(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Ocupação quase acaba em briga entre estudantes

Cidade Comentários 05 de fevereiro de 2016

Desta vez, o alvo dos grupos que protestam contra a terceirização das escolas estaduais foi o Colégio “Professor Faustino”


Um grupo de estudantes, contrário à proposta do Governo Estadual de entregar a gestão das escolas da rede para Organizações Sociais, as chamadas OSs, tentou na última quarta-feira,03, ocupar as dependências do Colégio Estadual “Professor Faustino”, localizado na região central de Anápolis. E, por pouco, não houve um confronto com alunos da Educação de Jovens e Adultos, do período noturno, que não concordam com a ocupação. Foi preciso a intervenção da Polícia Militar. Felizmente, não houve nenhum incidente mais grave.
Conforme narrou a diretora da unidade, Carla Brenda Gonçalves, o grupo que buscava a ocupação da escola chegou ao local por volta das 10h30 de quarta-feira fazendo muito barulho. Os portões estavam fechados e os alunos estavam em atividade nas salas de aula. Aproveitando que uma pessoa teve de deixar o prédio, os manifestantes adentraram o recinto e tentaram acesso às salas e também a outras dependências administrativas. Com a confusão, uma coordenadora, que está grávida, sentiu-se mal e teve de ser socorrida e retirada do local.
O tempo esquentou um pouco mais à noite, com a chegada da turma de Educação de Jovens e Adultos. Muitos não concordaram com a ocupação e houve muito bate-boca. Até que a Polícia Militar foi chamada para intervir e fazer a retirada, de forma pacífica, dos manifestantes.
A diretora Carla Brenda avaliou que o fato não foi uma ocupação, mas uma “invasão”, pelo fato de as atividades ali na escola estarem ocorrendo normalmente.
Anápolis está sendo a base experimental para o projeto de implantação da gestão compartilhada. Desde que a proposta chegou ao conhecimento público, vem enfrentando resistência por parte de alunos e professores que consideram o projeto uma privatização da educação em Goiás.
Para contrapor aos movimentos contrários, a secretaria estadual de Educação vem fazendo uma divulgação maciça na mídia, defendendo que a proposta não se trata de privatização e que não haverá cobrança de mensalidades. E, afirmando, ainda, de forma taxativa, que não irá voltar atrás. Ou seja, vai seguir adiante com o edital de chamamento (nº 001/2016), visando a contratação de Organizações Sociais para a gestão de escolas da rede estadual de ensino, o qual contempla 23 unidades ligadas à IV Microrregião-Anápolis. Desse total, 21 são do próprio Município sede da subsecretaria; duas em Pirenópolis; uma em Abadiânia, uma em Alexânia e uma em Nerópolis.
O credenciamento dos participantes do chamamento está previsto para esta sexta-feira,05, das 09 às 09:30 horas e, logo em seguida, haverá a entrega dos envelopes com a documentação de habilitação, com as propostas técnica e financeira. Passada a fase recursal, ocorrerá a assinatura dos contratos, que terão prazo de vigência de 36 meses.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Cidade

Anápolis tem novos comendadores

20/07/2017

A Comenda “Gomes de Sousa Ramos”, maior honraria instituída pelo Município, foi entregue a personalidade de diversos se...

Monumentos históricos de Anápolis completam 60 anos

13/07/2017

Ignorados por grande parte da população e, até, pelas autoridades governamentais, dois monumentos que ficam no centro de A...

Câmara Municipal de Anápolis vai ter seu hino oficial em breve

15/06/2017

O vereador Teles Júnior (PMN) informou, durante o uso da tribuna, na sessão ordinária da última segunda-feira,12, que pro...

Presidente da UVG defende 13º e férias para os vereadores

09/06/2017

Em visita à Câmara Municipal de Anápolis, na manhã da última quarta-feira,07, o Presidente da União dos Vereadores de G...