(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Ocupação quase acaba em briga entre estudantes

Cidade Comentários 05 de fevereiro de 2016

Desta vez, o alvo dos grupos que protestam contra a terceirização das escolas estaduais foi o Colégio “Professor Faustino”


Um grupo de estudantes, contrário à proposta do Governo Estadual de entregar a gestão das escolas da rede para Organizações Sociais, as chamadas OSs, tentou na última quarta-feira,03, ocupar as dependências do Colégio Estadual “Professor Faustino”, localizado na região central de Anápolis. E, por pouco, não houve um confronto com alunos da Educação de Jovens e Adultos, do período noturno, que não concordam com a ocupação. Foi preciso a intervenção da Polícia Militar. Felizmente, não houve nenhum incidente mais grave.
Conforme narrou a diretora da unidade, Carla Brenda Gonçalves, o grupo que buscava a ocupação da escola chegou ao local por volta das 10h30 de quarta-feira fazendo muito barulho. Os portões estavam fechados e os alunos estavam em atividade nas salas de aula. Aproveitando que uma pessoa teve de deixar o prédio, os manifestantes adentraram o recinto e tentaram acesso às salas e também a outras dependências administrativas. Com a confusão, uma coordenadora, que está grávida, sentiu-se mal e teve de ser socorrida e retirada do local.
O tempo esquentou um pouco mais à noite, com a chegada da turma de Educação de Jovens e Adultos. Muitos não concordaram com a ocupação e houve muito bate-boca. Até que a Polícia Militar foi chamada para intervir e fazer a retirada, de forma pacífica, dos manifestantes.
A diretora Carla Brenda avaliou que o fato não foi uma ocupação, mas uma “invasão”, pelo fato de as atividades ali na escola estarem ocorrendo normalmente.
Anápolis está sendo a base experimental para o projeto de implantação da gestão compartilhada. Desde que a proposta chegou ao conhecimento público, vem enfrentando resistência por parte de alunos e professores que consideram o projeto uma privatização da educação em Goiás.
Para contrapor aos movimentos contrários, a secretaria estadual de Educação vem fazendo uma divulgação maciça na mídia, defendendo que a proposta não se trata de privatização e que não haverá cobrança de mensalidades. E, afirmando, ainda, de forma taxativa, que não irá voltar atrás. Ou seja, vai seguir adiante com o edital de chamamento (nº 001/2016), visando a contratação de Organizações Sociais para a gestão de escolas da rede estadual de ensino, o qual contempla 23 unidades ligadas à IV Microrregião-Anápolis. Desse total, 21 são do próprio Município sede da subsecretaria; duas em Pirenópolis; uma em Abadiânia, uma em Alexânia e uma em Nerópolis.
O credenciamento dos participantes do chamamento está previsto para esta sexta-feira,05, das 09 às 09:30 horas e, logo em seguida, haverá a entrega dos envelopes com a documentação de habilitação, com as propostas técnica e financeira. Passada a fase recursal, ocorrerá a assinatura dos contratos, que terão prazo de vigência de 36 meses.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Cidade

UniEVANGÉLICA apoiou evento voltado a idosos

16/11/2017

A UniEVANGÉLICA participou das celebrações dos 15 anos do Instituto de Seguridade Social de Anápolis – ISSA, vinculado ...

Município vai ter encontro do Projeto Goiás 2038

16/11/2017

A secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico (SED-GO) reunirá representantes do Governo Municipal e da sociedade orga...

Fechamento de bares mais cedo volta à discussão em Anápolis

16/11/2017

Proposta já aplicada em várias cidades brasileiras e defendida por muitas outras, inclusive Anápolis, a limitação de hor...

Mudança extingue a 137ª Zona e remaneja mais de 46 mil eleitores

09/11/2017

Mais de 46 mil eleitores da 137ª zona eleitoral de Anápolis devem ser remanejados para as 3ª, 141ª e 144ª zonas eleitora...