(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Obesidade Infantil: Um grande perigo da vida moderna

Saúde Comentários 11 de outubro de 2013

Segundo dados do Ministério da Saúde, três em cada 10 crianças em idade escolar são obesas, o que pode acarretar graves problemas de saúde


A obesidade infantil aumentou cinco vezes nos últimos 20 anos no Brasil e já atinge cerca de 10% das crianças brasileiras. Dentre as principais consequências deste quadro, está o aumento de casos de diabetes e problemas cardiovasculares, além do aumento dos níveis de colesterol e triglicérides nas crianças.
Mesmo que a criança esteja com o peso adequado, é importante estar atento, pois o seu colesterol pode estar alterado, principalmente se ela consome muitas guloseimas e biscoitos recheados, alimentos ricos em gorduras trans e colesterol.

Acompanhamento alimentar na infância
Para prevenir o aumento da população obesa no país, é essencial que se tome como ponto de partida o acompanhamento alimentar rigoroso na infância.
O consumo frequente de salgadinhos em pacote, que possuem elevados teores de sal, gordura saturada, gorduras trans, colesterol e calorias, bem como o aumento do consumo de fast food, vêm sendo acompanhados do crescente consumo de alimentos gordurosos e altamente calóricos como maionese e batatas fritas.
A prática constante de atividade física é também essencial e altamente recomendada por médicos, preparadores físicos e também pelos nutricionistas, que sugerem o acompanhamento de um profissional.

O que uma criança deve comer para ser saudável?
Ensinar as crianças a comer direito e com qualidade é um dos grandes desafios da educação nutricional. Para competir com a grande oferta de guloseimas, alimentos calóricos e pouco nutritivos, só com a persistência, motivação e o exemplo dos pais.
Toda criança precisa comer de tudo de uma forma equilibrada para se desenvolver com saúde. É desde pequeno que se instituem os hábitos alimentares corretos, que acompanharão a criança para toda a vida. Como as crianças copiam os hábitos dos pais, a participação dos pais para a formação de hábitos alimentares saudáveis é fundamental.

Dicas para uma alimentação saudável
A disciplina nos horários é essencial. O ideal é comer de cinco a seis vezes ao dia. Diminuir a ingestão de gorduras em geral e alimentos gordurosos, produtos industrializados e alimentos ricos em açúcar são os primeiros passos.
É fundamental aproximar-se mais do alimento, sentir o cheiro, tocar no alimento, sentir a sua textura, a sua crocância. Realizar visitas a feiras ou até mesmo ao supermercado para ajudar na escolha do que será preparado nas refeições é uma estratégia fundamental para que os pequenos desenvolvam hábitos mais saudáveis.
Leve as crianças ao supermercado já alimentadas, em horário mais tranquilo, para que a escolha de frutas e verduras também se torne um hábito. Ir de estômago vazio pode ser um grande problema, e a grande oferta de guloseimas pode colocar a estratégia a perder.
Inclua frutas no café da manhã, até mesmo em vitaminas de frutas, e inclua cereais matinais pobres em açúcar e ricos em fibras. Além de auxiliar no funcionamento do intestino, as fibras aumentam a excreção do colesterol nas fezes, retardam a absorção da glicose, auxiliam na redução da fome e aumentam a sensação de saciedade.
Dê preferência às carnes magras, assadas, grelhadas ou cozidas na chapa. Aumente o consumo de saladas e verduras. Nós comemos também com os olhos, e quanto mais colorido e bonito for o prato de comida, mais rico em vitaminas e minerais ele será.
Pode-se colocar nas saladas frutas como manga, uva, abacaxi, maçã, carambola ou kiwi para melhorar o sabor e decorar. Deve-se também cortar as frutas e verduras de formas diferentes e deixar a salada mais bonita e saborosa.

Mudança de hábito requer disciplina
Como qualquer hábito de vida, a reeducação alimentar requer disciplina e persistência, mas, como qualquer hábito, depois que os mesmos são adquiridos, mudá-los é muito difícil.
A reeducação alimentar pode levar anos, pois precisa ser feita da forma mais natural possível, e a alimentação não deve ser um fator de discussão à mesa e estresse.
A prática de atividade física constante, aliada à alimentação e a hábitos de vida saudáveis, é a chave para uma vida com saúde e energia. Invista mais na saúde das crianças! Consulte sempre um nutricionista.

Autor(a): Da Redação

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Saúde

Nova força-tarefa para combater a dengue, zika e chikungunya

16/11/2017

Durante solenidade realizada no Teatro Municipal, na última terça-feira,14, o Prefeito Roberto Naves reuniu dezenas de repr...

Dengue - Redução de casos economiza R$ 3,6 mi

09/11/2017

Com a chegada do período chuvoso, a Prefeitura de Anápolis volta a intensificar os cuidados com a dengue, chikungunya e zik...

Anápolis vai sediar campanha para doação de medula óssea

03/11/2017

Jovens e mães, Eva e Karise são duas amigas que enfrentam o mesmo problema: a leucemia. Eva Araújo, ex-servidora da Prefei...

Anápolis tem alta incidência de sífilis

20/10/2017

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou o Boletim Epidemiológico da Sífilis, publicação técnica da Coordenação Estad...