(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Operadora da Ferrovia Centro-Atlântica anuncia investimentos

Economia Comentários 05 de setembro de 2014

Empresa VLI, braço da Vale do Rio Doce, vai fazer intervenções importantes em sua malha no Distrito Agro Industrial de Anápolis


Em resposta ao seminário “DAIA- Perspectivas e Soluções”, realizado no mês de junho último pela Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG), juntamente com a sua Regional no Município e a Associação Comercial e Industrial de Anápolis (ACIA), a empresa Valor da Logística Integrada- VLI, braço da Vale do Rio Doce que é responsável pelas operações da Ferrovia Centro-Atlântica na região, apresentou o projeto para solucionar o problema do cruzamento da linha ferroviária com a rodovia GO 330, no interior do Distrito Agroindustrial de Anápolis.
Os diretores da VLI, José Osvaldo Cruz e Bernardo Pimentel Barbosa Falci, foram recepcionados na FIEG pelo vice-presidente Wilson de Oliveira, também presidente da Regional Anápolis. Eles expuseram o projeto para a intervenção no cruzamento da linha da FCA com a GO 330, onde deverá ser construída uma trincheira para a passagem dos veículos, com recursos provenientes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), que possui verba específica para aplicação em trechos considerados críticos de mobilidade urbana. Em razão de a GO 330 ser uma rodovia estadual, também participaram da reunião o diretor de obras da Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas (Agetop), José Marcos de Freitas Musse e o assessor da Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinfra), e Peterson de Souza Assis.
Além disso, a VLI também irá implantar um Pátio Ferroviário para que haja a integração entre as ferrovias Centro-Atlântica e Norte-Sul que teve, recentemente, inaugurado pelo Governo Federal um trecho de 855 quilômetros ligando Anápolis a Palmas, capital do Tocantins. O que irá trazer um grande diferencial competitivo para Goiás, com a redução do custo de escoamento da produção.

Mais investimentos
Os diretores da VLI, José Osvaldo Cruz e Bernardo Pimentel Barbosa Falci, através da FIEG, também se reuniram com o secretário estadual de Indústria e Comércio, William O´Dwyer, na sede da Pasta, em Goiânia. Durante o encontro, além de informar sobre os investimentos no Distrito Agro Industrial de Anápolis, eles anunciaram que a empresa está aportando em Goiás outro investimento, estimado em R$ 154 milhões, para a construção de um Terminal Integrado, no Município de Uruaçu, na região Norte do Estado, o qual terá capacidade instalada para operacionalizar 3,2 milhões de toneladas de grãos por ano. O investimento deve começar já no ano que vem e o complexo deve entrar em operação a partir de 2016. A VLI, de acordo com os seus diretores, já possui dois terminais, em Palmeirante e Porto Nacional (TO).
O secretário de Indústria e Comércio, William O´Dwyer, determinou à sua equipe técnica, durante a reunião, que seja elaborado, em curto espaço de tempo, um protocolo de intenções a ser assinado entre o Governo de Goiás e a VLI, para reforçar o compromisso de investimento e do apoio do Estado aos empreendimentos.
“A VLI demonstrou empenho em solucionar os problemas no DAIA, dando uma resposta rápida ao Seminário da FIEG e, com isso, reforçou o compromisso que tem com o desenvolvimento de Goiás e do País”, ressaltou Wilson de Oliveira, vice-presidente da FIEG e presidente da Regional Anápolis da Federação. “Muito nos orgulha ter uma empresa desse porte, com visão estratégica e compromisso socioambiental, que reconhece o trabalho das entidades de classe do setor produtivo, em prol do fortalecimento da indústria”, disse, acrescentando que a Federação, mais uma vez, contribui de forma decisiva com a economia goiana, eliminando gargalos e oferecendo apoio institucional para a atração de investimentos.
Após a primeira etapa da agenda, houve, ainda, um almoço oferecido pela FIEG aos diretores da VLI, que contou com a presença do superintendente do Porto Seco Centro-Oeste, Edson Tavares e Luiz Medeiros, presidente licenciado da Associação Comercial e Industrial de Anápolis (ACIA), entidade que foi parceira da FIEG na realização do seminário “DAIA- Perspectivas e Soluções”.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Economia

Município cai no ranking goiano de exportações

16/11/2017

Mais de US$ 1,4 bilhão. Este é o valor da corrente de comércio, representada pela soma das exportações e importações f...

Produto Interno Bruto de Goiás registra queda de 4,3% em 2015

16/11/2017

A economia goiana movimentou R$ 173,63 bilhões em 2015, valor R$ 8,62 bilhões acima do registrado no ano anterior (R$ 165,0...

Secretário se compromete a intermediar causas de empresários com a Companhia

09/11/2017

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Francisco Pontes, afirmou que vai intermediar um encontro para solucion...

Luta nacional transforma-se em uma “briga” caseira em Goiás

09/11/2017

O Governo de Goiás e o setor produtivo travam uma verdadeira batalha em torno do Decreto 9.075, de 23 de outubro de 2017, as...