(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

A utopia do governo tudo pode

Edição 647- 10 a 16 de novembro de 2017

Qualquer mudança inicia-se com ação efetiva após o conhecimento da realidade do momento a partir do qual se quer seja feita a mudança. Por isso, quando almejamos mudanças para melhor ou pior, em qualquer ambiente, isto dependerá de cada de nós, até porque somos o instrumento da mudança. Assunto recorrente no meio dos que pensam nosso país, a este respeito manifestou o jornalista William Waack: “o que está na cabeça das pessoas, as idéias as quais acreditam, abraçam e defendem são fatores decisivos para o futuro de qualquer sociedade e país. Acreditar nas coisas erradas, como boa parte do Brasil faz hoje, é o que explica nossas mazelas.” Verdade absoluta!
A noção, utópica, de que o governo tudo pode vem de longe em nossas cabeças pois gostamos de acreditar nas coisas erradas. A questão que se coloca é: como reverter este “status quo?” Na verdade, não existem mágicas ou milagres. Só pela conscientização através da educação de qualidade para todos será possível. É impossível reverter esta crença apenas com discursos evasivos ou não. John Kennedy (1.917-1963), ao ser empossado Presidente da nação mais poderosa do planeta – EUA - em seu discurso de posse, foi incisivo com seus admiradores no mundo todo: “Não perguntes o que a tua pátria pode fazer por ti. Pergunta o que tu podes fazer por ela”. Ou seja, esqueçam o governo grátis, porque ele não existe. Só o trabalho pode produzir riquezas. Simples!
A bem da verdade, o DNA do governo tudo pode, está nos sucessivos governos populistas brasileiros, principalmente no período pós constituição de 1.988. Sim, desde então, nossos governantes, insatisfeitos com a “Constituição Cidadã” por demais, foram acrescentando, de maneira legal, direitos e mais direitos aos cidadãos e, da mesma forma, aumentando a carga tributária do país que chegou a 36% de tudo o que produzimos. Resultado: produzir no Brasil custa caro. Por isso, estamos exportando empregos para países vizinhos (Paraguai é o melhor exemplo) e desindustrializando aceleradamente nosso país. Sina triste!
A crença de que o governo tem poder para, por exemplos, baixar impostos, manter aposentadorias precoces e milionárias, fazer toda parte social (bolsas e seguros variados), pagar salários cada vez mais altos, tornar-se empresário de sucesso e promover o desenvolvimento da nação como um todo é utopia pura! Governos não criam nada e são péssimos empresários. Apenas repassam impostos tirados da população, inclusive dos mais humildes. Pior é que esta crença, enraizada na cabeça das pessoas, elimina sonhos de melhoras e promovem o atraso da nação, já que boa parte da nação não sai da pobreza, resultando disto uma desordem social em algum momento.

Autor(a): Moacir Lázaro de Melo