(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

É Possível mudar?

Edição 695 - 12 a 18 de outubro de 2018

Bob Merrit, executivo de uma instituição em White Bear Lake, relatou as lutas pessoais que enfrentou quando chegou à idade de 40 anos, no auge de seu sucesso profissional. “Tinha uma sensação de que algo dentro de mim estava se quebrando, mas não tinha tempo nem energia para enfrentar aquilo. Também temia permitir que qualquer pessoal tivesse acesso à minha alma. Apesar do sucesso empresarial que vinha conquistando, e do respeito profissional adquirido, algumas coisas certamente estavam indo muito mal na sua vida”.
O primeiro sinal aconteceu no seu interior. Ele perdeu a alegria e a energia para fazer as coisas, e isto se refletia no seu mau humor no trato com a família e sua instituição. Os comentários agressivos e as explosões de raiva em direção à esposa, filhos e funcionários se tornaram frequentes. Cada vez ele se tornava mais reativo, pensativo e irritadiço, reagindo com fúria aos menores deslizes e falhas de sua equipe. Em casa, o relacionamento com sua esposa ia mal e seus filhos foram se afastando dele, porque temiam suas constantes explosões de ira.
Emocionalmente esgotado, um dos líderes de sua equipe sugeriu ajuda profissional. Todos reconheciam seus talentos e valor, mas ele precisava ser ajudado emocionalmente. Ao ser avaliado por um competente treinador de líderes, que trabalhava com executivos, ele se disse surpreso em como não havia ainda tido um burnout.
Aos poucos, começou a tratar algumas áreas pessoais, mas subitamente surgiu outro medo: Ele seria capaz de mudar? O seu conselheiro afirmou que a taxa de sucesso era de 40% e os outros 60% continuavam a tropeçar, perdendo sua saúde, empregos e família. Ele teria condições de mudar?
Foi então que ele ouviu falar do segredo para a mudança: “Aqueles que mudam e alcançam outro nível de vida, são aqueles que são humildes o suficiente para receber as críticas e avaliações e levá-las a sério”. A palavra chave, portanto, era humildade. Reconhecer os erros, admitir dificuldades.
Talvez este seja o seu caso. Se está cansado ou confuso, com medo e até um pouco paranoico, se está com raiva ou sentindo sozinho e incompreendido, a pergunta vital é: “sou humilde o suficiente para lidar com minhas sombras, admiti-las e tratá-las? Estou disposto a reconhecer meus erros e enfrentá-los?
Mudanças não acontecem facilmente, mas elas são possíveis com desejo de transformação, disposição interior e novas atitudes. Afinal “melhores atitudes nos levam a maiores altitudes”.

Autor(a): Samuel Vieira