(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Oito mudanças simples para ficar mais saudável

Saúde Comentários 12 de agosto de 2016

Pequenas atitudes cotidianas são capazes de oferecer mais qualidade de vida


Ficar mais saudável parece não ser uma tarefa fácil, principalmente para pessoas que sempre conviveram com maus hábitos. Mas, com pequenas mudanças no dia a dia, é possível ganhar mais vitalidade e saúde.
Atitudes como evitar ficar sentado por muito tempo, deixar de dormir na sala com a televisão ligada e beber água mais vezes ao longo do dia não sao difíceis de colocar em prática com uma dose de boa vontade. E isso vale para qualquer idade, dos 20 aos 80 anos. Qualidade de vida não tem data de validade e sempre é tempo de melhorar.
Para ajudar, especialistas selecionaram oito mudanças importantes na rotina para viver de maneira mais saudável e ainda aumentar sua expectativa de vida. Confira:

• Ficar na frente da Tv
Quem não chega em casa e vai logo ligar a TV? Ficar sentado no sofá e na frente da tela da televisão é um dos principais sinais de sedentarismo. Esse quadro aumenta as chances de obesidade, hipertensão, derrame, problemas vasculares, colesterol alto e outras doenças que podem levar à morte.
Sugestão: pular na cama elástica por meia hora

• Comer doces
Um estudo publicado no Journal of American Medical Association sugere que a ingestão de açúcar pode afetar as taxas de lipídios, ou seja, gorduras no sangue. Os pesquisadores descobriram que pessoas que consumiam mais açúcar tinham maior propensão de ter uma doença cardiovascular e outras doenças cardíacas e, por isso, tinham menor expectativa de vida do que as pessoas que controlavam o consumo de açúcar.
Sugestão: comer frutas entre as refeições

• Beber apenas durante as refeições
Na hora da refeição, é comum o hábito de ingerir líquidos. Mas beber água apenas na hora de comer não é o suficiente para manter o corpo hidratado. “A água tem um papel regulador de muitas funções de nosso organismo. A quantidade de água que consumimos tem um papel fundamental desde o controle da temperatura até o bom funcionamento do sistema circulatório”, explica o fisiologista Raul Santo de Oliveira, da Unifesp.
Para saber a quantidade certa de água para consumir, basta multiplicar o seu peso corporal por 0,03. Assim, uma pessoa com 70 quilos, por exemplo, deve tomar aproximadamente 2,1 litros de líquido por dia. “É importante lembrar que esse cálculo é feito de maneira geral, mas a necessidade de água varia de pessoa para pessoa. Uma atleta de alto rendimento, por exemplo, pode perder um litro de água por hora e, por isso, precisa de uma maior ingestão”, diz o fisiologista.
Sugestão: sempre ter uma garrafa de água por perto

• Consumo exagerado de sal
Na hora da refeição, muita gente coloca sal na comida antes mesmo de experimentá-la. Esse hábito é muito perigoso e pode diminuir a expectativa de vida, já que o excesso de sódio na circulação é capaz de provocar a retenção de líquidos, o que aumenta a sensação de sede. “Com isso, mais água passa a ser ingerida com o objetivo de diluir o sódio e maior será o volume de liquido na corrente sanguínea, o que pode levar ao aumento da pressão arterial e à sobrecarga do coração”, diz o endocrinologista Fillipo Pedrinola, especialista do Minha Vida.
No Brasil, o Ministério da Saúde definiu como quantidade recomentada de consumo de sal seis miligramas por dia. Mas, segundo dados do próprio ministério, o consumo médio do brasileiro é de 12 miligramas. “Para facilitar a medição, a Sociedade Brasileira de Hipertensão mostrou que seis miligramas equivalem a duas colheres rasas de café”, diz o endocrinologista.
Sugestão: usar outros temperos na comida

• Dormir na sala com a televisão ligada
Além de interromper a ação da melatonina - neuro-hormônio responsável por regular o sono - devido à claridade, a televisão também atrapalha por fazer barulho de forma não contínua. “O nosso sono é dividido em fases: o sono superficial e o sono profundo. É apenas na segunda fase que o corpo consegue recuperar as energias. Quando há uma alternância entre sons altos e baixos, o organismo fica em estado de alerta e não conseguimos passar para a fase profunda do sono”, diz o especialista em sono, Daniel Inoue, diretor do Instituto do Sono do Hospital Santa Cruz.
Outro ponto negativo da televisão é que, quando uma pessoa está com insônia, ela vai logo ver um programa na TV. “Isso só nos deixa com menos sono ainda”, explica o especialista.
Sugestão: dormir em um ambiente silencioso

• Ficar estressado no trânsito
O dia a dia em cidades grandes pode ser muito estressante, principalmente pelo tumultuado tráfego de veículos. Mesmo que ainda não seja considerado uma doença, o estresse aumenta as chances do aparecimento de várias complicações. Ele também é fator de risco para os problemas do coração, segundo uma pesquisa feita em Campinas e São Paulo pela Secretaria do Estado da Saúde. Entre as mais de 100 mil pessoas analisadas, 46,8% sofriam algum tipo de estresse e tiveram seus níveis de problemas cardiovasculares aumentados.
Sugestão: aproveitar o som do carro para ouvir música

• Ficar muito tempo sentado
A Sociedade Americana de Câncer descobriu que não é apenas a falta de atividade física que pode encurtar a vida, mas também a grande quantidade de tempo gasto sentado. Tudo porque, quando ficamos frequentemente sentados e por muito tempo, o nosso metabolismo se altera e influencia em fatores como colesterol alto e repouso da pressão arterial, que são indicadores de obesidade, problemas cardiovasculares e outras doenças crônicas. Por isso, nada de ver a vida passar sentado em uma cadeira.
Sugestão: levantar da cadeira a cada meia hora

• Trabalhar demais
Para muitos, o trabalho é o principal causador de estresse no dia a dia. Segundo a psicoterapeuta Juliana Cardoso Holcman, o ambiente de trabalho causa tanto estresse psicológico - por exigir responsabilidades e cumprimento de metas - como estresse físico, por causa do ruído, da falta de privacidade, iluminação deficiente ou má ventilação. Pessoas que convivem tempo demais com estresse têm mais chances de apresentar problemas cardíacos e psicológicos. Por isso, é importante saber dividir bem o tempo entre trabalho e outras atividades mais relaxantes.
Sugestão: aproveitar o tempo com família e amigos.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Mudanças no programa Farmácia Popular preocupam vereadores

22/06/2017

O Vereador Antônio Gomide (PT) falou na tribuna, na última segunda-feira, 19, sobre o possível fechamento da Farmácia Pop...

Município anuncia importantes reformulações na área da saúde

15/06/2017

Uma das áreas mais sensíveis da Administração, a pasta da Saúde, tem desafios que extrapolam os limites do Município. P...

Anvisa ouve reivindicações dos laboratórios goianos

15/06/2017

Anápolis recebeu, no último dia 09, a presença do médico sanitarista e epidemiologista, Jarbas Barbosa da Silva Júnior, ...

Projeto atende a quase 800 pacientes que estavam na fila

26/05/2017

Há dois anos, a auxiliar de limpeza, Lídia dos Reis, 38, sentia fortes dores de vesícula. As pedras acumuladas no órgão ...