(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

O retorno

Contexto Político Comentários 06 de agosto de 2010

Na volta ao batente, os vereadores de Anápolis não deixaram o clima de campanha eleitoral contaminar os debates nas sessões ordinárias da Casa. Ou, quase isso, já que na discussão de uma proposta do vereador Carlos Antônio (PSC) para que a comissão especial criada para analisar a situação das escolas da Rede Estadual, em Anápolis, acabou se transformando em um “cabo de guerra” entre aliados e adversários do governador Alcides Rodrigues.


O retorno
Na volta ao batente, os vereadores de Anápolis não deixaram o clima de campanha eleitoral contaminar os debates nas sessões ordinárias da Casa. Ou, quase isso, já que na discussão de uma proposta do vereador Carlos Antônio (PSC) para que a comissão especial criada para analisar a situação das escolas da Rede Estadual, em Anápolis, acabou se transformando em um “cabo de guerra” entre aliados e adversários do governador Alcides Rodrigues.
De um lado, a vereadora Gina Tronconi (PPS) atacou dizendo que Alcides sempre soube da precariedade da estrutura física das escolas e que não seria agora, no final do governo dele, que a coisa se resolveria. O vereador Mauro Severiano (PDT) emendou, questionando a respeito do projeto de construção do mini-presídio, que “nem saiu do papel”.
O vereador João Feitosa (PP) saiu em defesa do Governador, assinalando que o mesmo está cumprindo, bem, a sua missão e que, quando deixar a Administração Estadual, Alcides passará a máquina “azeitada” e o Estado pronto para novos investimentos. O vereador Carlos Antônio também saiu em defesa do Governador, lembrando a obra de duplicação da Avenida “Pedro Ludovico” que está sendo concluída.
Enquanto isso, o vereador Valmir Jacinto (PR) fez uma outra observação: o Governador Alcides Rodrigues deixará o estado “saneado, assim como o prefeito (Antônio Gomide) recebeu a cidade saneada”.

Nos conformes
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou o registro dos candidatos à Presidência da República, Dilma Vana Rousseff, pela coligação “Para o Brasil Seguir Mudando”, que reúne os partidos: PRB, PDT, PT, PMDB, PTN, PSC, PR, PTC, PSB e PCdoB. E de José Serra, pela aliança formada entre os partidos: PTB, PPS, DEM, PMN, PSDB e PT do B. Também aprovados os nomes dos respectivos candidatos a vice-presidente, Michel Miguel Elias Temer Lulia e Antônio Pedro de Siqueira Índio da Costa.

Indeferido
O TSE rejeitou o recurso de Ércio Braga, que pretendia se candidatar, individualmente, ao cargo de presidente da República pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC). O pedido de candidatura foi rejeitado, inicialmente, pelo presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, devido a falhas no requerimento.

Polêmica
O vereador Wesley Silva (PMDB), pretende apresentar na Casa, um projeto que deve ser objeto de polêmica. A proposta, conforme adiantou em discurso no plenário, é para que os empreendedores de loteamentos, sejam obrigados a fazer não só os 100% de asfalto, como diz a lei atual, mas que este asfalto seja do tipo CBUQ (Composto Betuminoso Usinado à Quente). Acontece que esse tipo de asfalto vai encarecer as obras e a conta pode aumentar para quem pretende comprar um terreno.

Homenagens
No próximo dia 20, no plenário da Câmara Municipal, às 20 horas, o presidente da Saneago, Nicomedes Domingos Borges, estará recebendo o título de cidadania Anapolina. A iniciativa é do vereador Pedro Mariano (PP). No dia anterior (19), haverá uma sessão solene para celebrar o Dia do Maçom, iniciativa da vereadora Miriam Garcia (PSDB).

Cola
O site das eleições de 2010 do TSE traz várias novidades para quem vai acompanhar o pleito deste ano. Uma delas é o gerador de cola, onde o eleitor pode digitar os números dos seus candidatos e imprimir em uma folha para levar no dia da votação. A ajuda é válida, lembrando que nesta eleição, vai-se votar em um candidato para Presidente da República, dois candidatos ao Senado, um candidato a deputado federal, um candidato a deputado estadual ou distrital (caso de Brasília) e um candidato a governador, com o respectivo vice.

