(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

OMS debate epidemia de zika nas Olimpíadas

Saúde Comentários 10 de junho de 2016

A entidade não deve sugerir o cancelamento do evento, mas pode modificar as recomendações de viagem ao Brasil


Pressionada, a Organização Mundial da Saúde (OMS) convocou para a próxima semana — na fase final de preparação para os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro — uma reunião de emergência para lidar com o surto do vírus zika, A entidade não deve sugerir o cancelamento do evento, mas pode modificar as recomendações de viagem ao Brasil. O dia exato do encontro ainda não foi divulgada.
“Vamos revisar a situação a partir das evidências novas que surgiram e o resultado pesquisas recentes para avaliar se precisam adotar novas recomendações”, confirmou Christian Lindmeier, porta-voz da OMS.
A organização tem sido cobrada a dar uma resposta a cientistas e atletas que ameaçam não ir aos Jogos Olímpicos devido ao risco de infecção. Há uma semana, 150 pesquisadores emitiram um apelo para que o evento fosse cancelado ou adiado. Atletas como Pau Gasol, do basquete, indicaram que poderiam rever sua participação nos jogos.
Apesar das preocupações, a OMS negou o cancelamento do evento, mas admite que as recomendações de viagens poderão ser revistas. Atualmente, a entidade sugere que mulheres grávidas evitem locais com o surto de zika – associado a casos de microcefalia – e traça uma série de recomendações para casais que estejam planejando ir ao Rio.
Ainda segundo a organização, eventuais novas decisões serão tomadas exclusivamente com base na ciência e não em temores.
Numa carta a deputados americanos na semana passada, a diretora-geral da OMS, Margaret Chan, admitiu que o zika estava cada vez mais em seu radar. “Dada a preocupação internacional, decidi convocar a nova reunião de emergência”, escreveu a diretora em uma carta.
Na semana passada, os organizadores do Rio-2016 apresentaram ao Comitê Olímpico Internacional (COI) dados mostrando que o número de casos de dengue na cidade sofre uma dura queda a partir de julho. Além disso, os brasileiros prometeram uma limpeza diária dos locais do evento para evitar a proliferação de focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da zika, dengue e chukungunya.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Nova força-tarefa para combater a dengue, zika e chikungunya

16/11/2017

Durante solenidade realizada no Teatro Municipal, na última terça-feira,14, o Prefeito Roberto Naves reuniu dezenas de repr...

Dengue - Redução de casos economiza R$ 3,6 mi

09/11/2017

Com a chegada do período chuvoso, a Prefeitura de Anápolis volta a intensificar os cuidados com a dengue, chikungunya e zik...

Anápolis vai sediar campanha para doação de medula óssea

03/11/2017

Jovens e mães, Eva e Karise são duas amigas que enfrentam o mesmo problema: a leucemia. Eva Araújo, ex-servidora da Prefei...

Anápolis tem alta incidência de sífilis

20/10/2017

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou o Boletim Epidemiológico da Sífilis, publicação técnica da Coordenação Estad...