereços, outros cuidavam de solicitar os cartões. Havia, também, aqueles responsáveis em obter os dados privilegiados e, finalmente, os que faziam os saques.
O Delegado informou que a PF vai solicitar à Justiça Federal a alienação antecipada de bens e valores apreendidos, a fim de que sejam utilizados para o ressarcimento dos prejuízos ao erário. O inquérito deve indiciar as pessoas presas por estelionato qualificado e também por formação de quadrilha. Aliás, o batismo da operaçãorefere-se ao termo em latim stellionatu, que significa uma prática criminosa. Quanto à etimologia da palavra, alguns autores afirmam que ela deriva do termo stellio, um lagarto que muda de cor para se camuflar e enganar os insetos que fazem parte da sua cadeia alimentar.

Autor(a): Claudius Brito

Clique aqui para ler a página em formato PDF


Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Polícia

Juiz sugere sistema de proteção a vítimas de furtos e roubos

09/11/2017

Uma sugestão do juiz Mateus Milhomem de Sousa, do 1º Juizado Especial Criminal da comarca de Anápolis enviada, no dia 11 d...

Polícia no combate a receptação e drogas

09/11/2017

Na última quarta-feira,08, as equipes CPE CMDO e CPE 9797 estavam em patrulhamento tático pelo setor Calixtópolis, quando ...

Cai quadrilha especializada em clonagem de veículos

20/10/2017

A Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (Derfrva) cumpriu 14 mandados de prisão na man...

Mortes violentas abalaram a Cidade

12/10/2017

A morte do médico veterinário João Paulo Alarcão, assassinado a tiros dentro de seu veículo, quando estava em companhia ...