Vigilante
O Ministério Público do Estado de Goiás quer eleições limpas em três de outubro. Para isso, redigiu uma Nota Técnica detalhando o que pode e o que não pode ser feito, em relação à propaganda eleitoral. O material foi entregue aos candidatos, aos veículos de comunicação e a órgãos públicos. Uma boa medida e que favorece o processo democrático e a livre escolha dos cidadãoseleitores.

Internet I
O guia eleitoral do MPE destaca que a propaganda pela internet por parte dos candidatos é livre, porém, os mesmos devem informar à Justiça Eleitoral sobre o endereço eletrônico e os dados devem estar hospedados, direta ou indiretamente, em provedor estabelecido no País. Também é permitido o envio de mensagens eletrônicas e a propaganda em blogs e redes sociais (Orkut, MSN, Facebook, Twitter, dentre outros).

Internet II
A legislação, no entanto, veda qualquer tipo de propaganda eleitoral paga na internet. Também é vedada a propaganda, quando por meio de mensagens eletrônicas (e-mail), quando não houver um dispositivo que permita o descadastramento do endereço eletrônico do destinatário. Já tem muita gente reclamando que a caixa postal eletrônica anda cheia. E a campanha está ainda no começo.


Pesquisa
A pesquisa SerpesO Popular, divulgada na última semana, coloca Marconi Perillo à frente de Iris Rezende, com 46,7% contra 39% das intenções de votos dos entrevistados. Vanderlan Cardoso aparece na terceira posição, com 5,5% das intenções de votos. O tucano, na avaliação por regiões do Estado, só perde para Íris na capital. Na região centro, onde está Anápolis, o quadro é o seguinte: Marconi (43,8%), Iris (41,9%) e Vanderlan (8,1%). Na região do Entorno de Brasília, muito cobiçada pelos candidatos, Marconi tem a maior diferença: 52,9% contra 27,1% de Íris e, 2,9% de Vanderlan. Em Goiânia, maior colégio eleitoral, Íris tem 44,1% das intenções de votos, Marconi 40,9% e Vanderlan 7,7%.


Prioridades
O candidato do PSDB, Marconi Perillo, já disponibilizou no site da campanha (www.marconiperillo.net) o seu plano de governo, que pode ser consultado e baixado pelos internautas. No item de projetos prioritários para a área de educação, o candidato propõe a implantação de 100 colégios tecnológicos; transformação de 100% das unidades de ensino fundamental existentes em escolas de tempo integral e a implantação imediata do piso salarial do professor.

TV e Rádio I
A Justiça Eleitoral definiu o tempo que os candidatos terão na propaganda eleitoral gratuita de rádio e TV. Os programas começam a ser exibidos a partir do dia 17 próximo. O tempo está equilibrado para os dois candidatos que, no momento, polarizam a disputa: Marconi Perillo (PSDB) terá 5 minutos e 33 segundos e mais 166 pílulas de 30 segundos. Iris Rezende terá 5 minutos e 31 segundos e 165 pílulas. Vanderlan Cardoso (PR), terá direito a 4 minutos e 27 segundos, mais 133 pílulas. Washington Fraga, do PSOL, terá 1 minuto e 16 segundos e mais 38 pílulas e o PCB um minuto e 36 pílulas.

TV e Rádio II
Os candidatos ao Senado da República vão ter os seguintes espaços: Demóstenes Torres (DEM) e Lúcia Vânia (PSDB), 4 minutos e 37 segundos. Adib Elias (PMDB) e Pedro Wilson (PT), 4 minutos e 36 segundos. Paulo Roberto Cunha (PP) e Renner (PP), 3 minutos e 42 segundos. A coligação PSOLPSTU terá 1 minuto e 5 segundos e o PCB, um minuto.

TV e Rádio III
14 partidos eou coligações vão dividir o horário gratuito. A coligação Goiás no Rumo Certo tem três blocos, sendo: PDT-PSC-PRP com 1 minuto e 8 segundos; PTN-PSDC-PSB-PV com 1 minuto e 17 segundos; PP-PR, com 1 minuto e 51 segundos. A coligação Goiás Avança Mais (DEMPSDB) terá 3 minutos e 17 segundos. A coligação Ética e Trabalho (PPS-PT do B) terá 54 segundos. A coligação Goiás Pra valer (PHS-PMN), 30 segundos. A coligação Goiás para Crescer (PRB-PRTB-PTC), 29 segundos. A coligação Goiás pra você, não para eles ((PSTU-PSOL), 28 segundos. Os partidos que não fizeram alianças terão o seguinte espaço: PMDB, 2 minutos e 22 segundos; PT, 2 minutos e 21 segundos; PTB, 54 segundos; PC do B, 41 segundos; PCB 24 segundos e PSL, 24 segundos.

TV e Rádio IV
Para deputado federal, o tempo para os partidos eou coligações, ficou assim definido: coligação Avançar Mais (PRB-PTB-PPS-DEM-PMN-PSDB-PT do B), 7 minutos e 16 segundos; coligação Goiás no Rumo Certo (PP-PDT-PTN-PSC-PR-PSDC-PSB-PV-PRP), 5 minutos e 56 segundos; coligação Goiás Rumo ao Futuro (PT-PMDB-PC do B), 5 minutos e 56 segundos; coligação Goiás Pode Mais (PSL-PRTB-PHS-PTC), 1 minuto e 33 segundos; coligação Goiás para você, não para eles (PSTU-PSOL), 1 minuto e 29 segundos e o PCB, 1 minuto e 23 segundos.

Déficit
O presidente da CPI do Endividamento, Cláudio Meirelles (PR), a pedido do deputado Mauro Rubem (PT), confirmou a votação do relatório final, produzido por Honor Cruvinel (PSDB), para a próxima terça-feira, 10. O tucano oficializou a entrega do documento na manhã da última quinta-feira, 5, mas concordou com a votação em data posterior para que os deputados-membros possam ter acesso integral ao teor do texto. O relatório aponta que o governo Alcides Rodrigues não herdou um déficit mensal de R$ 100 milhões, como o mesmo vinha propagando. Alcides, em recente visita a Anápolis, reafirmou que o “déficit existe e é verdadeiro”.

Batata quente
Está pulando feito batata quente nas mãos, o projeto do Governo do Estado que pede autorização de contratação de empréstimos de até R$ 3,7 bilhões, que serão utilizados para sanear as contas e tirar a Celg do buraco. O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Helder Valim (PSDB), irritou os membros da bancada governista ao não colocar o projeto em pauta, entendendo que o mesmo deveria, antes, ser examinado pela Procuradoria da Casa para dar mais subsídios às discussões da proposta. Ele quer, ainda, que o governo encaminhe para a Assembleia, informações “indispensáveis para a apreciação da matéria”, como: o prazo de carência para o empréstimo, prazo do financiamento e taxa de juros, para que haja a identificação do tipo de operação de crédito de que se trata.

Atento
Acompanhado da esposa Valéria, o senador e candidato ao Governo de Goiás pelo PSDB, Marconi Perillo não abriu mão de estar presente à solenidade ecumênica que marcou as comemorações do quinto aniversário do Hospital de Urgências “Doutor Henrique Santillo”, em Anápolis na manhã de quinta-feira, 05. Deixou, inclusive, de comparecer a um debate com os demais candidatos, em uma emissora de rádio em Goiânia, previsto para o mesmo horário. Marconi foi o idealizador e implantador do Hospital, quando governou o Estado.

Patrimônio
O líder do Governo na Assembleia, deputado Ernesto Roller (PP), observa que a situação da Celg não é assunto de governo, mas de Estado. "Todos os meses, o erário sangra por causa da situação da Celg, que é um dos mais importantes patrimônios dos goianos", afirmou. O parlamentar espera uma rápida tramitação do projeto. De acordo com ele, a expectativa do Governo é que a matéria seja aprovada em até 15 dias.

Fora
Valmir Jacinto, vereador do PR, vai se licenciar por dois meses, para se dedicar à campanha política de seu partido. Seu primeiro suplente é o médico Gilberto Longhi. Mas existe um plano para que Gilberto abra mão de assumir, permitindo a que Marcos Ponce Leones (Marquinhos da Auto Escola) assuma o cargo.

Autor(a): Claudius Brito

Comentários


Deixe seu comentário Dê sua opinião a respeito desta notícia. Seu e-mail não será publicado.


Código Anti Span Incorreto!
Obrigado! Seu comentário foi postado com sucesso!
Falhou! Preencha todos os campos obrigatórios (*)

+ de Notícias Contexto Político

Clique na imagem para ver a coluna - Ed.618

19/04/2017

Contexto Político...

Clique na imagem para ver a coluna - Ed.616

12/04/2017

Contexto Político...

Clique na imagem para ver a coluna - Ed.616

07/04/2017

Contexto Político...

Clique na imagem para ver a coluna - Ed.615

31/03/2017

Contexto Político...